Menu
Busca segunda, 26 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
DOURADOS

MP pede condenação de vereador por "atrapalhar" investigação

31 outubro 2017 - 09h42

O MPE (Ministério Público Estadual) ingressou com ação civil pública pedindo a condenação do ex-presidente da Câmara Municipal de Dourados, vereador Idenor Machado (PSDB), pela reparação por danos morais coletivos e multa, no valor de mais de R$ 669 mil. 

De acordo com o promotor de Justiça Ricardo Rotunno, titular da 16ª Promotoria de Justiça do município, em 2011, enquanto presidente da Casa, Idenor determinou a exclusão de dados do sistema de informação, mediante a utilização do software CCleaner, para impossibilitar o acesso do Ministério Público Estadual às informações necessárias que comprovariam a prática dos crimes apurados pela Operação Câmara Secreta.

A ação foi desencadeada pelo Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado) em 2011 e consistia num esquema fraudulento de empréstimos consignados na Câmara do município. Na época, além de vereadores, assessores parlamentares e servidores da Casa, acabaram presos pelos policiais do Grupo. 

De acordo com o promotor, nas investigações sobre os crimes, alguns edis tinham acordado em não encaminhar ao Ministério Público a documentação requisitada referente aos holerites dos funcionários e dos vereadores do legislativo municipal com propósito de evitar a cassação de outros membros da Casa.

Ainda de acordo com a promotoria, descoberta a prática e iniciadas investigações pelo Ministério Público, Idenor Machado teria determinado a exclusão de dados solicitados pelo promotor, dos sistemas de informação da Câmara Municipal, no intuito de dificultar a comprovação dos ilícitos.

Diante das irregularidades, a 16ª Promotoria de Justiça pediu a condenação do vereador, pela reparação por danos morais coletivos no valor de R$ 50 mil a ser recolhido ao Fundo de Defesa e de Reparação Interesses Difusos Lesados, além do pagamento de multa civil no valor de R$ 619.203,00 correspondente a cem vezes o valor da remuneração recebida na época, bem como a perda do cargo e/ou função pública do requerido, sem prejuízo da suspensão dos direitos políticos e a proibição de contratar com o poder público.

O Dourados News entrou em contato com Idenor Machado que se disse surpreso com o pedido do MPE. "Realmente eu estou surpreso", contou. "Vou procurar me defender, não sei o motivo desse pedido", relatou.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BATAGUASSU
Homem esfaqueia marido da ex por não aceitar fim de relacionamento
OBSERVATÓRIO DO CLIMA
Fundo Amazônia tem R$ 2,9 bilhões paralisados pelo governo Bolsonaro
MEIO AMBIENTE
Dois são autuados por derrubada de árvores para exploração de madeira
EDUCAÇÃO
Sesi/MS oferece aulão online gratuito preparatório para o Enem
CASSILÂNDIA
Cliente não paga conta de bar e atira contra o comerciante
EVENTO
VI Encontro Estadual de Juízes dos Juizados Especiais será em novembro
CRIME AMBIENTAL
Paranaense é preso com pescado abaixo da medida e acima da cota
ESPORTE
Piso no Guanandizão para a Supercopa de Vôlei começa a ser montado
TRÁFICO
Polícia Federal prende mecânico com 85 quilos de cocaína em Dourados
OPERAÇÃO SERÁ
Polícia tenta localizar possíveis músicas inéditas de Renato Russo

Mais Lidas

DOURADOS
Guarda encerra festa organizada por adolescente em plena pandemia, apreende droga e até arma artesanal
DOURADOS
PM é acionada e consegue evitar suicídio de homem em hotel
DOURADOS
Homem invade casa, tenta estuprar jovem e é detido por populares
DOURADOS
Homem é socorrido às pressas após levar golpes de facão na cabeça