Menu
Busca quarta, 27 de maio de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Como evitar a contaminação de Salmonella spp em ovos

E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com

27 abril 2020 - 00h02

O ovo é um alimento muito nutritivo e consumido pela população brasileira, porém, o fato dele ser muito associado aos casos de intoxicação alimentar acaba gerando muitas dúvidas em relação aos procedimentos de higienização e manuseio.

Ovos, produtos contendo ovos e carne de aves são os principais veículos de transmissão do microrganismo, representando um desafio para saúde pública, e os sintomas das infecções por Salmonella spp. em seres humanos frequentemente são autolimitantes, podendo apresentar cólicas abdominais, vômito, febre e diarréia, no entanto, o quadro em crianças, idosos e imunossuprimidos pode se agravar evoluindo para septicemia e óbito.

De acordo com estudos científicos, a contaminação por Salmonella spp.  em ovos ocorre por duas origens: durante a fase de formação do ovo e postura (passagem do ovo pela cloaca) ou devido à manipulação e/ou armazenamento inadequado pelos produtores, comerciantes e consumidores. 

É relevante alertar a população, sobre a contaminação dos ovos através da casca, pois a bactéria Salmonella spp. também é encontrada na parte externa do ovo, portanto a manipulação inadequada pode acabar contaminando o ovo por inteiro.  É bom lembrar que ovos sujos ou trincados não podem ser adquiridos.

Quando os ovos saem da galinha eles apresentam uma película natural, protetora que os envolve para protegê-los. Isso é importante, pois a casca possui uma estrutura porosa que permite que microrganismos do ambiente entrem em contato com os componentes internos, a clara e a gema. 

Durante o processo de beneficiamento, o ovo comercial é lavado para retirada de sujidades aderidas à superfície da casca, reduzindo a população de microrganismos, na sequência ele é impermeabilizado, e por esse motivo os ovos não devem ser lavados antes do uso.  

É recomendado que os ovos sejam retirados da embalagem de origem, guardados em um recipiente limpo e armazenados em um lugar seco e bem arejado ou no interior da geladeira, evitando deixá-los na porta para que não sejam danificados com movimento de abrir e fechar a geladeira. Os ovos devem ser armazenados nas prateleiras no interior da geladeira, e não na porta, evitando contato com qualquer alimento que possa contaminar sua casca, como carnes e outros produtos crus.

Muitos não sabem, mas os ovos caipiras, procurados pelo sabor e pela coloração intensa da gema, costumam apresentar maior proporção de contaminação de microrganismos, devido à falta de manejo adequado relacionado aos aspectos higiênico-sanitários do produtor, em razão dos ovos de galinha caipira serem obtidos de pequenos produtores, sem assistência técnica, e não oferece as condições adequadas ao conforto das aves sendo as aves criadas soltas, sem tecnologia.

Em conclusão, embora o ovo possua várias qualidades nutricionais, para ser consumido deve estar livre de contaminações que possam alterar sua qualidade e permitir a entrada de microrganismos. Então, o segredo é uma boa cocção do ovo, e evitar consumi-los crus ou malcozidos, pois o aquecimento correto elimina bactérias patogênicas que porventura podem contaminar o alimento.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Covid-19 e cuidados com delivery
Hiperêmese gravídica: entenda doença que causa náuseas e vômitos excessivos durante a gestação
Data de validade: vamos levar a sério?
A “milagrosa” água com limão
Como evitar a contaminação de Salmonella spp em ovos

Mais Lidas

DOURADOS
Prefeitura estende toque de recolher em 2h em Dourados
PANDEMIA
Dourados tem mais de 150 casos de Covid-19 e secretário diz ser assustadora a crescente na região
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher