Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
TRANSPORTE PÚBLICO

Aumento da tarifa deve ser definido em um mês

Aumento da tarifa de transporte público deve ser definido em um mês

07 dezembro 2017 - 17h20Por Gizele Almeida

Na tarde desta quinta-feira (07), ocorreu uma audiência pública no CAM (Centro Administrativo Municipal) para debater sobre reajuste na tarifa do transporte público de Dourados. A empresa responsável, Medianeira Dourados, sugere um novo valor de R$ 3,66. A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) informou que o prazo para definir sobre o reajuste é de 30 dias em média. 

O gerente da empresa, Marcelo Saccol, realizou uma apresentação de forma a explicar sobre a necessidade do reajuste, o qual segundo ele, não ocorre desde agosto de 2015. 

Com dados sobre aumento do combustível, custos de rodagem, manutenção, impostos, entre outros, o valor proposto pela empresa é de R$ 3,66. O atual é R$ 3,00. 


“O valor viável a ser praticado na cidade hoje, conforme acusou a planilha seria de R$ 3,66, isso com dados de agosto deste ano e sem a discussão salarial aplicada de 2017. Quem vai colocar o preço de valor de tarifa é o município, acredito que vai haver o princípio da razoabilidade”, pontuou. 

O gerente afirma que o cálculo é feito com base em uma planilha elaborada por técnicos de transporte e por especialistas das principais prefeituras e universidades do Brasil. Quanto ao novo valor, ele diz não incluir “o debate sobre o acordo coletivo e toda discussão salarial que vai acontecer a partir de agora e ficará posteriormente para próxima tarifa”. 

O diretor da Agetran, Carlos Fábio Selhrost, disse que a audiência pública foi positiva. Para ele, o reajuste será inevitável, no, entanto será feita uma análise da Agência para direcionar o percentual do reajuste. 

“A questão do aumento será discutida para quanto será. Não vai ser de uma vez pois irá atingir a população que mais necessita e usa esse transporte. A equipe técnica vai avaliar os valores, é indiscutível que terá que ocorrer o reajuste pelo período sem aumento, mas vamos estudar uma forma para que seja bom para os dois lados (população e empresa)”, citou. 

O prazo citado pelo diretor para definições é de um mês em média. 

Outro ponto colocado pelo gerente da Medianeira que impacta na necessidade de reajuste é a grande quantidade de passageiros beneficiados com descontos ou gratuidade integral em Dourados. 

“Gratuidades e descontos pesam no custo da tarifa. Em Dourados, conforme cálculo tarifário os gratuitos representam 42% dos passageiros. Levando-se em conta a tarifa de R$ 3,66, hoje apurada, estes passageiros representam R$ 1,53 no valor tarifário”, explica. 

Serviço

Questionado sobre o serviço prestado pela empresa ao município, o diretor apontou como “razoável”. 
“O serviço está razoável, tem algumas falhas estamos propondo a empresa para que esteja resolvendo. A Agetran seguirá fiscalizando e buscando o melhor para nossa sociedade”, disse. 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Jovem é abordado e confessa trabalhar com ‘disk-droga’
ECONOMIA
Receita começa hoje a enviar cartas a contribuintes na malha fina
CIDADES
Detran dá início a obras de sinalização viária em oito municípios de MS
INFORME PUBLICITÁRIO
Reforço na União Pneus garante maior resistência para trabalhos no campo
ELIMINATÓRIAS
Após lesão de Fabinho, Allan está convocado para a Seleção Brasileira
DEEP CAUGHT III
Operação mira novamente pedofilia na internet em MS
DOURADOS
Dono de lanchonete reage e consegue tirar faca de assaltante
LEGISLATIVO DE MS
Pautados para a Ordem do Dia desta quinta-feira quatro projetos
DOURADOS
Homem morre no Hospital da Vida cinco dias após queda de moto
BR-267
Jovem é flagrada transportando droga presa ao corpo em MS

Mais Lidas

DOURADOS
Enquanto filma chuva, interno mostra ‘plantação’ de maconha em cela da PED
BR-463
Homem para carro em bloqueio, desce atirando e morre em confronto com a polícia
PANDEMIA
Menino de 5 anos é a primeira criança a morrer de coronavírus em MS
PROCURADO
Acusado pela morte de ator falsificou documento e disse ter nascido em MS