Menu
Busca segunda, 25 de outubro de 2021
(67) 99257-3397
DOURADOS

Populares divergem sobre flexibilização dos parques, fechados há seis meses

28 setembro 2020 - 12h15Por Jessica Beatriz

Os parques municipais de Dourados estão fechados desde o dia 20 de março de 2020, devido ao decreto n° 5.129, que declarou situação de emergência no município para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Seis meses depois, opiniões de populares sobre a normativa da Prefeitura Municipal se divergem.

Neste período, a administração municipal flexibilizou algumas medidas adotadas no decreto citado para locais com grande fluxo de pessoas, por exemplo, o horário de funcionamento do comércio foi estendido e as academias puderam voltar a atender diariamente, seguindo regras de higiene. Entretanto, os parques continuam fechados. 

Na manhã desta segunda-feira (28), a reportagem do Dourados News foi às ruas para saber a opinião de pessoas que costumavam utilizar os parques para praticar atividades físicas. Na rua Mohamad Hassan Haji conversou com Adriana Ribeiro, que estava caminhando sozinha pela via.

Ao ser questionada sobre o que achava dos parques continuarem fechados, ela que antes da pandemia frequentava o Parque dos Ipês, foi direta e disse, “Eu sou a favor do fique em casa”. Para Adriana, o fato desses locais estarem fechados ajuda para que as pessoas permaneçam em casa ou se exercitem sozinhas, como ela estava fazendo.

Na parte externa da praça do Parque Alvorada, Thaís Siqueira também caminhava sozinha. Questionada sobre o assunto, ela relatou que fora do recinto sempre têm várias pessoas andando, principalmente nos dias de feira, o que dificulta a prática de atividade física e acaba aglomerando mais pessoas.

A jovem, que já frequentava a praça antes da pandemia, também comentou que discorda do fato dos locais estarem fechados, uma vez que vários outros estabelecimentos com fluxo de pessoas já foram liberados. “Não faz sentido abrir outras coisas e o parque que é ao ar livre continuar fechado”, disse Thaís.

Nas imediações da praça, dois casais caminhavam juntos, todos de máscara e com álcool em gel em mãos. Sandra Betoni e o esposo, Walmir Betoni, relataram que não teriam coragem de frequentar a praça mesmo se tivesse aberta. “A gente precisa ter atividade física, mas teria que ter um acompanhamento do número de pessoas dentro”. Para eles, seria necessário mais segurança para reabrir o local.

Após reportagem recente do Dourados News, alguns internautas também deram opiniões sobre o fechamento desses locais. Identificada como Michelle Do Emerson comentou, “Absurdo isso, bares pode ficar abertos e parques não! Aff”. Enquanto outro Luiz Alencar deixou o comentário, “Botecos, bares mercados, shopping abertos, locais para exercícios físicos e brincadeira de crianças fechado”.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Conselho de Ética da UEMS prorroga inscrições para candidatos a eleição
Membro do PCC é o quarto preso de bando que roubou três aviões
NÚMEROS DA PANDEMIA
Média móvel de mortes por Covid completa 2 semana abaixo de 400
Homem morto em troca de tiros era especialista em invadir comércios
CAMPO GRANDE
Homem morto em troca de tiros era especialista em invadir comércios
MERCADO FINANCEIRO
Dólar comercial cai para R$ 5,55 em dia de ajustes no mercado
CAPITAL
Homem é suspeito de estuprar enteada durante idas da esposa à igreja
EDUCAÇÃO
MS lança programa para melhorar alfabetização da rede pública
PÓS TEMPORAL
Há quase 48h sem energia, moradores relatam dificuldades em bairro de Dourados
PORTO MURTINHO
Homem morre após perder controle de direção e cair em ribanceira
AÇÃO PARLAMENTAR
Simpósio aborda uso de tecnologias para área da Engenharia de Agrimensura

Mais Lidas

CÁRCERE PRIVADO
Tentativa de sequestro a criança termina com jovem preso em Dourados
CLIMA
Vendaval atinge Dourados e deixa rastro de destruição
ACIDENTE
Morto em acidente na BR-163 voltava de festa em Caarapó
DOURADOS
Vento supera 40 quilômetros por hora e grande perigo de tempestade inicia de tarde