Menu
Busca terça, 15 de junho de 2021
(67) 99257-3397
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Superando a perda de apetite do paciente com câncer

contatonutrifernanda@gmail.com

10 maio 2021 - 00h03

O manejo nutricional de pacientes com câncer é um tratamento de apoio destinado a manter e reparar o estado nutricional, aumentando a capacidade dos pacientes de tolerar o tratamento necessário, melhorando as chances de recuperação, prognóstico e qualidade de vida.

Uma nutrição adequada é um passo importante para o tratamento bem-sucedido do câncer. Vale a pena inserir nesse contexto que o organismo de um paciente com câncer apresenta um gasto maior de energia, neste sentido, a falta de apetite pode acarretar a uma perda significativa de peso e de massa livre de gordura – o que leva a um estado de desnutrição. 

A quimioterapia e a radioterapia podem causar efeitos colaterais em pacientes que incluem toxicidade gastrointestinal, como: náuseas, vômitos, alterações de sabor, xerostomia (boca seca) e absorção de nutrientes alterada. Ambos os tratamentos podem fazer com que os pacientes comam menos e desenvolvam aversão a certos alimentos. Além disso, alguns cânceres alteram a forma como o corpo absorve os nutrientes, sendo importante fazer o uso de certo suplementos em conjunto aos alimentos. Tumores no estômago, intestinos, cabeça e pescoço podem impedir o corpo de absorver proteínas, carboidratos e gorduras.

Para mitigar a perda de apetite e manter o paciente alimentado é importante o fracionamento das refeições em pequenas porções ao longo do dia. Os alimentos sólidos podem ser substituídos por líquidos como sopas, vitaminas ou sucos, desde que forneçam a quantidade necessária de proteínas, vitaminas, sais minerais e carboidratos.  Experimentar novos alimentos e gostos diferentes e ser estimulado socialmente pela presença da família e amigos durante as refeições, além de evitar líquidos ao ingerir alimentos sólidos, podem ajudar os pacientes com câncer a aumentar sua ingestão de alimentos.

Note que mesmo que o paciente não tenha vontade de comer, ainda assim é necessário desenvolver hábitos alimentares. Cardápios e porções podem ser diferentes, mas o que não deve mudar é a regularidade das refeições. É importante estabelecer um horário de refeição para os pacientes com câncer.

Finalmente, é sempre aconselhável que pacientes oncológicos siga uma alimentação individualizada e estratégica sob a orientação de um especialista. Uma dieta saudável baseada em alimentos naturais é recomendada para a prevenção do câncer, pois o indivíduo precisa estar bem nutrido para suportar o tratamento e ter mais resistência contra outros problemas de saúde, que podem agravar sua situação. Lembre-se: a perda de apetite do paciente oncológico não deve ser negligenciada. De imediato, é necessário cuidar dos efeitos colaterais dos tratamentos.

*Mestra em Alimentos, Nutrição e Saúde - Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Especialização em Nutrição Esportiva pela faculdade de Ensino Superior de São Miguel do Iguaçu - FAESI e Pós-graduação em Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia pela Faculdade Ingá- Maringá (PR). Escreve para o Dourados News. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

O grão da felicidade
Alimentação do plantonista
Afinal, leite é inflamatório?
Quais são os suplementos que melhoram diretamente o desempenho esportivo?
Quais os benefícios e malefícios que a pimenta traz para a saúde?

Mais Lidas

DOURADOS
Defron desarticula entreposto de cocaína no Campo Dourado
REGIÃO
Homem é executado a tiros na rodoviária de Nova Alvorada do Sul
DOURADOS
Guarda encerra mais uma festa clandestina regada a álcool em meio ao lockdown
DOURADOS
Jovem é encontrado caído em via na área central e estado de saúde é grave