Menu
Busca sexta, 23 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
DOURADOS

Em live no Instagram, curso de Psicologia fala sobre isolamento social, sofrimento psíquico e pandemia

24 setembro 2020 - 13h25Por Da Redação

Com a ausência de tratamento farmacológico capaz de curar a infecção pela Covid-19 e até mesmo de prevenção imunológica por meio de vacina, o mundo todo passa por medidas de saúde pública como principal forma de controle da pandemia, tanto o aumento da higiene, quanto a restrição de contato entre a população são realidades. Nestes casos, o sofrimento psíquico causado pelo isolamento social que a pandemia exige vem sendo tema de grandes debates, como foi o caso do curso de Psicologia da Unigran que realizou uma live transmitida pelo Instagram para abordar o Setembro Amarelo em Prol da Vida.

A coordenadora do curso, Ticiana Araujo da Silva, e o professor Carlos Valiente, fizeram um bate-papo para relatar como o isolamento social e a pandemia vêm afetando no sofrimento psíquico das pessoas e o que é necessário para diminuir os impactos na saúde mental.

“Somos seres sociais, de afeto, de laços, de relações, e o fato de ficar forçadamente isolado, por conta da pandemia, afeta diretamente o nosso psiquismo e a nossa forma de ver o mundo, porque convivemos com outras pessoas, fortalecemos os laços de afeto”, mencionou Ticiana Araujo.  A psicóloga ressaltou o fato de que, além de ser uma obrigação, o isolamento social é uma consciência pessoal, pois se faz necessário para diminuir o risco de contágio.

Para que os impactos sejam amenizados, é preciso, de alguma forma, preservar os laços, como não se desconectar das pessoas. “Mesmo que, fisicamente, não podemos nos encontrar, estar presente, abraçar, agrupar, aglomerar, que não percamos de vista esses afetos. Podemos telefonar para um amigo, conversar nas redes sociais, fazer chamada de vídeo entre familiares, há algumas saídas para que possamos se conectar com o outro”, disse.

Além disso, a professora acredita que é fundamental que se faça uma certa “higiene mental”, que pode ser ouvir uma música que remete alegria, um momento bom e prazeroso na vida, uma atividade física, e até mesmo uma boa alimentação. 

A psicóloga salientou que outro problema é que, além da crise da pandemia, as pessoas precisam enfrentar a crise econômica. Além de estarem isoladas, as pessoas estão sofrendo por conta de uma perda em termos financeiros o que, com certeza, impacta a sociedade em geral. “Temos que apostar que vamos conseguir passar por isso tudo, e vamos sair mais fortalecidos. Temos que encontrar chaves em algumas portas de esperança e projetarmos alguma coisa para o futuro. Importante nos mantermos com um certo equilíbrio para que, no futuro, consigamos retomar o rumo das nossas vidas de uma forma mais livre”, finalizou Ticiana Araujo.

Ações Setembro Amarelo

Durante o mês de setembro estão sendo realizadas diversas atividades pelo curso de Psicologia da Unigran em plataforma on-line, como a ação social #LigaçãoDeAMOR, ciclo de palestras e roda de conversa interativa sobre o tema.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORUMBÁ
Homem é assassinado a golpes de faca no abdômen e na cabeça
POLÍTICA
Nelsinho Trad recebe do Dnit garantia de R$ 41,2 milhões para obras em MS
POLÍCIA
Homem é preso após subornar policiais militares com "corrente de ouro"
SAÚDE
Profissionais da maternidade do HU recebem curso sobre imunização
CAPITAL
Motorista de carro que bateu em carreta morre após parada cardiorrespiratória
TECNOLOGIA
WhatsApp agora permite silenciar conversas e grupos; veja como fazer
TRIBUNAL DO JURI
Sobrinho que matou tio a tiros em conveniência sai livre de julgamento
JUSTIÇA
Lote de habitação popular deve ser quitado com falecimento de beneficiário
REGIÃO
PF prende golpista que enviou molho de tomate a cliente que pagou por celular
BRASIL
Censo mostra que ensino a distância ganha espaço no ensino superior

Mais Lidas

DOURADOS
Carona de motociclista que morreu em acidente com carreta corre risco de ter perna amputada
DOURADOS
Vítima de acidente na Marcelino Pires morre na mesa de cirurgia
FEMINICÍDIO
Agredida a tijoladas, mulher morre em Dourados após nove dias de internação
POLÍCIA
Carona de motociclista que morreu em acidente é transferida para o Hospital Universitário