Menu
Busca sexta, 30 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Deputado de MS gastou R$ 200 mil de dinheiro público com advogados

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

05 novembro 2019 - 00h04

Enquete – A maioria – 80,5% - dos quase 400 internautas que responderam enquete proposta pelo Dourados é favorável a unificação das eleições no Brasil. Já 19,5% se posicionaram contrário à medida, apresentada recentemente na Câmara dos Deputados. 

Proposta – De autoria do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), o projeto unificaria as eleições municipais com a gerais no Brasil e começaria a partir de 2030. Com isso, em 2024, os mandatos dos prefeitos e vereadores eleitos seriam esticados por mais dois anos. 

Na conta – Os três vereadores que reassumiram os cargos após período afastados receberam bons valores referentes aos subsídios pagos na Câmara de Dourados. Cirilo Ramão (MDB), levou, bruto, R$ 17.725,57, enquanto Pedro Pepa (DEM) e Idenor Machado (PSDB), R$ 15.193,35 e R$ 9.495,85, respectivamente. Pepa e Cirilo tiveram valores acumulados relativos ao mês de setembro. O salário base do legislador no município é R$ 12,6 mil.

Ausentes – Ao contrário do que vinha ocorrendo anteriormente, quando pelo menos um deles participava da reunião pré-pauta, ontem nenhum dos três parlamentares esteve presente. 

Orçamento– Apesar de não aparecer na pré-pauta, Idenor esteve na Casa pela manhã, onde participou da apresentação e discussão da proposta orçamentária feita pela Secretaria Municipal de Fazenda à Comissão Permanente de Finanças e Orçamento da Câmara. 

Suspensa – Mesmo com a liminar autorizando a realização de novas sessões de julgamento a Pepa e Cirilo por quebra de decoro parlamentar, a Mesa Diretora da Câmara vai aguardar o julgamento dos recursos para marcar uma data aos eventos e evitar um desgaste desnecessário. 

Cota – Matéria publicada pelo portal do jornal O Estado de São Paulo mostra que o deputado federal sul-mato-grossense, Loester Trutis (PSL), gastou R$ 200 mil em cotas parlamentares no ano para pagar escritório de advocacia que presta serviço a ele. Foram oito recibos entre fevereiro e setembro, com valores variando entre R$ 12 mil e R$ 31,5 mil. 

Justifica – Ao jornal, o parlamentar disse ter contratado o serviço para consultoria de seu mandato e afirmou terceirizar as ações por entender que seria mais em conta ao invés de contratar servidores. 

Eleição – O PT de Dourados parece mesmo disposto a entrar na disputa do Executivo em 2020. A legenda governou o município com Laerte Tetila entre os anos de 2001 e 2008 e tem agendado encontros para debater os problemas locais. O primeiro dele acontece no próximo sábado, no Sindicato dos Bancários, às 13h30.

Fora – A última vez em que o PT lançou candidatura à prefeitura em Dourados ocorreu em 2008, com a tentativa de emplacar o professor universitário Wilson Biasotto, porém, acabou derrotado por Ari Artuzi e Murilo Zauith (DEM). Em 2011, a sigla emplacou Dinaci Ranzi como vice de Zauith, na eleição suplementar após a queda de Artuzi.  

*Colaborou André Bento

*Editado às 8h10 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Deputados de MS poderão voltar à Tribuna a partir de semana que vem
Campanha em Dourados começa a ser pautada por ataques
Três renunciam e mais de 10 têm pedido de candidatura à Câmara negado em Dourados
Temporal serve de “aliado” para problema da limpeza pública em Dourados
Candidato é advertido após ‘colocar o rosto’ em local proibido

Mais Lidas

PANDEMIA
Menino de 5 anos é a primeira criança a morrer de coronavírus em MS
BRASIL
Acusado de matar ator Rafael Miguel e os pais é preso no Paraná
VILA VARGAS
Hotéis em distrito de Dourados eram utilizados como entreposto do contrabando
DOURADOS
Funcionário do CCZ é agredido a pauladas durante trabalho de fiscalização