Menu
Busca segunda, 06 de julho de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Pedra na vesícula: o papel da dieta na prevenção

E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com

02 dezembro 2019 - 00h04

A vesícula biliar é um órgão em forma de saco, parecida com uma pera, localizada abaixo do lobo direito do fígado. Sua função é armazenar a bile, líquido produzido pelo fígado que atua na digestão de gorduras no intestino. A bile é formada pela mistura de várias substâncias, entre elas o colesterol, responsável pela imensa maioria da formação de cálculos (pedras), que podem impedir o fluxo da bile para o intestino e causar uma inflamação chamada colecistite.

Os fatores de risco para a ocorrência de doenças nas vias biliares incluem: idade, gênero, nível de atividade física, alimentação e estilo de vida, sendo que cada doença apresenta suas particularidades. 

Em relação aos sintomas, é importante destacar que em alguns casos de pedra na vesícula podem não ter sintomas, mas outros provocam dor intensa do lado direito superior do abdômen que se irradia para a parte de cima da caixa torácica ou para as costelas.

Já quando o assunto é prevenção, a dieta tem um papel fundamental. Uma boa alimentação, com acompanhamento de um nutricionista, pode ser importante na prevenção do problema. E existem certas recomendações na dieta para quem tem pedra na vesícula ou deseja prevenir. É recomendado uma dieta rica em alimentos antioxidantes, com vegetais e frutas, rica em fibras, cálcio, vitamina C, carnes brancas e leite desnatado. As refeições devem ser fracionadas, procurando evitar concentrar uma grande quantidade de gorduras em uma única refeição.

É de extrema importância ressaltar que, o fígado é o órgão responsável pela formação da bile, isso mostra a necessidade de prestar uma grande atenção ao mesmo. A presença excessiva de xenobióticos na dieta, como aditivos alimentares, oriundos de produtos alimentícios, além do álcool, medicamentos e poluentes ambientais, acaba por inundar o fígado com toxinas. 

Diante oposto, a literatura traz informações como que repolho, brócolis, couve-manteiga e agrião, possui glicosinolatos, substâncias antioxidantes com propriedades de acelerar a eliminação de compostos tóxicos presentes no fígado. Além deles, outros alimentos possuem em sua composição substâncias importantes para a proteção dos hepatócitos, como o açafrão, alecrim, chá verde e alho. Estudos apontam que flavonóides encontrados na cebola roxa, por exemplo, atuam também na redução das alterações enzimáticas do fluxo biliar.

Contudo, para reduzir o risco do desenvolvimento de cálculos biliares (acúmulo de pedras) o indivíduo deve manter um peso saudável, pois a obesidade e o excesso de peso aumenta o risco de cálculos biliares. O ideal é reduzir a quantidade de calorias ingeridas e praticar atividade, pois se necessitar perder peso, o correto é fazê-lo lentamente. Perder peso muito rapidamente aumenta o risco de acúmulo de pedras.

Por último, uma alimentação correta, equilibrada e que considere a individualidade bioquímica de cada um, exerce papel fundamental na prevenção de doenças cada vez mais comuns na sociedade moderna. Medidas simples podem evitar a ocorrência dessa e de inúmeras outras patologias.

*Especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News. 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Como escolher o melhor tipo de iogurte?
Milho verde: muito mais que energia em forma de grão
Permita-se despertar emoções por meio do paladar
Beterraba no feijão não aumenta o aporte de ferro
Oleaginosas: saiba o que são e quais os benefícios

Mais Lidas

POLÍCIA
Assassinado no Izidro é secretário de Agricultura Familiar de Dourados
DOURADOS
Ex-funcionário é o suspeito de matar secretário de Agricultura
DOURADOS
Antes do crime, homem que matou secretário havia sido demitido por não usar máscara
DOURADOS
“Um amigo, um conselheiro”, diz Délia após assassinato de secretário