segunda, 15 de julho de 2024
Dourados
10ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
JUNHO VERMELHO

Câmara e Associação de Surdos e Intérpretes participam de doação de sangue no Hemosul

21 junho 2024 - 12h23Por Da Redação

Em comemoração ao “Junho Vermelho”, mês de conscientização para doação de sangue, a Câmara de Dourados, por meio da Escola do Legislativo Professor Wilson Valentim Biasotto (ELED) e Associação de Surdos e Tradutores/Intérpretes Mãos Douradas (ASSIMD), realiza ação voluntária para incentivar a doação de sangue. A ação começou na quinta-feira (20) e nesta sexta-feira (21), no Hemocentro Regional de Dourados. 

O objetivo da ação é incentivar os servidores da Câmara e os surdos a se tornarem doadores regulares de sangue e aumentar o banco de sangue do Hemocentro Regional de Dourados.

Aurelio da Silva Alencar, é servidor da Câmara e intérprete de Libras, ele está acompanhando o grupo de surdos que foram voluntariamente fazer a doação de sangue. Aurelio conta que essa é a primeira vez que ele consegue reunir o grupo. “Infelizmente o hemocentro não conta com profissional de Libras para atender os surdos, e por isso, eles não conseguem realizar a doação, mas essa é a primeira vez que conseguimos trazer parte da ASSIMD e tenho certeza que daqui pra frente teremos mais inclusão na doação de sangue”.

Fernanda Brito é fiscal da ASSIMD, ela é surda e conta que é a primeira vez que consegue realizar a doação. “O surdo quando vem até o Hemosul ele está sozinho, então é muito difícil fornecer as informações necessárias aos profissionais de saúde, a entrevista antes da doação é toda em português e são muitas perguntas, se o surdo vem sem acessibilidade, não tem como responder. Por isso, é importante que sejam feitas essas campanhas para que o intérprete venha junto, e para que a gente também consiga realizar a doação de sangue”.

O presidente da ELED, o vereador Sergio Nogueira (PSDB), doa há mais de 35 anos. O vereador esteve no Hemosul e também realizou a sua doação. “Nós aprovamos o projeto de lei que criou o cidadão sangue bom, justamente para incentivar nossos servidores e também a sociedade a cada vez mais ser um cidadão consciente, que ajude ao próximo. É gratificante ver os resultados da campanha”.

Márcia Regina Tinós é gerente do Hemosul e explica sobre a importância do “Junho Vermelho”. “Nesse período do ano o estoque de sangue diminui, por conta das doenças respiratórias, do inverno, das férias escolares, então as campanhas são de fundamental importância para que não falte sangue em nosso estoque, e por isso, convidamos quem puder para vir fazer a doação, não só durante o mês de junho, mas durante todo o ano”.  

Piedra dos Santos Roza, é assistente social da Câmara e conta que doa sangue desde os 16 anos, e que começou para ajudar uma amiga.  “Eu comecei doando por conta de uma amiga, e fui criando amor pela doação. Já doei doze vezes e sempre convido meus amigos e colegas para doarem também”.

 

O que é preciso para doar sangue?

·         Apresentar documento oficial com foto;

·         Estar em boas condições de saúde, não estar gripado ou com outra infecção;

·         Estar descansado e alimentado;

·         Ter entre 16 e 69 anos de idade

·         O limite de idade para a primeira doação é de 60 anos, 11 meses e 29 dias;

·         Menores entre 16 e 17 anos de idade podem doar com acompanhamento e autorização do responsável legal;

·         Pesar no mínimo 51 kg.

 

Quem não pode doar?

·         Quem teve hepatite após 11 anos de idade;

·         Doença de Chagas, Câncer, Sífilis;

·         Pessoas infectadas com HIV e seus parceiros;

·         Homens e mulheres com parceiro (a) eventual ou múltiplos parceiros sexuais, que mantêm relações com ou sem o uso de preservativo;

·         Pessoas que compartilham seringas;

·         Pessoas que fazem uso de drogas injetáveis ilícitas.

 

Deve aguardar para doar sangue:

Um ano para quem fez transfusão de sangue.

 

Doador paga meia

Doadores regulares de sangue têm direito à meia-entrada em eventos culturais, esportivos e de lazer, de acordo com a Lei Municipal nº 5.200/2024, de autoria do vereador Laudir Munaretto.

Para ter direito, é necessário ser doador regular de sangue com cadastro nos hemocentros e nos bancos de sangue dos hospitais do Estado, sendo identificado por documento oficial expedido pela Secretaria de Estado da Saúde. 

Para ser beneficiário da Lei, o doador deverá apresentar a carteirinha ou documento válido emitido pelo Hemocentro na compra do ingresso, com comprovação de doação de sangue de no máximo noventa dias para homens e 120 para mulheres. 

Hemosul:

Endereço: Rua Oliveira Marques, nº 2535, Jardim Central – Próximo ao Hospital da Vida.

Horário:

·         Segunda, quarta, e sexta-feira, das 07h às 12:30;

·         Terça e quinta-feira, das 07h às 12h, e das 13h às 17h;

·         Último sábado de cada mês, das 07h às 12h.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE

Homem aceita 'swing', surta ao ver esposa com amigo e a agride

OPORTUNIDADE

Leilão da Receita tem nova edição com iPhones, vinhos e veículos

IVINHEMA

Mulher denuncia ex-marido e atual companheira por importunação

RURAL

BNDES vai disponibilizar R$ 66,5 bilhões para o Plano Safra

AQUIDAUANA

Jovem ferido se esconde de bombeiros que tentavam socorrê-lo

ECONOMIA

Primeiras notas do real vão sair de circulação; entenda por quê

Motociclista morre dois meses após ser atingido por veículo

POLÍTICA

Brasil chama embaixador na Argentina para consultas sobre Milei

Motorista que atropelou e matou motociclista é condenado

JUDICIÁRIO

Abin Paralela: Moraes retira sigilo de áudio de conversa de Bolsonaro

Mais Lidas

ABUSO SEXUAL

Homem é preso em flagrante acusado de estuprar sobrinha em Dourados

OPORTUNIDADE

Com recrutamento noturno, indústria abre 400 vagas de trabalho em Dourados

MS

Inscrições para o Curso de Libras EAD Nível I do 2º Semestre abrem dia 15 de julho

DOURADOS

Ministro admite atraso e prevê projeto de novo terminal do Aeroporto concluído até fim de julho