Menu
Busca domingo, 12 de julho de 2020
(67) 99659-5905
DOURADOS

Licitação que vendeu folha do município por R$ 22,7 milhões teve 167 lances

26 novembro 2019 - 10h15Por André Bento

A licitação realizada pela Prefeitura de Dourados na semana passada para contratar banco que faça o processamento da folha de pagamento do município teve 167 lances até a proposta vencedora, de R$ 22.760.000,00, feita pelo Banco Bradesco S.A para assumir esse serviço em regime de exclusividade pelos próximos cinco anos.

De acordo com a ata do Pregão Presencial nº 2/2019, a sessão foi instalada às 8h de sexta-feira (22) e na fase inicial o Itaú Unibanco S/A saiu na frente, ao propor R$ 9.350.000,00. O Banco Santander (Brasil) S.A propôs R$ 9.342.000,00, e o Bradesco R$ 9.341.760,00.

No edital, a prefeitura estabeleceu valor mínimo a ser ofertado estimado em 0,495% do valor bruto da folha pelo período de vigência do contrato, de R$ 9.341.756,77. Havia sido detalhado que em setembro a folha de pagamentos de 7.465 servidores totalizou R$ 31.481.618,11.

Após as propostas iniciais, foi iniciada a fase de lances e de negociação direta, liderada pelo Itaú até o lance de número 84, quando propôs R$ 16.920.000,00, ante R$ 16.890.000,00 do Santander e R$ 16.860.000,00 do Bradesco.

Dali em diante, por volta de 11h, o Itaú declinou e a disputa passou a ser polarizada entre Bradesco e Santander, até o lance de número 167, quando o primeiro ofertou R$ 22.760.000,00 e o segundo declinou.  

O resultado foi avaliado como excepcional pelo secretário municipal de Fazenda, Carlos Francisco Dobes Vieira, segundo quem o gerenciamento das contas do município, item previsto no lote 2 da licitação, que restou deserto, sem propostas, deverá ser delegado mediante convênio com Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal.

“Geralmente essas instituições financeiras estatais não entram em licitações. Mas por questão de transparência entendemos que seria salutar ter esse lote. Agora a gente vai ver quais sãos as melhores taxas para celebrar convênio”, detalhou.

De acordo com o gestor das finanças municipais, a expectativa é que haja tempo hábil para o Bradesco fazer o pagamento a vista dos R$ 22,7 milhões ainda na primeira quinzena de dezembro. Isso deve garantir o 13º salário integral do funcionalismo público do município.

Embora haja prazo para recursos, a ata do pregão detalha que os representantes presentes das empresas participantes manifestaram desinteresse de recorrer.

Nesta terça-feira (26), foi publicado no Diário Oficial do Estado o resultado de julgamento do Pregão Presencial nº 002/2019, Processo: nº 328/2019. Assinado pela pregoeira Laryssa de Vito Rosa, detalha que o certame para contratação de instituição bancária para serviços de processamento da folha de pagamento e gerenciamento das contas movimento do Município de Dourados-MS teve como vencedora e adjudicatária no lote 01, a proponente Banco Bradesco S.A. Já o Lote 02 restou deserto, ficando assim, sem atendimento neste certame.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Habilidades socioemocionais poderão ajudar na reabertura das escolas
MS
Traficantes fogem e polícia apreende 600 kg de maconha em Bonito
CORUMBÁ
Carro de dona de restaurante assassinada é encontrado pela polícia
REGIÃO
Assentado é autuado em R$ 7 mil por desmatamento ilegal de vegetação protegida de Mata Atlântica
CORUMBÁ
Dona de restaurante é encontrada morta no estabelecimento
MS
Jaguatirica é capturada em residência no centro da capital
CAMPO GRANDE
Homem pergunta por crianças e é morto a facadas por ter sido considerado pedófilo
REGIÃO
Incêndio destroi casa em Fátima do Sul
ESPORTES
Wellington Silva, do Fluminense, testa positivo para Covid-19 e está fora da final do Carioca
REGIÃO
Metade dos leitos de UTI de MS está ocupado

Mais Lidas

ACIDENTE DE TRABALHO
Douradense morre após ser atingido na cabeça por peça de elevador de 20kg
DOURADOS
“Ele não conseguiu terminar o último plantão”, diz esposa de médico vítima da Covid
PANDEMIA
Em dia com quase 100 novos casos, Dourados tem mais uma morte por coronavírus
PANDEMIA
Pesquisadores veem medidas sem efeito e sugerem lockdown em Dourados