Menu
Busca quinta, 28 de maio de 2020
(67) 99659-5905

MPE apura supostas irregularidades na Prefeitura de Dourados

06 fevereiro 2010 - 11h22

O MPE (Ministério Público Estadual) apura supostas irregularidades que possam ter ocorrido na administração atual, referentes a promoção pessoal e ainda ‘limitação ilegal no acesso dos licitantes ao processo licitatório da contratação de empresa prestadora de serviços de limpeza e conservação de vias públicas’.

Foram abertos dois inquéritos civis, publicados no Diário de Justiça de ontem, consta nos editais nº 08/2010/PJPPS/DD e nº 09/2010/PJPPS/DD.

As investigações se basearão em trabalhos de publicidade e de divulgação feitos pela Prefeitura e também na investigação do processo de contratação da empresa responsável pela limpeza pública, que seria a mesma que presta serviço em Campo Grande.

O responsável pela apuração é o promotor de Justiça Paulo Cézar Zeni. Informações do Capitalnews e Notícia da Hora. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Mais de 100 veículos estão disponíveis no segundo leilão de sucata
DOURADOS
Ministro do STJ nega pedido de Braz para suspender decisão que pode custar mandato
TRÁFICO DE DROGAS
Homem é preso transportando toneladas de maconha na BR-463
UFGD
Universitários podem se inscrever em competição de esportes on-line
LOTERIA
Mega-Sena acumula mais uma vez e prêmio vai a R$ 38 milhões
CAPITAL
Golpista clona WhatsApp de vereador e pede dinheiro a pelo menos 30 pessoas
AJUDA DE 600 REAIS
Mais 2,5 milhões de pessoas recebem hoje o Auxílio Emergencial
MORENINHAS
Idoso morre carbonizado durante incêndio em residência
IMPOSTO
Licenciamento de veículos com placas final 1 e 2 vence nesta sexta
INVESTIGAÇÃO
Governo pede ao STF que suspenda depoimento de Weintraub

Mais Lidas

DOURADOS
Paciente com suspeita de coronavírus afasta mais de 20 profissionais da saúde no HV e UPA
PANDEMIA
Dourados é "campeã" de casos de coronavírus em MS pelo 3º dia consecutivo
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher