segunda, 04 de julho de 2022
Dourados
32°max
15°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Promotor diz que fica no Gaeco até acabar o “café”

29 dezembro 2015 - 06h35
Saída - O promotor de Justiça e coordenador do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), Marcos Alex Vera de Oliveira, divulgou nota à imprensa através do Ministério Público Estadual afirmando que permanece a frente do grupo apenas até a conclusão definitiva dos trabalhos de investigação da operação Coffe Break, desencadeada no dia 25 de agosto, em Campo Grande e que apura a suposta compra de votos na Câmara de Vereadores da Capital no processo de cassação do então prefeito, Alcides Bernal (PP), no ano passado.

Ataques - Na mesma nota, ele repudiou os ataques que disse estar recebendo junto do procurador geral de Justiça de MS, Humberto de Matos Brittes, por parte de pessoas que, segundo ele, ‘possuem interesses escusos e tem atuado de forma desleal e sorrateira com o nítido propósito de desqualificar a investigação e as pessoas dos investigadores, confundir a opinião pública, pressionar o Poder Judiciário e gerar instabilidade interna no MP/MS’.

Acusações - Antes da confirmação da saída de Marcos Alex do Gaeco, várias versões foram criadas para o fato, entre elas, a de influência de ‘poderosos’ que teriam pedido a cabeça do coordenador.


Picadinha - Moradores estão reclamando dos problemas enfrentados do distrito de Picadinha no que diz respeito à estrutura [ou falta dela] no local. Vias de acesso a propriedades rurais e residências na região estão intransitáveis e uma das principais ruas, a Abílio Ferreira, está tomada pela lama.

IPTU - Só para lembrar, no mês passado a Câmara de Vereadores de Dourados aprovou projeto de lei de autoria do Executivo que autoriza a cobrança do IPTU (Imposto Predial Territorial e Urbano) nos distritos do município a partir de 2017. A medida foi acatada após recomendação do Ministério Público Estadual.


Novela - Está cada vez mais complicado para os contemplados com uma das casas do Residencial Dioclécio Artuzi III entrar nos imóveis. Reunião realizada na semana passada na Caixa Econômica Federal serviu para tirar um pouco mais da esperança dessas pessoas em poder morar na casa própria num curto período de tempo.

Ação - Tanto a CEF, quanto a construtora responsável pela obra, a LC Braga, e a prefeitura acabaram, de alguma forma, pecando em relação aos futuros moradores que permanecem pagando aluguel ou morando de favor na casa de terceiros. Também chegou a hora da Justiça e do Ministério Público entrarem de vez nessa ‘briga’ em busca de uma solução para o caso.

Crise - A crise que afeta o Hospital Evangélico de Dourados há mais de um ano parece ter atingido o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, em Três Lagoas. Na manhã de ontem, funcionários protestaram em frente a unidade de saúde reclamando do não pagamento da segunda parcela do 13º salário por parte da instituição. Por aqui, várias situações parecidas envolvendo enfermeiros aconteceram durante o ano.

Saidinha - Mais uma vez os internos do semiaberto foram contemplados com as famosas ‘saidinhas’. Entre o Natal e o Ano Novo, quase 200 presos de Dourados, divididos em grupos terão direito ao benefício. Ontem, os 96 internos que deixaram o presídio no dia 22 de dezembro, deveriam retornar. A outra parte que recebeu o direito de passar o feriado nas ruas sai amanhã e precisam retornar no dia 6 de janeiro.

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com.br

Deixe seu Comentário

Leia Também

Com limite para definições se aproximando, movimentação para alianças ainda é morna em MS

Em recado a pré-candidatos ‘da direita’ em MS, Bolsonaro fala em união

Bolsonaro diz que vai levar Tereza Cristina para passear de moto na Capital

Ex-secretário de Murilo é o ‘nome da vez’ para compor chapa com Rose Modesto

Mais um vereador anuncia que disputará eleições em outubro

Mais Lidas

DOURADOS

Idosa cai em golpe do falso sequestro, mas polícia consegue impedir transferência bancária

DOURADOS

Drogado, homem acaba preso após agredir filha e esposa

REGIÃO

Droga apreendida em veículo que capotou é avaliada em 1,5 milhão

RIO BRILHANTE

Caso de homem encontrado morto dentro de residência é investigado