quarta, 25 de maio de 2022
São Paulo
23°max
11°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Não utilize óleo de coco para cozinhar

contatonutrifernanda@gmail.com

02 maio 2022 - 00h03

Se você utiliza óleo de coco como uma alternativa saudável aos óleos vegetais, de oliva ou manteiga para cozinhar, muito cuidado!

Embora haja muita informação circulando na mídia sobre os possíveis benefícios do consumo de óleo de coco para o organismo, tais como: prevenção do mal de Alzheimer, promoção da perda de peso e perda de gordura abdominal, ainda não existem estudos confiáveis que confirmem estes benefícios e, infelizmente, a promoção exagerada e falsa do óleo como superalimento pode ter consequências negativas para a saúde.

Deve-se notar que óleo de coco se refere a gorduras saturadas. Sabe-se que o grau de saturação determina a consistência da gordura à temperatura ambiente. Quanto maior o grau de saturação, mais dura é a gordura. Entretanto, o óleo de coco é uma exceção, pois apesar de sua alta saturação, ele é líquido, pois consiste principalmente de ácidos graxos de cadeia média que compõem 70-80% de sua composição.

Portanto, o óleo de coco contém uma grande quantidade de ácidos graxos saturados, que podem ser prejudiciais à saúde se consumidos em quantidades excessivas. 

As gorduras saturadas estão relacionadas a um aumento do colesterol total, pois estão envolvidas na elevação dos níveis de colesterol LDL, ou “colesterol ruim”, o que contribui para o risco de doenças cardiovasculares.

Com relação ao uso de óleo de coco para perda de peso e redução do risco de doenças degenerativas do cérebro, como o mal de Alzheimer, há poucos estudos sobre suplementos de óleo de coco e o nível de evidência é baixo. O uso de óleo de coco para perda de peso e aumento cognitivo é outra moda que não foi cientificamente comprovada e que, portanto, deve ser desestimulada.

Por ter resultados inconclusivos sobre seus benefícios, o consumo do óleo de coco não é recomendado como agente na prevenção de doenças e perda de peso. Mais pesquisas são necessárias para confirmar os efeitos do uso diário de óleo de coco.

Entretanto, embora a gordura saturada no óleo de coco tenha uma composição melhor do que outras fontes de gordura saturada, ela deve ser consumida em quantidades limitadas. Ainda é recomendado que uma dieta saudável de qualidade deve limitar o consumo de gordura saturada (7% do total de calorias dietéticas), substituir as gorduras saturadas por gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas e aumentar o consumo de ácidos graxos ômega-3, fibras solúveis, vegetais e frutas.

Mas o que fazer com todo o óleo de coco se não devo comê-lo? Não jogue fora o óleo de coco só porque não é uma alternativa de culinária saudável para o coração. Há outras maneiras de usar o óleo de coco sem comê-lo. Você pode usá-lo como um hidratante para aliviar irritações da pele e eczema, ou aplicá-lo no cabelo antes do shampoo para reduzir a perda de proteína e melhorar seu estado.

Para se manter saudável, é importante ser crítico das informações publicadas na mídia, buscar informações de fontes confiáveis e consultar profissionais de saúde qualificados.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Compulsão alimentar: como controlar?

O que são probióticos?

Descubra a melhor opção de óleo na cozinha

Não utilize óleo de coco para cozinhar

Vegetais crucíferos: o que são e quais seus benefícios?

Mais Lidas

TRAGÉDIA

Homem morre e outro fica ferido em estado grave após acidente na Marcelino

DOURADOS

Vídeo mostra momento da colisão que terminou com morte de motociclista

MARCELINO PIRES

Vítima de acidente tinha 33 anos e era sargento na Venezuela antes de se mudar para Dourados

DOURADOS

Segunda vítima de acidente na Marcelino Pires morre no Hospital da Vida