Menu
Busca domingo, 31 de maio de 2020
(67) 99659-5905
INFORME PUBLICITÁRIO

Armas de fogo, em mãos de pessoas de bem, não precisam atirar!

09 abril 2020 - 06h59Por Sérgio Ribeiro
A violência é bandeira obrigatória de qualquer partido político que deseje ocupar algum cargo eletivo, no entanto, embora seja um tema tão importante, pouco se fez até pouco tempo atrás para mudar o panorama. Políticos, de maneira geral, usam o tema como trampolim para ganhar popularidade, mas se recusam a tomar medidas efetivas contra bandidos pois, via de regra, tais medidas são impopulares.
 
Até meados de 2019 o Brasil apresentava um crescimento médio de sua taxa de homicídios equivalente a 1,5% ao ano, tendo chegado próximo a 30 mortes violentas para cada 100 mil habitantes, equivalente aos países mais violentos do mundo, como ditaduras socialistas da América Central e a tão conturbada Venezuela. Em meio à análise destes números a população segue polarizada em relação à flexibilização do uso de armas, suscitando debates acalorados enquanto milhares de inocentes perdem suas vidas no país.
 
Eleito presidente em 2018, Jair Bolsonaro tratou de decretar a tão polêmica flexibilização das armas logo em sua primeira semana de mandato em 2019, incendiando ainda mais os debates e, é claro, provocando aquecimento no mercado armamentista brasileiro.
 
E o resultado logo começou a aparecer. Já no mês seguinte ao primeiro decreto houve queda de quase 40% no número de homicídios no país em relação ao mesmo mês de 2018, comprovando a eficácia das estatísticas de diversos países que atestam que qualquer sociedade tende a ser mais segura quanto maior for o acesso às armas por parte de seus cidadãos. 
 
O Brasil fechou 2019 registrando 22% menos homicídios em relação ao ano anterior. Os brasileiros se informaram, compraram mais armas, procuraram clubes de tiro, registraram-se no Exército e Polícia Federal e a violência foi reduzida sem que nem um tiro a mais fosse dado. A polícia recebeu suporte político para agir, provocando acuação automática de marginais, que passaram a pensar duas vezes antes de roubar ou assassinar.
 
Ainda estamos longe do ideal, mas parece que o país está, aos poucos, reencontrando o caminho da pacificação. Muitas vidas ainda serão perdidas, mas a cada indivíduo salvo já teremos motivos para comemorar.
 
Informe-se sobre as estatísticas que envolvem armas de fogo. Atualmente há esportes de tiro capazes de lhe deixar mais bem preparado que muitos atiradores de elite. Procure um clube de tiro e aproxime-se das pessoas que o frequentam. Você verá que são pessoas de bem, pacíficas, que se preocupam com o próximo e que, principalmente, estão sempre bem preparadas para defender seu patrimônio, sua vida e sua família.
 
Dourados conta com o maior complexo de tiro esportivo e defensivo do país, o C-TED Brasil, no centro da cidade, à rua Mato Grosso, 1587, fone (67) 99971-3790.
 
Visite o estande de tiro, a loja de armas e todas as opções de entretenimento que o clube oferece a todas as idades.
 
*Atirador esportivo, diretor operacional do C-TED Brasil Clube de Tiro e instrutor de Armamento e Tiro Credenciado à Polícia Federal

Deixe seu Comentário

Leia Também

DURANTE A PANDEMIA
Saiba quais foram as maiores lives musicais realizadas na internet
SOLIDARIEDADE
Ação de ONG leva roupas e itens de higiene para famílias de Campo Grande
BRASIL
Parques e igrejas de maior porte reabrem no DF na quarta-feira
CORRIDA ESPACIAL
SpaceX e Nasa lançam foguete com astronautas nos EUA
BRASIL
Cidade de São Paulo prorroga quarentena até 15 de junho
"RAÍZES"
Documentário sobre sacis filmado em MS tem estreia online em junho
EM MIRANDA
Mulher é estuprada após ser levada para quintal de residência
REDES SOCIAIS
Bolsonaro tira fotos sem máscara após ir a lanchonete em Goiás
NA CAPITAL
Criança fica ferida ao ser atropelada por moto em avenida de Campo Grande
RELAÇÕES INTERNACIONAIS
EUA anunciam mais US$ 6 mi para ajudar Brasil no combate à pandemia

Mais Lidas

DOURADOS
Protocolo é seguido e mulher vítima do coronavírus é enterrada sem despedida de familiares
PANDEMIA
Estado alerta que Dourados deve ser cidade com mais casos de Covid-19 na próxima semana
MAIORIA JOVENS
Vítima fatal da Covid-19 faz parte da faixa etária com mais casos da doença em Dourados
POLÍCIA
Homem encontrado morto sob a ponte do Calarge tinha 38 anos