Menu
Busca quinta, 26 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
DOURADOS

Multa por falta de limpeza em terreno pode passar de R$ 1 mil

16 janeiro 2020 - 15h05Por Wender Carbonari

Proprietários de terrenos localizados no perímetro urbano de Dourados que não cumprirem as normas de limpeza estabelecidos pela Semsur (Secretária Municipal de Serviços Urbanos) podem ser obrigados a pagar até R$ 1,3 mil em multa. 

Uma determinação publicada no Diário Oficial do Município no início desta semana solicita que os donos dos terrenos providenciem a roçada e limpeza das áreas em um prazo de 10 dias. 

De acordo com explicações do secretário da pasta de serviços urbanos do município, Fabiano Costa, se a pessoa não fizer a limpeza, a própria prefeitura poderá realizar a manutenção e o valor pelo serviço realizado deverá ser cobrado posteriormente. 

“Notifica-se a pessoa em seguida será dado um prazo de 10 dias para providenciar a limpeza”, disse o secretário em entrevista concedida recentemente ao Dourados News.

Trata-se de um tipo de intimação que, segundo Costa, não pode ser considerado como multa, como é o caso das notificações que serão emitidas pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) em um segundo momento. 

“Tem dois tipos de notificações e sempre gera confusão. Tem a intimação da parte da Semsur, que se refere somente a cobrança pelo serviço de roçada e tem a notificação do CCZ em que serão aplicadas multas mesmo”, disse o secretário. 

Assim, estão sujeitos a receberem multas, inclusive, terrenos da própria prefeitura de Dourados que não estão com os serviços de limpeza em dia, como por exemplo, o Ceim (Centro de Educação Infantil) atualmente inativo, localizado no bairro Jardim Flórida. 

FISCALIZAÇÃO E MULTA

O Dourados News procurou também a coordenadora do CCZ de Dourados para buscar mais informações sobre o assunto. Por e-mail, Rosana Alexandre da Silva disse que a limpeza dos terrenos baldios contribui para evitar a proliferação de animais peçonhentos como aranhas, escorpiões e roedores. 

Além disso, a fiscalização dos terrenos por parte do CCZ pode ajudar a combater a proliferação de vetores de doenças, causados pelo Aedes aegypti, flebotomíneos e outras zoonoses. 

Terrenos baldios com mato alto, lixo, entulhos, objetos que possam acumular água parada, serão notificados pelo CCZ, no qual será dado prazo de 10 dias para realizar as manutenções necessárias. 

Não atendendo as melhorias solicitadas, o contribuinte receberá um novo documento chamado de “auto de infração” dando mais um prazo, dessa vez de quinze dias, para efetuar as melhorias. Se mesmo assim o proprietário não atender as solicitações do CCZ, será autuado administrativamente e receberá multa no valor de R$ 1,3 mil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
Briga por dívida termina com homem ferido a golpes de facão
ECONOMIA
Operação Pátio Zero: mais de 400 motocicletas estão disponíveis em leilão
PF vai às ruas em MS por fraudes em fornecimento de combustíveis à prefeitura
POSTO EXCLUSIVO
PF vai às ruas em MS por fraudes em fornecimento de combustíveis à prefeitura
Aposta única acerta as seis dezenas e leva mais de R$ 3 milhões
MEGA-SENA
Aposta única acerta as seis dezenas e leva mais de R$ 3 milhões
Prestação de contas de candidatos deverão ser realizadas até dia 15 de dezembro
TV DOURADOS NEWS
Prestação de contas de candidatos deverão ser realizadas até dia 15 de dezembro
SAÚDE
SES realiza webinário sobre 'Febre Amarela: Humana, Animal e Imunização'
BONITO
Mãe de bebê também morre após carro bater em coqueiro na MS-382
BRASIL
Senado aprova projeto de lei que reformula a Lei de Falências
TEMPORÁRIOS
Indígenas de MS começam ser contratados para colheita da maçã no sul
FRONTEIRA
Após tentar matar o irmão, idoso abandona arma, munições e desaparece

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Mulher esfaqueia ex após discussão em hotel no Centro de Dourados
DOURADOS 
Foragido, autor de homicídio condenado a 16 anos é preso no Novo Horizonte
CRIME BÁRBARO
Suspeita de esquartejar e colocar corpo de namorado em malas se entrega à polícia
IMPROBIDADE
Caso de vereador que perdeu mandato em Dourados tem desfecho no STJ