Menu
Busca sexta, 22 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397
EDUCAÇÃO

Mostra na Unigran traz análises de filmes com temas jurídicos

12 novembro 2015 - 10h45

Os acadêmicos do 4º semestre de Direito da Unigran, sob a orientação da professora Julyana Moreira da Silva, apresentam a II Mostra de Argumentação Jurídica: Luz! Câmera! Argumentação!. A atividade com filmes de temas jurídicos proporciona aos estudantes a oportunidade de analisar os aspectos da linguagem
cinematográfica com base nas teorias argumentativas, dentro de diferentes modelos socioculturais-econômicos.

A Mostra traz análises de 13 filmes: O Juiz, Os Intocáveis, O Expresso Da Meia-Noite, O Silêncio Dos Inocentes, Mississipi Em Chamas, À Espera De Um Milagre, O Auto Da Compadecida, A Firma, Helter Skelter, O Advogado Dos 5 Crimes, , O Poder E A Lei, Hurricane e O Povo Contra Larry Flynt.

A professora da disciplina de Argumentação Jurídica, Julyana Moreira da Silva, explica que a atividade busca integrar o acadêmico a uma realidade do Direito que é a argumentação. “É o material mais importante que um jurista pode ter dentro da sua profissão. Buscando um olhar diferenciado, a disciplina propõe aliar esse conhecimento técnico-jurídico a uma linguagem cinematográfica”, afirma.

Mesmo que o cinema não seja uma realidade, é uma representação do real. “O cinema representa uma linguagem diferenciada, tratando dos aspectos do Direito. É muito difícil acompanhar o cotidiano de um jurista, de um advogado ou de um juiz, e o cinema nos dá um acesso a esse bastidor: do que seria a vida de um jurista, a preparação, as questões éticas, todo o contexto que faz do trabalho ser tão importante para a sociedade”, menciona Julyana Moreira.

Ruthineia Pinho, acadêmica do 4º semestre, apresenta o trabalho sobre o “Discurso de ódio do filme Helter Skelter”. “Analisamos a forma de linguagem do discurso de ódio. O personagem principal do filme, Charles Manson tem tinha um enorme poder de persuasão e domínio na fala, na ideologia que pregava, na qual imperava o ódio, uma ideologia de discriminação de qualquer forma de classe social ou que incita o ódio racial ou antissemitismo como forma de intolerância”, menciona.

A estudante destaca que o filme propõe no âmbito jurídico a questão persuasiva e o poder argumentativo. “A filosofia de vida que o personagem desenvolveu em seu grupo de descriminados pela sociedade é impressionante. O julgamento do Charles Manson foi difícil, pois ele era uma pessoa de boa oratória e tinha calma para transmitir a mensagem às pessoas. Percebemos que esse poder de persuasão é muito importante tanto para o bem quanto para o mal”, ressalta.


Deixe seu Comentário

Leia Também

Mais de 700 doses da vacina contra a Covid foram aplicadas em Dourados
IMUNIZAÇÃO 
Mais de 700 doses da vacina contra a Covid foram aplicadas em Dourados
Forças de segurança de MS recebem 250 viaturas nesta sexta-feira
NA CAPITAL
Forças de segurança de MS recebem 250 viaturas nesta sexta-feira
COVID-19
Saúde de MS toma medidas para evitar "fura filas" da vacina
FUTEBOL INTERNACIONAL
Zidane é diagnosticado com o novo coronavírus, diz Real Madrid
Ferido, Tamanduá-mirim é capturado em região central de Bela Vista
REGIÃO
Ferido, Tamanduá-mirim é capturado em região central de Bela Vista
IMUNIZAÇÃO
Distribuição de vacinas da AstraZeneca deve começar neste sábado
TRANSPARÊNCIA COVID
Sistema com relação de imunizados em Dourados será publicado nesta sexta
LEI 4.570
Moradia às vítimas de violência doméstica passa a valer em Dourados
STF
Ministra estende licença-maternidade para mãe de bebê internado desde nascimento prematuro
REGIÃO
Homem é preso por tráfico de drogas e corrupção de menores

Mais Lidas

DOURADOS
Segundo corpo encontrado às margens da BR-163 é identificado
VIAGEM SANTA
PF deflagra operação contra tráfico de drogas em empresas de turismo religioso de Dourados
DOURADOS
Um dos corpos encontrados às margens da BR-163 foi quase decapitado
DOURADOS
Alvo da PF, empresário foi preso com armas e fortuna ao sofrer atentado em 2019