quinta, 23 de maio de 2024
Dourados
31ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Visita de Lula ao MS teve proposta de sociedade, cobrança direta e o famoso ‘do Sul’

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

15 abril 2024 - 00h05

Do SuLLLLLL – Como quase todas as autoridades e famosos que desembarcam por aqui, Lula não deixaria o Estado sem antes ouvir um generoso ‘Do Suuulll’ ao citar ‘Mato Grosso’ em seu discurso. O coro, em forma de cobrança, veio da plateia presente na cerimônia que simbolizou o início das exportações de proteína animal de mais 38 frigoríficos brasileiros à China, realizada em Campo Grande.   

Pedido – Antes da fala de Lula, o governador Eduardo Riedel (PSDB) fez um pedido: que o presidente olhe com carinho pela obra da fábrica de fertilizantes da Petrobras no município de Três Lagoas. Lançada na década passada para ser uma das maiores do mundo, os trabalhos na UFN3 encontram-se paralisados há aproximadamente 10 anos. 

Sócios? – Logo depois, Lula também fez um pedido a Riedel. O presidente o ‘intimou’ ser ‘sócio’ na aquisição de terras para indígenas que acampam às margens de rodovias na região de Dourados. “Encontre a fazenda, que compramos as terras para dar dignidade a essas pessoas”, afirmou o Chefe de Estado, aplaudido pelo governador tucano. 

Pescaria – O presidente também lembrou de visitas anteriores ao Estado citou pescarias junto do amigo deputado estadual Zeca do PT, com quem dividia os momentos dentro da embarcação. Na ocasião, relatou ter fisgado um belo exemplar de Jaú.

Cobrança – Apesar do clima de festa, também houve cobrança na planta frigorífica da JBS, onde ocorreu a cerimônia de sexta-feira. Usando a palavra, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Frigoríficos da Capital, Vilson Gregório, pressionou a empresa a melhorar os salários dos trabalhadores, se embasando na ampliação das exportações da carne para o mercado chinês.

Entreposto – ‘Vendido’ com grande expectativa para piscicultores da região, o entreposto do peixe de Dourados, que nunca chegou perto de sair do papel, teve a novela finalizada após decisão do TCU (Tribunal de Contas da União) em arquivar processo que o extinto Ministério da Pesca e Aquicultura movia contra três ex-prefeitos da cidade por uma suposta não comprovação de aplicação dos recursos repassados pela União ao município. 

Entreposto 2 – De acordo com a decisão que eximiu de qualquer responsabilidade Ari Artuzi, morto em 2013 em decorrência de um câncer, Délia Razuk – que assumiu interinamente o município após a renúncia de Artuzi, em 2010, e Murilo Zauith, vencedor da eleição extemporânea no ano seguinte, os ministros do Tribunal de Contas concordaram com a ‘prescrição de pretensão punitiva e de ressarcimento’ aos valores repassados.  

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Divergências de pré-candidaturas; Gaeco "de olho" no futebol estadual e MS Day na China

Vereador que denunciou colega por fala homofóbica já foi alvo de processo na Câmara

Polêmica, retornos e prazo para ‘jogo’ acabar

MPMS faz recomendação a prefeito para não contratar ‘amigos’ para festas do Município

‘Vaquinha’ autorizada; encontro do PT e denúncia sobre uso de recursos públicos

Mais Lidas

R$ 37 MILHÕES

Empresa é contratada para prolongar avenida do Centro até parque público de Dourados

BR-463

Douradense é preso com drogas em carro de luxo

REGIÃO 

Empresários são detidos por desvio de energia elétrica após operação do SIG

ITAPORÃ

Funcionário de fazenda morre durante manutenção em silo