Menu
Busca quarta, 01 de abril de 2020
(67) 9860-3221
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Mulheres, dietas e autoestima

E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com

09 março 2020 - 00h03

A perda de peso é algo que não sai da cabeça da maioria das mulheres. A ânsia em perder peso facilmente e rapidamente, submetam mulheres a dietas restritivas, uso de medicamentos indiscriminadamente e métodos que podem trazer danos à saúde do corpo. 

Perder peso rapidamente é considerado um sucesso digno de elogios na nossa sociedade obcecada pela magreza, que a confunde com beleza e saúde. O problema é que genética, biologia, e o sistema de sobrevivência se sentem ameaçados pela perda rápida de peso, e a luta constante com o peso pode ser uma causa importante para afetar a autoestima e problemas de confiança.

É comum hoje em dia, perguntas aos profissionais nutricionistas do tipo “ qual alimento devo incluir ou excluir da dieta, para emagrecer, perder barriga ou ganhar massa muscular? “. Mas antes de pensar em respostas, é preciso compreender o que está por trás destes questionamentos tão aflitos.

Independente do objetivo específico que se trace em relação a uma dieta, é preciso entender que a mudança deve começar de dentro para fora. Como cuidar de algo que não conhecemos plenamente? Ou melhor, como nutrir um corpo o qual não amamos de verdade?
De acordo com estudos, pessoas que gostam de si mesmas possuem maior propensão para cuidar da própria saúde, praticar atividade física e se alimentar bem. Muitos não sabem, mas "comemos os nossos sentimentos em vez de senti-los" e comemos quando não sentimos fome fisiológica, mas vontade de nos alimentar.

Na verdade, a maioria das mulheres querem mudar, mas ficam insistindo nos mesmos métodos que não funcionam e acabam se conformando com o “fracasso”. Mulheres: não insistam no que não está dando certo, é preciso encontrar novas formas de se relacionar com o corpo e alimentação! Assuma um compromisso com você mesma e não tenha intenção de perder peso imediatamente, preocupando-se em subir na balança a cada dia e perder quilos. Deixe as coisas fluírem normalmente, pois nosso metabolismo requer tempo para adaptações e iniciar o processo de queima de gorduras, em função de uma mudança de hábito alimentar e atividade física.

O conselho é: evite dietas restritas. Restrições extremas geram compulsão e um sentimento de fracasso, que acaba arruinado ainda mais a autoestima. O ciclo engorda-emagrece também desacelera o metabolismo tornando o emagrecimento realmente mais difícil. Pense mais em termos de mudanças sustentáveis, como adotar uma prática de exercício físico que você goste, melhorar a qualidade das refeições e a substituição de hábitos que prejudicam sua saúde por outros mais saudáveis.

É preciso perceber que esse corpo que habitamos é capaz de nos dar prazeres e satisfações sensacionais! E, se permitirmos, ele pode nos surpreender ainda mais!

Então se você acha que quando mudar seu corpo a sua visão sobre si mesma vai mudar, isso é o contrário. Somente quando você mudar a sua visão sobre si mesma o seu corpo vai mudar.  Somos capazes de coisas incríveis e não precisamos de nenhum tipo de tortura ou privação total para conquistá-las. Mas precisamos, isso sim, de amor para com a gente mesmo e o nosso corpo, pois só assim conseguiremos nutri-lo de verdade!

*Especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Alimentação durante a quarentena: como driblar a ansiedade?
COVID-19 coronavírus: fuja das fake news que envolvam nutrição
Brasileiro consome sal em excesso, mas não tem consciência disso
Mulheres, dietas e autoestima
Como fortalecer a imunidade através da alimentação?

Mais Lidas

REGIÃO
Ex-assessor de Mandetta é encontrado morto em apartamento na Capital
COVID-19
Primeiro óbito por coronavírus do Estado é registrado em Dourados
DOURADOS
Homem leva surra de populares e é detido por furtar dois veículos em Dourados
COVID-19
MS tem oito confirmações de coronavírus em 24h e suspeitos chegam a 51