terça, 09 de agosto de 2022
Dourados
16°max
12°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Pré-candidato começa a ‘investir’ em interação nas redes sociais

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

12 janeiro 2022 - 00h04

Alianças – Eleita na onda bolsonarista de 2018, a senadora Soraya Thronicke (PSL) disse em entrevista ao Estadão na segunda-feira que não garante apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL) nas eleições de outubro. Cotada para presidir o União Brasil – partido criado na unificação entre DEM e PSL – em Mato Grosso do Sul, a parlamentar também diz defender uma ‘direita racional’. 

Postura - "Se ele estiver do lado das bandeiras [defendidas por ela], de repente eu estarei [ao lado do presidente]. Eu sou fiel aos princípios. Se ele não é, ele é que não estará ao nosso lado", disse em entrevista ao jornal. Desde o ano passado, Soraya vem se posicionando mais crítica ao governo, o que vem lhe rendendo ataques, principalmente nas redes sociais. 

Virtual – O ex-governador e pré-candidato ao Executivo estadual nas eleições deste ano, André Puccinelli (MDB) se mostra cada vez mais ligado nas redes sociais. Só nesta semana ele inaugurou no Facebook um canal para responder, em vídeo, populares e agora um número de telefone de whatsapp para conversar com o internauta. “Salve meu contato na sua agenda.”, diz em postagem feita na manhã de ontem.

Pandemia – A classe política tem sido alvo do coronavírus neste início de ano em Mato Grosso do Sul. Em menos de uma semana, os deputados estaduais Marcio Fernandes (MDB) e Neno Razuk (PTB), o prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad (PSD) e agora, o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, acabaram infectados pela doença. 

Retomada – Ontem, dois deles – Marquinhos Trad e Marcio Fernandes - já estavam liberados para retornarem às atividades após realizarem novos exames com resultados negativos à doença. 

Presencial – Alguns órgãos têm retornado as atividades remotas para conter o avanço do coronavírus em Mato Grosso do Sul, porém, em Dourados, os trabalhos nas repartições públicas e Câmara de Vereadores continuam presenciais. 

Protesto – Grupo indígena se mobilizava ontem para se reunir em frente a Justiça Federal de Dourados, onde estão agendadas as oitivas referentes ao confronto por terra ocorrido em junho de 2016, resultando na morte de Clodiode Aquileu Rodrigues. Cinco produtores rurais são réus no processo. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Filho ‘03’ de Bolsonaro participa de evento em Dourados

PT quer trazer Lula ao MS em setembro

Mensagem após ataque a candidato em 2018 vira ação penal eleitoral

Servidor de carreira, ex-secretário pede exoneração do Município

Assembleia cancela cerimônias e audiências e deputado critica novas medidas

Mais Lidas

BR-376

Lutador de MMA douradense é preso com mais de 40 quilos de cocaína

TRAPALHADA

Ladrão esquece mochila aberta e dinheiro roubado voa durante fuga

Adolescente fica gravemente ferido após caminhonete capotar na MS-141

COXIM

Casal de idosos foi morto por menores que levaram R$ 20