Menu
Busca segunda, 10 de maio de 2021
(67) 99257-3397
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

O disfarce do açúcar nas indústrias: como o açúcar pode se esconder nos rótulos?

contatonutrifernanda@gmail.com

19 abril 2021 - 00h04

A espécie humana apresenta uma preferência inata pelo sabor doce, mesmo antes do nascimento. A capacidade do sabor doce de estimular o sistema de recompensa do cérebro humano, sugere que os alimentos doces eram benéficos para a sobrevivência em um ambiente caracterizado pela escassez de alimentos. Em vista disso, o consumo do açúcar é cada vez maior, pois ele está presente em uma série de alimentos industrializados e a oferta ilimitada desses alimentos baratos e de alta concentração energética, aliada ao sedentarismo, acaba resultando em uma população cada vez mais obesa, diabética e com doenças cardiovasculares. 

A indústria alimentícia é ciente de que uma população crescente deseja ingerir menos açúcar através dos alimentos e, por isso, vem utilizando outras nomenclaturas nas embalagens para confundir quem lê os rótulos.

No Brasil, a declaração do conteúdo energético e de macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) é obrigatória nas tabelas nutricionais de rótulos de alimentos industrializados. No entanto, ainda não há obrigatoriedade de declaração da quantidade de açúcar em alimentos. Essa ausência de informações sobre a quantidade de açúcares gera dificuldades para a escolha alimentar consciente e para o controle da ingestão de açúcar pela população.

Na indústria o açúcar é utilizado para melhorar a palatabilidade dos produtos atraindo o consumidor e também como aditivo alimentar, com diferentes funções: aromatizante, antioxidante, corante, conservante, emulsificante, edulcorante, umectante, intensificador de sabor, etc. Isso pode justificar a presença do açúcar como principal ingrediente, tanto em alimentos doces como salgados.

Vale esclarecer que um alimento que parece não conter açúcar pode trazer o ingrediente de forma disfarçada. Há várias denominações para o açúcar escondido em produtos industrializados. Os açúcares de adição incluem frutose, xarope de milho, sacarose, lactose, maltodextrina, extrato de malte, açúcar invertido, mel, dextrose, galactose, polidextrose, caldo de cana, melado, açúcar mascavo, açúcar cristal, néctares, xarope de gave e entre outros. Alguns alimentos como macarrões, embutidos e carnes processadas, molhos, salgadinhos e algumas preparações culinárias prontas para o consumo, apresentam o açúcar como um de seus primeiros ingredientes nos rótulos.

Contudo, vale lembrar que a lista de ingredientes de um rótulo revela a composição nutricional de um alimento e mostra quais são os elementos saudáveis ou prejudiciais ao organismo. Aprender a ler o rótulo dos alimentos é uma ótima maneira de reconhecer o açúcar “escondido”. 

*Mestranda do Programa de Alimentos, Nutrição e Saúde - Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Grupo de Pesquisa em Biologia Aplicada à Saúde - UFGD, Especialização em Nutrição Esportiva pela faculdade de Ensino Superior de São Miguel do Iguaçu - FAESI e Pós-graduação em Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia pela Faculdade Ingá- Maringá (PR). Escreve para o Dourados News. 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Superando a perda de apetite do paciente com câncer
Tipos de Whey Protein: qual a diferença?
Nutrição na recuperação da Covid-19
O disfarce do açúcar nas indústrias: como o açúcar pode se esconder nos rótulos?
Descongelar alimentos de forma correta garante mais sabor e qualidade do alimento

Mais Lidas

DOURADOS
Adolescentes flagrados em festa 'entregam' distribuidora que vendeu bebidas alcoólicas
IMUNIZAÇÃO
Estado aprova envio das primeiras doses da vacina Pfizer para Dourados
IVINHEMA
Após disparo, jovem é encontrado com ferimento na cabeça e morre no hospital
DOURADOS
Mulher é presa tentando entrar com porções de cocaína na PED