Menu
Busca sexta, 04 de dezembro de 2020
(67) 99659-5905
DOURADOS

A três semanas das eleições, gastos de campanha somam R$ 400 mil entre candidatos a prefeito

25 outubro 2020 - 10h30Por André Bento

A três semanas das eleições municipais, com primeiro turno agendado para o próximo dia 15 de novembro, cinco dos sete candidatos a prefeito de Dourados declararam pouco mais de R$ 400 mil em gastos de campanha. Nenhum deles chegou perto ainda do limite estabelecido pela Justiça Eleitoral, de R$ 1.454.769,73.

Conforme o DivulgaCandContas, Barbosinha (DEM) é quem mais teve receitas e despesas até agora. O deputado estadual que lidera a Coligação “Reconstruir é o nosso desafio”, com Valdenir Machado (PSDB) de vice, já recebeu R$ 312.500,00 e gastou R$ 248.260,06.

Das receitas, foram R$ 300 mil da direção nacional do partido, R$ 10 mil do próprio bolso e R$ 2,5 mil de Michael Schreiber. No caso das despesas, R$ 48.200,00 correspondem a cessão ou locação de veículos, R$ 46.350,00 com pessoal, 41.139,50 em publicidade por materiais impressos, R$ 36.900,00 por adesivos, e R$ 26.369,36 em locação/cessão de bens imóveis.

João Carlos Joca (PT), que tem a correligionária Lurdes Castro de vice, soma a segunda maior receita entre os postulantes à chefia do Executivo municipal, R$ 130.000,00. Além dos R$ 90 mil injetados inicialmente pela executiva estadual do partido, houve R$ 8 mil do próprio bolso, R$ 30 mil da direção nacional e R$ 2 mil de Raquel Bressan de Souza.

Essa coligação gastou até agora R$ 25.920,00. São R$ 30 mil em baixas estimáveis, R$ 20 mil na produção de programas de rádio e televisão, R$ 4.560,00 na publicidade por materiais impressos, R$ 1.300,00 na produção de jingles, vinhetas e slogans, e R$ 60,00 de encargos financeiros, taxas bancárias.

Mauro Thronicke Rodrigues (PSL), empresário que encabeça a coligação majoritária com bancário João Fabiano Davansso de vice, segue com receitas declaradas de R$ 100 mil, montante recebido da direção estadual do partido.

Mas as despesas de campanha cresceram e agora somam R$ 74.560,00. A principal despesa até agora foi com pessoal, R$ 22.250,00. Outros R$ 20 mil foram gastos na produção de programas de rádio e televisão, mais R$ 15.500,00 no impulsionamento de conteúdo, R$ 5 mil com cessão ou locação de veículos, e R$ 4.310,00 na publicidade por materiais impressos.

Wilson Matos (PTB), candidato cujo vice é o professor Léo (PDT) e que conta com apoio declarado da prefeita Délia Razuk (sem partido), acumula R$ 64.052,50 em receitas. Além dos R$ 20 mil injetados inicialmente por ele mesmo, constam mais R$ 44.052,50 da direção estadual do partido, presidida pelo deputado estadual Neno Razuk, filho da mandatária do município.

As despesas declaradas pela Coligação “Igualdade para Todos” somam R$ 43.757,99, sobretudo com publicidade por materiais impressos, que já consumiram R$ 26.100,00. Também gastou R$ 12.750,00 em publicidade por adesivos, R$ 2.707,99 em locação/cessão de bens móveis, e R$ 2.200,00 na produção de jingles, vinhetas e slogans.

Racib Harb (Republicanos), cuja vice, Dilvania Todescano, é do mesmo partido, soma R$ 42.000,00 em receitas, tudo doado pela direção estadual do partido.

Neste domingo (25) o DivulgaCandContas não detalha despesas, mas até semana passada eram informados R$ 12.084,00, dos quais R$ 6 mil na publicidade por materiais impressos, R$ 5 mil em serviços prestados por terceiros, R$ 1 mil na produção de jingles, vinhetas e slogans, e R$ 84,00 para encargos financeiros, e taxas.

Alan Guedes (Progressistas), vereador e atual presidente da Câmara Municipal, que encabeça a coligação “Respeito por Dourados”, com o médico Doutor Guto (PL) de vice, segue com R$ 5.862,50 declarados em receitas, dinheiro todo doado pela direção estadual do partido. Não houve detalhamento de despesas dessa coligação, liderada pelo.

Somente o jornalista Jeferson Bezerra (PMN) não tem contas prestadas, além de ser o único dos postulantes à chefia do Executivo sem proposta de governo disponível no DivulgaCandContas. Seu vice é Messias.

Nas eleições municipais de 2016, candidatos à prefeitura podiam gastar até R$ 1.277.016,95 na campanha. Porém, de acordo com o Divulga Cand, a prefeita eleita, Délia Razuk (então no PR), obteve seus 43.252 votos (39,82% do total) após desembolsar R$ 416.763,00 para custear despesas contratadas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Suspeito de matar ex-cunhado tem prisão convertida em preventiva
CONGRESSO
Disputa pela presidência da Câmara paralisou reforma tributária, diz Guedes
FUTEBOL
Escalação irregular de atleta deve eliminar o Operário do Estadual 2020
BRASIL
Câmara aprova programa que substitui Minha Casa Minha Vida
ANAURILÂNDIA
Polícia Militar captura autor de feminicídio ocorrido em São Paulo
JUSTIÇA
Servidora temporária faz jus à licença maternidade e estabilidade provisória
PONTA PORÃ
Mulher é presa com maconha e anabolizante que levaria para Tocantins
UEMS
Mestrado Acadêmico em Letras abre inscrições para alunos regulares
RIBAS DO RIO PARDO
Idoso condenado a 24 anos e preso por estuprar sobrinha com 9 anos
CULTURA
Maracaju fica com o título do Festival On-Line da Melhor Idade

Mais Lidas

PANDEMIA
Casos de coronavírus levam fechamento de três agências bancárias em Dourados
POLÍCIA
Homem é encontrado morto em ponte próximo à Vila Cachoeirinha 
MAUS TRATOS
Mãe é denunciada após apagar cigarro na mão da filha em Dourados
CAARAPÓ
Jovem que matou companheira com mata-leão é autuado em flagrante por homicídio doloso