quarta, 25 de maio de 2022
São Paulo
23°max
11°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
COLUNA

Bola Cheia...! Bola Murcha...!

Waldemar Gonçalves, o Russo

Sem futebol, Douradão volta a emprestar estacionamento para eventos

06 maio 2022 - 00h02

Bola murcha...! Em épocas passadas em Dourados havia duas equipes de futebol profissional com seus respectivos centros de treinamentos, sendo elas, o CAD (Clube Atlético Douradense) na região do Jardim Clímax; o UEC (Ubiratan Esporte Clube) na região do Cabeceira Alegre.

Com as equipes neutralizadas no profissionalismo, o CT do CAD até então um dos modernos para a época, em especial no final da década de 80 quando a equipe chegou a disputar -e perder- o título de 85 (Corumbaense) e em 89 contra o então ex-poderoso Operário da capital, a área acabou sendo posteriormente desativada e hoje lá se concentra um conjunto de residência social.

Já o Ubiratan que conta com um histórico de três títulos estaduais na serie “A”, um na “B”, participações em Copa do Brasil, série “B” e “D” do Brasileiro, a queda foi mais histórica, pois o clube perdeu mais de 60% de sua grande área para a Justiça -via Receita Federal- e hoje graças a uma luta intensa do comerciante e ex-vereador Joaquim Soares conseguiu salvar parte do então campo de treinamento dos profissionais, que hoje está sendo usado pela escolinha de futebol do ex-jogador Dênis Silva em parceria com o clube, além de manter um salão de baile que dá para manter o que pouco restou da histórica tradição do “Leão da Fronteira” e ponto final na história destes dois clubes que marcaram as tardes de domingos e de meios de semanas quando estavam em campo.

Isso posto, resta agora o CT do Clube Desportivo 7 de Setembro, campeão em 2016 da série “A” e anteriormente pela “B” em 2005.

O CT do 7 é tão “top” que inclusive foi cedido a seleção brasileira sub-21 do sul-americano no início de 2007, é um dos mais completos do Mato Grosso do Sul, e hoje está ainda respirando para se manter em atividade sendo cedido para os treinamentos do DAC (Dourados Atlético Clube), mais a qualquer momento, a área pode sucumbir para o mercado imobiliário como ocorreu com os outros centros de treinamentos, pois ela é de propriedade particular.

Bola cheia...! A bola vai, se for verdade a informação, para um grupo de pessoas ligadas ao futebol de Sidrolândia para voltar ao profissionalismo.

Segundo consta, este grupo também estaria articulando a volta da equipe da cidade ao futebol profissional para disputar a série “B”.

Sidrolândia possui um pequeno, mas confortável estádio e a equipe dava muito trabalho para as visitantes, tanto que enquanto esteve em atividade, na época, 80 e parte de 90, mantinha uma das melhores médias de público e um dos melhores gramados do estado.

Como é ano de política, resta saber que estaria liderando este grupo e principalmente até aonde essa probalidade da equipe sidrolandense de retornar ao futebol profissional será concreta...!

Bola cheia...! O campeonato beneficente de categoria de base sub-12/14 do distrito da Picadinha por meio do Santo Antônio Futebol Clube que iria iniciar neste próximo domingo, em virtude do Dia das Mães foi adiado para ter seu inicio no dia 15. De acordo com Antônio Faccin, um dos coordenadores, eles atenderam a maioria do pedido dos dirigentes das 12 equipes que estarão participando da competição.

Bola murcha...! Ela vai para o Athetico Paranaense que levou uma sapecada de 5 a 0 para The Strongest pela libertadores na Bolívia; para o Cuiabá que dançou dentro de casa ao perder de virada para o Racing por 2 a 1 e saiu fora da sua primeira Sul-americana e para o “coringão” que deixou escapar uma vitória mais do que certa na Colômbia sob o Deportivo Cali.

Isso demonstra que as equipes brasileiras salvo os “porcos”, o “galo” e os “urubus” são ainda as que mantém as melhores médias das nacionais em termos de planteis e qualidades.

Bola cheia...! A bola vai para o primeiro campeonato interno da escolinha de futebol do Ubiratan Esporte Clube.

De acordo com Dênis Silva, as competições entre seus alunos serão por etapas de idades e servirão para que eles acostumem a participar de outras à níveis locais, estaduais e porque não nacional e internacional.

A data ainda não foi confirmada para a realização da competição.

Bola murcha...! A bola vai novamente para o uso do estacionamento do pátio do estádio Frédis Saldivar o “Douradão” para a armação de mais um circo na cidade.

Assim que o “circo” for embora, restará somente mandar uma equipe de tapa-buracos para resgatar os estragos das “estacas” que os montadores fazem quando da montagem dele.

Bola cheia...! Vai para a grande final do primeiro campeonato de futebol indígena na aldeia Boróro que será disputada neste domingo entre as equipes do Misto Conveniência e Meninos da Vila. Que vença o melhor e viva o futebol douradense...!   

Bola murcha...! No dia 1º de maio último completou-se 28 anos da morte de Ayrton Silva da Silva, um dos maiores ídolos do automobilismo mundial.

Porém, constatou-se que pouca ou quase nada da imprensa mundial e principalmente nacional, lembrou da tragédia, nem mesmo a “viúva dela”, o amado -e também odiado- Galvão Bueno teria realizado uma menção sobre o fato.

Difícil de acreditar, mas já vai para três décadas que este grande ídolo do automobilismo foi morar com Deus após o acidente na curva do Tamborello, em Imola, na Itália.

Por hoje fui, mas volto meu povo! Sejamos felizes hoje e sempre minha gente...!

*Waldemar Gonçalves, o Russo é jornalista e filiado ao SINJORGRAN (Sindicato dos Jornalistas da Grande Dourados)  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Se sair do papel, reforma do Ginásio Municipal será 'presente' para Dourados

Imbróglio na Justiça pode deixar distrito sem campeonatos

Competição regional vai movimentar categorias de base em MS

DAC vai apostar alto para a disputa da Copa Verde

Enquanto futebol de MS capenga, cidade de 8 mil habitantes tem time na Série B do Brasileiro

Mais Lidas

TRAGÉDIA

Homem morre e outro fica ferido em estado grave após acidente na Marcelino

DOURADOS

Vídeo mostra momento da colisão que terminou com morte de motociclista

MARCELINO PIRES

Vítima de acidente tinha 33 anos e era sargento na Venezuela antes de se mudar para Dourados

DOURADOS

Segunda vítima de acidente na Marcelino Pires morre no Hospital da Vida