Menu
Busca sexta, 05 de junho de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Alimentação durante a quarentena: como driblar a ansiedade?

E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com

30 março 2020 - 00h02

A ansiedade é um sentimento caracterizado por medo, apreensão, tensão ou desconforto decorrente de antecipação de um perigo, de algo desconhecido ou estranho. 

Em razão dessa realidade, o comportamento alimentar provém da interação entre os estados fisiológico, psicológico e das condições ambientais em que o sujeito se encontra. Quando ocorrem alterações destes estados e condições, por consequência, ocorrem também alterações no nível do comportamento alimentar. 

E, ao considerar por essa perspectiva, é importante enfatizar que nessa fase de isolamento por causa da pandemia do novo coronavírus, faz-se necessário manter a saúde física e mental. É comum, em uma situação de elevada ansiedade, que muitos recorram  à comida como forma de compensar o estado emocional, e assim lidar com as emoções, sendo este comportamento, um mecanismo compensatório.

Contudo, em alguns casos, tais indivíduos não devem ser considerados “viciados em comida”, eis que apenas utilizam-na como forma de lidar com as suas emoções. Este tipo de comportamento não é avaliado como errado ou normal, somente é um mecanismo de compensação.

No entanto, pode ser considerado como um comportamento patológico quando demasiadamente recidivo, considerando-se que soluciona o estado emocional. 

Saber como controlar a ansiedade por comida não é tarefa simples nestes momentos, quando gostaríamos de poder saborear algo que nos desse uma sensação momentânea de prazer. O ideal para evitar essa ansiedade e preocupação em torno da alimentação é buscar fazer refeições de qualidade, com certa regularidade e com direito de satisfazer suas vontades. Para isso, seguem algumas orientações que podem ajudar a driblar a ansiedade perante a alimentação: 

- Evite o consumo descontrolado de tudo o que comprou para as próximas semanas. Com o cardápio bem planejado, é possível separar porções para os dias, sem excesso de preparo e excesso de consumo;

- Lembre-se que a flexibilidade e negociação são fundamentais neste momento que estamos passando. Sem rigidez e cobranças! Precisamos estar bem quando voltarmos a nossa rotina normal. Vai passar!

- Não perca a noção dos dias da semana. Monte uma rotina para ser produtivo, menos ocioso e ansioso. Mexa-se! Faça exercícios em casa. 

- Cozinhe mais. Quanto mais natural a alimentação, melhor para saúde e gera economia. Deixe as preparações culinárias mais elaboradas e calóricas para os finais de semana; 

- Evite beliscar. Mantenha refeições regulares. 

- Fique atento à hidratação, beba água. 

- Prefira preparações que associam proteína, cereais integrais e enriquecidas com hortaliças, pois geram mais saciedade e menor pico glicêmico;

- Faça refeições com os seus à mesa. Se você está sozinho, coloque um bom prato na mesa, uma toalha bonita e sente. Se você está em família, reúna-a no preparo da alimentação, do planejamento à execução.

- Mastigue devagar, quando você se sentar à mesa para fazer alguma refeição, lembre-se de mastigar bem e saborear cada textura, aroma e sabor do seu alimento, dando tempo aos seus hormônios da saciedade agirem corretamente. Procure descansar os talheres enquanto mastigar e evite fazer outras atividades durante a alimentação.

Em contrapartida, vale lembrar que a grande maioria das pessoas estão menos ativas, inseguras e mais ansiosas, cenário perfeito para comer demasiadamente e utilizar mais bebida alcoólica. Atenção! Quem é ansioso deve evitar ou reduzir o consumo de cafeína e álcool, pois são estimulantes e provocam sensação de prazer somente imediata. 

Por fim, diante da incerteza gerada por esse tipo de situação de emergência sanitária e de reordenamento social, com todo o carinho e, de coração, deixo meu e-mail: contatonutrifernanda@gmail.com, com o propósito de ajudar a superar o mal-estar emocional, oferecendo orientações relacionadas à nutrição para quem tem e para quem não tem relação direta com o vírus. Um forte abraço!

*Mestranda em Alimentos, Nutrição e Saúde. Possui especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Feijão e fatores antinutricionais
Covid-19 e cuidados com delivery
Hiperêmese gravídica: entenda doença que causa náuseas e vômitos excessivos durante a gestação
Data de validade: vamos levar a sério?
A “milagrosa” água com limão

Mais Lidas

PANDEMIA
Em disparada, casos de Covid-19 tem novo recorde diário e passam de 400 em Dourados
EPICENTRO
Casos de coronavírus "explodem" e Dourados registra recorde de confirmações
PANDEMIA
Comitê aponta surtos de coronavírus em dois pontos de Dourados
DOURADOS
Conselho aponta riscos de contaminação em massa por coronavírus no HV