quarta, 06 de julho de 2022
Dourados
31°max
14°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Nutrição para idosos

contatonutrifernanda@gmail.com

28 março 2022 - 00h03
O processo de envelhecimento envolve mudanças nas condições fisiológicas, patológicas, sociais e psicológicas de uma pessoa. A nutrição é um importante elemento de saúde entre os idosos e afeta todo o processo de envelhecimento. 
 
Pessoas com mais de 65 anos, apresentam deficiência de vitaminas e minerais que são atribuídas aos fatores socioeconômicos, às doenças, às alterações do modo de vida e aos hábitos alimentares. 
 
A prevalência de desnutrição está aumentando neste grupo populacional e está associada a um declínio no estado funcional, função muscular prejudicada, diminuição da massa óssea, disfunção imunológica, anemia, função cognitiva reduzida, má cicatrização de feridas, recuperação tardia de cirurgias, maiores taxas de readmissão hospitalar e mortalidade. 
 
As mudanças que o organismo sofre durante a terceira idade exigem uma alimentação diferente das outras fases da vida, pois o processo de envelhecimento vem acompanhado de uma série de mudanças que afeta a necessidade de nutrientes.
 
Durante esta fase, o olfato e o paladar são cada vez mais alterados. A produção de saliva também é reduzida e surgem dificuldades para mastigar e engolir, o que tem um impacto considerável sobre a quantidade e a qualidade dos alimentos. Além disso, a presença de doenças crônicas pode levar a restrições dietéticas relacionadas a vários medicamentos, reduzir o apetite ou afetar a absorção de vitaminas e minerais.
 
À medida que envelhecemos, uma atenção especial deve ser dada à saúde dos ossos. Portanto, investir em fontes de cálcio (leite desnatado e produtos lácteos, gergelim, brócolis e verduras de folha escura) e magnésio (grão-de-bico, banana e nozes) são excelentes opções, além de evitar o consumo de “ladrões de cálcio” como bebidas alcoólicas, café, chá preto e refrigerantes.
 
Investir nas fibras alimentares também é essencial, o intestino fica mais preguiçoso e precisa de um estímulo para funcionar. Também é relevante aumentar o consumo de frutas e líquidos, uma vez que muitos possuem constipação. As fibras estão presentes em cereais integrais (trigo, arroz), frutas, hortaliças e sementes. 
 
A desidratação é uma condição comum nos idosos. Isto se dá em virtude do comprometimento renal em controlar adequadamente o volume de líquidos orgânicos e porque muitas vezes este tende a sentir pouca sede. Portanto, há de um lado muita perda hídrica e pouca reidratação. Ingerir de 8 a 10 copos de água/ dia, nos intervalos das refeições é essencial para evitar a desidratação.  
 
Outro aspecto positivo é a substituição do sal na dieta por condimentos naturais, como ervas e especiarias, que ajudam a reduzir a ingestão de sódio para evitar a hipertensão.
 
Contudo, procurar manter a saúde, o bom-humor e os momentos de alegria e lazer contribui no bem-estar e saúde dos idosos. 
 
*Fernanda Viana é mestra em Alimentos, Nutrição e Saúde - Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Especialização em Nutrição Esportiva pela faculdade de Ensino Superior de São Miguel do Iguaçu - FAESI e Pós-graduação em Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia pela Faculdade Ingá- Maringá (PR). Escreve para o Dourados News.
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Índice glicêmico: saiba como controlar o açúcar no sangue

Nutrição e doenças neurodegenerativas

Alimentação para gastrite: o que consumir e o que evitar

Como consumir frutas nos dias frios?

Seletividade alimentar: saiba como lidar

Mais Lidas

DOURADOS

Cinco professores estavam em veículo que se envolveu em acidente no Itahum

DOURADOS

Prefeitura abre concurso com quase 60 vagas com salários que chegam a R$ 8,3 mil

DOURADOS

Cantor é outro envolvido em acidente que deixou feridos entre Dourados e Itahum

CRIME PASSIONAL

Autor de homicídio no Flórida se passou pela própria esposa para atrair vítima e cometer o crime