Menu
Busca terça, 26 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Divulgada pesquisa de preços dos materiais escolares em Dourados

11 janeiro 2010 - 17h00

Faltando menos de um mês para o inicio do ano letivo, pais de alunos já se preparam para comprar o material escolar. O PROCON realizou entre os dias 07 e 08 de janeiro, uma pesquisa de preços envolvendo nove papelarias com análise de 74 itens. 

O órgão de defesa e proteção do consumidor teve como base listas de materiais escolares  fornecidos pelas instituições de ensino da rede pública e privada do município. Com o levantamento, foi constatada uma grande variação de preço, obtendo uma média de 160% entre os estabelecimentos.  

Entre os itens analisados que tiveram uma diferença considerável está o apontador de lápis simples sem deposito, variando de R$ 0,05 a R$ 0,35, mais de 600%. O mesmo ocorreu com a lapiseira, podendo ser encontrada de R$ 0,50 a R$ 3,30, com diferença de 561% e o fichário sem divisórias que pode ser encontrado de R$ 3,99 a R$ 26,00, com variação de 552%.
Os preços dos produtos podem ter variações consideráveis de um estabelecimento para outro, inclusive durante as promoções. “O consumidor deve fazer uma pesquisa em vários estabelecimentos, negociar descontos e prazos para pagamento. A compra em conjunto pode facilitar as negociações”, ressaltou o Diretor do Procon de Dourados, Rosemar Mattos Souza.
LISTA DE MATERIAL ESCOLAR
Em Dourados vigora a lei nº. 2.617 de 25 de novembro de 2003, que proíbe as escolas de pedirem materiais de uso comum, como produtos de higiene e limpeza. Além disso, as instituições de ensino são proibidas de indicarem determinados estabelecimentos comerciais para os pais, como forma de favorecer esta ou aquela empresa.
O Procon alerta ainda que o material pode ser entregue em parcelas e que os pais devem fiscalizar a utilização até o fim do ano letivo. No caso de sobra, os pais podem requerer parte do material. Entre os materiais que não fazem parte dos pedidos pela escola estão: álcool hidrogenado, estêncil, papel ofício (230x330), algodão, fitas decorativas, bolas de sopro, canetas para lousa, giz branco e colorido, copos descartáveis, grampeador, grampos, creme dental, lenços e pratos descartáveis, disquetes, CD’s, medicamentos, sabonetes, esponja para pratos, papel convite, tonner e fita para impressora.
Segundo Rosemar, diretor do órgão, o PROCON notificou os estabelecimentos que emitiram lista em desacordo com a lei Municipal para se adequarem imediatamente. Qualquer irregularidade em relação à lista e valores de materiais escolares os pais devem procurar o Procon, localizado na Rua Joaquim Teixeira Alves, 772, ou através do telefone 3423-1184 e 151.





Veja aqui

Deixe seu Comentário

Leia Também

BR-262
Veículo furtado na Bahia é recuperado durante barreira sanitária
LADÁRIO
Liminar derruba decreto que previa orações e jejum na pandemia
ESTRELA DO SUL
Adolescente planta maconha no quintal da avó e acaba apreendido
SENTENÇA
Justiça determina que morador cumpra regras de construção de condomínio
COVID-19
Senado aprova requisição obrigatória de leitos privados pelo SUS
AGRESSÕES
Após ordem judicial, “Pedreiro Assassino” é transferido para Instituto Penal
AVANÇO DA PANDEMIA
Brasil registra 1.039 mortes por Covid-19 em 24 horas e total chega a 24,512
JUSTIÇA
Consumidor será indenizado por protesto de débito já quitado
SAÚDE
Sul-Mato-Grossense Aracy Balabanian é internada com insuficiência respiratória
CAPITAL
Foragido morre em hospital após ser esfaqueado na rua, mãe reconhece

Mais Lidas

DOURADOS
Prefeitura estende toque de recolher em 2h em Dourados
PANDEMIA
Dourados tem mais de 150 casos de Covid-19 e secretário diz ser assustadora a crescente na região
PANDEMIA
Dois meses após decreto de emergência, Dourados confirmou 127 casos de Covid-19
PANDEMIA
Número de pacientes internados por coronavírus em Dourados sobe 50% em 24h