Menu
Busca terça, 27 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
DOURADOS 82 ANOS

Délia fala das dificuldades no início de mandato e projeta 2018 "mais tranquilo"

Délia Razuk faz balanço do 1° ano de gestão e fala de desafios; Confira:

20 dezembro 2017 - 07h30Por Gizele Almeida

A crise econômica que assola os municípios do país também refletiu em Dourados e trouxe um 2017 de desafios a prefeita Délia Razuk (PR). No seu primeiro ano de mandato, ela cita que foi necessário “fazer gestão e elencar prioridades”. 

Em entrevista ao Dourados News para esse aniversário de 82 anos de emancipação política do Município, a chefe do executivo fez um balanço de sua administração e falou também sobre perspectivas futuras. 

Para ela, Dourados contou com importantes conquistas quanto ao serviço para a população como a abertura da PAI (Policlínica de Atendimento Infantil) e do Conselho Tutelar Leste. Neste ponto, ela cita ainda a inauguração de Centros de Educação Infantil Municipal. 

O interesse de novas empresas em investir no município, o projeto da ferrovia que ligará Dourados ao Porto Paranaguá (PR), negociações com companhias aéreas para atuarem no aeroporto regional, são algumas das perspectivas citadas pela prefeita que impactarão positivamente no desenvolvimento. 

Questionada sobre as dificuldades do ano, Délia Razuk aponta a greve dos professores da rede municipal de ensino, em especial, como uma situação bastante difícil e que almeja não ocorrer mais. 

A relação com o legislativo, é apontada por Délia como respeitosa e para 2018, ela diz não acreditar em embates entre os poderes. 

Para a prefeita, para os próximos anos é preciso continuar a priorizar investimentos em saúde, escolas e na malha viária, de forma a estruturar a cidade. 

Confira a entrevista na íntegra: 

Dourados News- Avalie o primeiro ano de mandato.

Délia Razuk- Foi um ano de grandes desafios, nós tivemos alguns enfrentamentos, mas tivemos conquistas. No início do ano, nós já inauguramos dois Centros de Educação Infantil Municipal e outros dois serão inaugurados no final do ano, nas escolas conveniadas são 1 mil crianças. O primeiro ano contou com conquistas significativas e os desafios são grandes, principalmente na área econômica. Nós recebemos um orçamento já definido da gestão passada e tivemos trabalhar com base nele, mas a situação financeira ruim não aconteceu só em Dourados, mas na maioria dos municípios do país e temos trabalhado para que o ano de 2018 seja de contas mais equilibradas. Outra conquista que destaco é a implantação da PAI (Policlínica de Atendimento Infantil), unidade que atende crianças de 0 a 12 anos e conta com psicólogos, nutricionistas, dentista, enfim um atendimento de qualidade e voltado para este público. Com foco no lazer, levamos serviços aos parques da cidade, investimos na pista de caminhada do Arnulpho Fioravanti e pretendemos em breve levar outras ações para o local. Fizemos a abertura da via Park ao Estrela Porã e com isso facilitamos o tráfego na região do grande Flórida. Com parceria do Governo do Estado que apesar de também passar por dificuldades financeiras atendeu nossas solicitações por Dourados e nos deu apoio, posso citar o término do asfalto do Distrito Industrial, recapeamento das grandes avenidas de Dourados, a Hayel Bon Faker, a Marcelino Pires, Weimar Gonçalves Torres e também no Estrela Hori. Há poucos dias entrou em funcionamento o novo Conselho Tutelar que apoiará o conselho tutelar centro para atender a demanda do município que já necessitava por muitos anos de outra unidade, uma luta antiga e de grande significado para nossa cidade. Foram ações que marcaram um primeiro ano de gestão. 


Policlínica de Atendimento Infantil iniciou as atividades este ano- Foto: Assecom D.N- Quais as principais dificuldades encontradas nesse período?

D.R- Como citei, a dificuldade financeira, foi necessário reduzir despesas, fazer uma gestão firme. A greve dos professores nos machucou bastante. Acho que para qualquer gestor é difícil já no primeiro ano enfrentar uma greve de professores. A classe merece todo reconhecimento, mas ao gestor, cabe a responsabilidade de saber até quanto ele pode investir em cada setor, pois, tivemos que lidar com o orçamento limitado e foi necessário responsabilidade para gerenciar o recurso da melhor forma possível.  Infelizmente ocorreu a greve que não é bom para a categoria, nem para nós gestores, muito menos para pais e alunos, acreditamos que nos próximos anos não se repetirá. 

D.N- Como a prefeita tem articulado para que não ocorra outros embates entre a administração e o funcionalismo público?

D.R- Estamos em constantes conversas com os sindicatos, pois, estas entidades representam os servidores públicos e quero resolver da melhor maneira possível essas questões que ainda estão pendentes, por exemplo, plano de cargos e carreiras e alguns outros ajustes que ainda vamos fazer e seguiremos a tratar com os sindicatos a respeito disso.  

D.N- Em relação às finanças do município, há previsão de 2018 melhor?

D.R- A nossa vontade é que sempre melhore e estamos trabalhando para isso. Esse ano foi de muitas economias e isso refletirá positivamente no ano que vem. Quando nós entramos, fizemos pagamentos da gestão passada e a partir do próximo ano, vamos trabalhar para cumprir os nossos compromissos. Já estamos fazendo um trabalho para que a nossa arrecadação melhore e destaco medidas que tivemos que tomar como economia de combustível, economia em aluguel, escalonamento de salários. Só na Secretaria de Educação tínhamos dois prédios locados e estamos provisoriamente no pavilhão Dom Teodardo Leitz, mas já temos recurso para construção da sede própria da Secretaria de Educação e para 2018 ou 2019 isso deve ser realidade. Há a necessidade de se fazer gestão, redirecionar recursos para situações que não podem ter adiamentos.  

D.N- No início a senhora ‘sofreu’ com a oposição da Câmara, atualmente a situação é mais tranquila em relação a base aliada. Acredita que isso será primordial para que 2018 seja, digamos, menos difícil politicamente falando?

D.R- A harmonia entre os poderes é fundamental. A minha responsabilidade é a mesma dos vereadores de representar e trabalhar pelo povo, então, penso que não pode haver discordâncias extremas, tem que ter debates sim, mas as ações precisam ser direcionadas com responsabilidade e foco na qualidade de vida da população e desenvolvimento do nosso município. Não acredito que nós vamos ter embate, acredito que vamos ter diálogo e respeito como nós sempre tivemos tanto o Executivo quanto o Legislativo.  

D.N- Dourados está prestes a completar 82 anos e apesar da crise, existe a possibilidade de vários investimentos, entre eles a implantação da estrada de ferro até o Porto de Paranaguá (PR) e a ampliação do aeroporto, como você vê essas duas possibilidades?

D.R- A instalação da ferrovia e outras melhorias para o aeroporto são grandes perspectivas para nossa cidade. Temos ainda muitas empresas que estão se instalando no município, um exemplo é o Instituto Mackenzie que está se implantando aqui e vai assumir a gestão do Hospital Evangélico, isso para nós mostra o grande crédito ao potencial de desenvolvimento de nossa cidade. Temos a implantação da Coamo que acredito que já a partir de abril vá possibilitar a geração de mais de 2 mil empregos. Nós estamos buscando a implantação da Ferroeste e recentemente estive com minha equipe em São Paulo com os governadores de Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul para mostrarmos a produção de Dourados e trazendo essa ferrovia para cá, vai ser muito positivo para a economia. Vejo que o ramal ferroviário será capaz de projetar Dourados e Mato Grosso do Sul, juntamente com o Paraná, como a melhor alternativa de exportação da produção brasileira, estamos muito confiantes nesse projeto. Dourados é uma cidade que está em pleno desenvolvimento, o interesse dos investidores mostra isso também. A cooperativa Agroindustrial Alfa recentemente nos contatou e sinalizou a  busca de estruturar uma unidade de produção de suínos no município. O nosso abate diário de frango é mais de 100 mil por dia, nosso comércio é muito forte e um exemplo disso são as boas perspectivas em vendas para o final de ano, mesmo em meio a um momento difícil financeiramente no geral. 

D.N- Existem ‘conversas’ sobre novas companhias aéreas para atuarem por aqui?

Greve parcial na rede municipal de ensino durou mais de três meses- Foto: Gizele Almeida/ArquivoD.R- Estamos buscando parcerias com outras companhias aéreas, existem negociações nesse sentido. O que queremos é ampliar os serviços oferecidos e que futuramente seja possível ter queda de preço nas passagens, pois, sem monopólio, isso acontece. Uma grande conquista que tivemos neste ano foi conseguirmos praticamente zerar o cancelamento de voos, conseguimos equipar nosso aeroporto com instrumentos para aeronaves na categoria 3, o que melhorou a questão dos problemas de falta de visibilidade para pousos. 

 

D.N- O que o douradense pode esperar da administração Délia Razuk no ano que vem?

D.R- Muito trabalho!  Muito trabalho com muita responsabilidade e economia. O que nós nos propusemos fazer quando nos candidatamos de arrumar “nossa casa” continuará sendo feito. Precisamos arrumar nossas escolas, precisamos arrumar nossos postos de saúde, precisamos arrumar nossa malha viária, enfim, arrumar a nossa casa é a prioridade e pelo potencial de Dourados os grandes projetos vão acontecendo como a ferroeste, investimentos no nosso aeroporto, parcerias com grandes empresas que visam atuar aqui, e também vamos fazer o possível para que Dourados chegue no patamar de desenvolvimento que a cidade merece.  

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BATAGUASSU
Homem esfaqueia marido da ex por não aceitar fim de relacionamento
OBSERVATÓRIO DO CLIMA
Fundo Amazônia tem R$ 2,9 bilhões paralisados pelo governo Bolsonaro
MEIO AMBIENTE
Dois são autuados por derrubada de árvores para exploração de madeira
EDUCAÇÃO
Sesi/MS oferece aulão online gratuito preparatório para o Enem
CASSILÂNDIA
Cliente não paga conta de bar e atira contra o comerciante
EVENTO
VI Encontro Estadual de Juízes dos Juizados Especiais será em novembro
CRIME AMBIENTAL
Paranaense é preso com pescado abaixo da medida e acima da cota
ESPORTE
Piso no Guanandizão para a Supercopa de Vôlei começa a ser montado
TRÁFICO
Polícia Federal prende mecânico com 85 quilos de cocaína em Dourados
OPERAÇÃO SERÁ
Polícia tenta localizar possíveis músicas inéditas de Renato Russo

Mais Lidas

GRANDE DOURADOS
Cobertura de barracão de cerealista ‘voa’ com o vento; veja vídeo
DOURADOS
Guarda encerra festa organizada por adolescente em plena pandemia, apreende droga e até arma artesanal
DOURADOS
Délia decreta emergência por causa de danos provocados pela tempestade
TEMPESTADE
Chuva e ventos de 46km/h derrubam árvores e levam sujeira às ruas de Dourados