Menu
Busca sábado, 18 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
SAÚDE

Comissão confirma dívida milionária e dá prazo para HE deixar de atender

29 julho 2014 - 18h55

Uma comissão formada por oito pessoas responsáveis por setores diferentes do Hospital Evangélico confirmaram no final da tarde desta terça-feira (29) o que o Dourados News já havia divulgado desde o início da manhã. A dívida acumulada pela unidade hospitalar e o Hospital da Vida, que fazem parte da mesma gestão, chega a R$ 40 milhões. Mais da metade do valor, R$ 25 milhões, contraídos nos últimos três anos.

De acordo com Demetrius Pareja, que há 25 anos trabalha no local, os repasses mensais feitos pelo poder público geram uma conta deficitária de aproximadamente R$ 1,2 milhão/mês e já avalia um prazo para que a unidade deixe de atender a população: 60 dias.

“Esse é o prazo caso nada seja feito. Hoje, recebemos pelos dois hospitais, R$ 5,5 milhões e nossas despesas são de R$ 6,7 milhões. O que chega do poder público gira em torno de R$ 4 milhões – governos estadual, federal e municipal – e o restante são de convênios e particulares. Então, se não houver uma melhoria nos repasses e na tabela SUS (Sistema Único de Saúde), esse é o prazo para paralisar as atividades”, disse Pareja, negando que o problema para o caos financeiro seja de gestão.

“A gestão é a mesma de anos atrás, então o problema não são eles [os gestores]. Se analisarmos bem, houve aumento do quadro de funcionários, aumentos no salário mínimo, inflação... e a tabela SUS, a qual estamos vinculados, não teve esse acréscimo linear. Ela apresenta aumento de valores, mas não acompanha a ‘inflação hospitalar’, que é mais ampla que a normal”, contou.

Em relação à solução, Demetrius disse que não a outra medida a ser tomada além da revisão do financiamento na saúde. Conforme dito por ele, há três anos a instituição tem tentado solucionar o problema através de contato com o poder público, mas sem sucesso.

“Dourados é a segunda cidade do Estado e cuida de mais de 752 mil vidas de diversos municípios, enquanto Campo Grande atende 1,2 milhão. Mas, o financiamento da Capital é algo em torno de R$ 40 milhões, só para os hospitais. Então, existe uma disparidade muito grande nos valores repassados. O Estado só destina R$ 1,5 milhão para o município”, comentou durante a entrevista na sede do Conselho Municipal de Saúde.

Dos R$ 40 milhões em dívidas, 1/4 deve ser quitado a curto prazo. Nesse total estão incluídos encargos trabalhistas, em torno de R$ 3 milhões, fornecedores e até cheques sem fundos. Porém, segundo a comissão, os salários dos funcionários do hospital estão em dia.

MOBILIZAÇÃO

Diante da sinalização de um possível fechamento, funcionários dos dois hospitais preparam uma mobilização na tarde de quinta-feira (31) em Dourados. A atividade está agendada para as 13h na frente do Evangélico com saída em passeata pelas ruas da região central da cidade.

Em seguida o grupo se concentrará no Hospital da Vida, que retornará à administração municipal ainda neste segundo semestre.

“Estamos tentando chamar a atenção para que não possamos fechar um hospital deste tamanho e que emprega mais de 1 mil famílias. Esse é um movimento por parte dos funcionários e que realmente serve para esse fim”, finalizou.

Na manhã desta terça-feira, o Dourados News divulgou que o mais antigo hospital de Dourados e referência para toda a região e parte do Paraguai, corria o sério risco de ter suas portas fechadas por conta da dívida milionária.

Durante reunião na noite de segunda-feira (28), diretores do Hospital Evangélico chegaram a afirmar que a situação financeira atual seria de ‘calamidade’ e a mais delicada das últimas décadas.

INDICATIVOS

Esta não é a primeira vez que o HE deixa transparecer a crise financeira este ano. Algumas manifestações envolvendo funcionários por conta de atrasos de salários já evidenciavam o caos financeiro do local.

No início de 2013, a direção da unidade também enfrentou problemas com a ala de oncologia do Hospital do Câncer, setor terceirizado que recebia os repasses via hospital.

Naquela ocasião, os financiamentos adquiridos pela unidade junto a bancos, impedia que os repasses feitos pela saúde, chegassem ao destino final, que era o pagamento dos serviços prestados.

Foto: Rodrigo Bossolani

Deixe seu Comentário

Leia Também

Jovem de 19 anos morre em acidente com motocicleta
CAPITAL
Jovem de 19 anos morre em acidente com motocicleta
TELEFONIA
Governo edita decretos para tentar destravar licitação do 5G
Casal é preso por golpe ao vender carro alugado e alegar "furto"
Fundação de Cultura seleciona artesãos para participar de duas Feiras
OPORTUNIDADE
Fundação de Cultura seleciona artesãos para participar de duas Feiras
Grávida, Geisa Oliveira, ex seleção de basquete, morre aos 42 anos
CAMPINAS
Grávida, Geisa Oliveira, ex seleção de basquete, morre aos 42 anos
DOURADOS
Faculdade Intercultural Indígena publica moção contra o marco temporal
FOGO AMIGO
Militar baleado ao defender mulher na rua recebe alta de hospital
ESPORTE
Dourados enfrenta Miranda na semifinal da Copa Morena neste sábado
PARAGUAI
Com mandado de prisão em abertos, brasileiro é expulso do Paraguai
EDUCAÇÃO
UEMS regulamenta retomada gradual das atividades presenciais

Mais Lidas

DOURADOS
Após denúncias, casal é preso por tráfico no Jardim Guaicurus
24 HORAS DE VACINA
Dourados terá 'viradão' da vacina para aplicar doses em cinco grupos
DOURADOS
'Trevo do DOF' terá viaduto de 40m e ficará pronto em oito meses
DOURADOS
Homem morre no hospital depois de ser atropelado na área central