Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Tempero artificial: como isso afeta sua saúde e nutrição?

E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com

07 setembro 2020 - 00h04

A cozinha brasileira tende a ser bem-sucedida quando se trata de sabor, especialmente porque a população sabe como aproveitar a variedade das especiarias para enfatizar as especialidades dos alimentos. O único problema é que, na correria diária, muitas pessoas escolhem alguns temperos prontos. 

Vendidos em embalagens ou caldos em cubos com sabores diferentes, temperos em pastas, amaciantes e molhos prontos, estes produtos são considerados alimentos ultraprocessados, e embora seu uso ofereça agilidade e praticidade na cozinha diária; mas quando se trata de saúde, suas substâncias quando usadas em excesso, podem causar sérios problemas no organismo. 

É preciso considerar que a quantidade de sódio contida nos temperos desenvolvidos industrialmente é grande. E já se sabe que uma dieta rica em sódio pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares e renais, e o consumo desenfreado desses produtos é uma ameaça à saúde, por causa da quantidade excessiva de conservantes, sal, glutamato monossódico, gordura, açúcares, aromatizantes, corantes e conservantes artificiais, que podem aumentar o risco de diabetes e até mesmo de câncer.

Esses temperos com todos estes elementos devem servir de alerta quando detectados em sua composição, pois podem contribuir para o crescimento de alergias. Problemas com a palatabilidade também são apresentados na prática clínica, pois apresentam um sabor viciante e prazeroso, e a exposição ao longo dos anos leva a toxicidade das papilas gustativas. Esses produtos podem irritar também a mucosa do estômago, e assim contribuir para a gastrite. 

O fato de que muitos não sabem, é que o glutamato monossódico é um dos aditivos alimentares mais utilizados em alimentos comerciais. Seu uso tem aumentado com o tempo e está em vários ingredientes e alimentos processados. Vários estudos sugeriram possíveis efeitos tóxicos associados a este popular aditivo alimentar. Esses efeitos tóxicos incluem comprometimento do neurológico, obesidade, distúrbios metabólicos, danos ao fígado e disfunções dos órgãos reprodutores.

Tudo pode ser consumido de vez em quando e na medida apropriada. Mas a melhor alternativa ao tempero será sempre o uso de ingredientes naturais, não se enganem, mesmo aqueles com um semblante mais "caseiro" não são saudáveis, o ideal é evitar temperos industrializados e realçadores de sabor, esta alternativa não será apenas saborosas, mas também funcionais, ou seja, elas dão ao corpo muitas vantagens. 

Sendo assim, saiba que o uso de talos, legumes e verduras também são indicados para realçar o sabor nos alimentos. O caldo de legumes cozido em casa está cheio de nutrientes e suas sobras podem ser reutilizadas para fazer sopa ou torta. Portanto, abuse da cebola, alho, pimenta, cominho, alecrim, cravo, hortelã, manjericão, folha de louro, coentro, salsa, gergelim, curry, salsão, gengibre, orégano, noz moscada, pimentão, canela, louro, sálvia, tomilho e páprica! Use seu potencial criativo.  

*Mestranda em Alimentos, Nutrição e Saúde. Possui especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Como comer bem, mesmo sem ter muito tempo?
Nutrição em cores
Nutrição e o câncer de mama
Beterraba e seus benefícios na prática esportiva
Vitamina D e a automedicação

Mais Lidas

DOURADOS
Enquanto filma chuva, interno mostra ‘plantação’ de maconha em cela da PED
BR-463
Homem para carro em bloqueio, desce atirando e morre em confronto com a polícia
PANDEMIA
Menino de 5 anos é a primeira criança a morrer de coronavírus em MS
PROCURADO
Acusado pela morte de ator falsificou documento e disse ter nascido em MS