Menu
Busca quinta, 01 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Substitutos de refeição funcionam?

E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com

24 fevereiro 2020 - 00h02

Os substitutos de refeição ganharam força nos últimos anos como uma alternativa prática e rápida de diminuir a ingestão calórica, mas, como tantos outros produtos voltados para esse fim, seu uso exige cuidados. Shakes, sopas, barras e comida em pó, são as diversas formas de produtos que são promovidos como substitutos de refeição para perda de peso.

No contexto atual, o que se come é tão importante quanto quando se come, onde se come, como se come e com quem se come. O uso de substitutos de refeição não leva à mudança de comportamentos alimentares e de hábitos de vida inadequados e pode gerar inúmeros efeitos negativos para a saúde, como: dependência do produto, tontura, náuseas, vômitos, perda rápida de massa muscular magra e perda de eletrólitos.

Muitos não sabem, mas o ponto principal constatado para quem usa substitutos de refeição, é que há um reganho de peso importante após essas intervenções. Ninguém consegue se alimentar de pó e shake por muito tempo. Isso vai contra toda a ciência: a alimentação não é só nutriente, é também emoção, sentimento, prazer, cultura, psicológico e social. É algo que mexe com todos os sentidos do corpo. Alimento não nutre só fisicamente, é um fator importante para a vivência do ser humano.

Nesse sentido, essa prática padroniza as pessoas em termos de ingestão alimentar, não leva em conta os diferentes tipos de obesidade e não considera os riscos à saúde, esquecendo que individualidade é o que interessa, posto que, cada organismo é único, com necessidades nutricionais únicas, deficiências únicas, metabolismo único, desequilíbrios únicos e tendências únicas a desenvolver doenças. 

Ainda mais, estudos científicos apontam para a possibilidade da ocorrência de efeito hepatotóxico após o uso continuo de shakes. Grande parte da população não detém a informação sobre os malefícios causados ao organismo, sendo de extrema importância a divulgação na mídia dessas informações, assim é possível um aumento no controle na liberação de produtos ditos “naturais” e um maior detalhamento da sua composição e esclarecimentos dos efeitos adversos, além do teste toxicológico.

Finalmente, saiba que uso de substitutos de refeição por um longo período de tempo sem prescrição médica ou nutricional, gera malefícios nutricionais e psicossociais em relação à saúde dos indivíduos. Sendo a melhor alternativa para manutenção do corpo saudável, a reeducação alimentar e o convívio social.

*Especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Vitamina D e a automedicação
É possível substituir o arroz em uma dieta brasileira?
Churrasco e saúde
Tempero artificial: como isso afeta sua saúde e nutrição?
Interferência do uso de aparelhos eletrônicos durante as refeições

Mais Lidas

DECIBÉIS
Operação do Gaeco mira fraudes em licitações e cumpre cinco mandados em Dourados
INVESTIGAÇÃO
Policiais do Gaeco fazem nova operação em Dourados
DOURADOS
Gaeco deixa edifício com documentos apreendidos após mais de 5h
CAPITAL
Mulher com mandado de prisão em aberto é executada com oito tiros