Menu
Busca domingo, 31 de maio de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Filiação no apagar das luzes pode deixar bancada do PSDB entre as três maiores da Câmara

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

07 abril 2020 - 00h04

Virada – A jornalista e suplente de vereadora Lia Nogueira era dada como certa nas trincheiras do DEM para a disputa eleitoral de outubro, porém, já próximo ao encerramento da janela partidária, trocou o PL pelo Partido Progressista. 

Pura – Aliás, o PP deve montar chapa pura para as eleições de outubro, o que sinaliza a possibilidade de dobradinha entre o atual presidente da Câmara de Dourados, Alan Guedes, e a radialista. Enquanto colegas de parlamento, durante o ano passado, ambos caminharam bastante alinhados. 

Bancada – O PSDB pode ver dobrada a bancada dele na Câmara de Dourados em curto espaço. Com o afastamento de Braz Melo (MDB) determinado pela Justiça e a possibilidade da primeira suplente Denize Portollan – nova integrante do ninho tucano – reaver o mandato, atualmente obstruído por determinação judicial, a legenda pode passar de dois, para quatro o número de parlamentares. 

Explicando – Após a saída de Marçal Filho da Casa para assumir o posto de deputado estadual, em 2019, o PSDB ficou apenas com as cadeiras de Idenor Machado e Sérgio Nogueira por um ano. Com o fechamento da janela partidária e a migração de Silas Zanata do Cidadania e a possibilidade de Portollan assumir, o grupo tucano estará com quatro integrantes. 

Números – Além de dobrar o número de cadeiras, os tucanos assistiriam o enfraquecimento da bancada emedebista – hoje a maior com cinco vereadores – chegando a igualdade de parlamentares, empatando também com o Democratas, todos com quatro vagas. 

Tecnologia – Ainda em quarentena até o dia 17 de abril, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul realiza uma sessão remoto nesta terça-feira para votar projetos encaminhados pelo governo do Estado. 

Atraso – Agendada diariamente para as 11h, as coletivas online da prefeitura de Dourados não têm iniciado no horário estipulado. Mas, ontem, extrapolou limites. O início do desrespeito aos profissionais ocorreu dez minutos após o horário agendado para o repasse das informações à imprensa, quando os jornalistas foram avisados de uma reunião – naquele momento - entre membros do Comitê de Gerenciamento de Crise do coronavírus e a prefeita Délia Razuk (PTB). 

Mais atraso - Aproximadamente 10 minutos depois, os trabalhadores dos diversos meios de comunicação do município foram avisados, novamente, sobre um pronunciamento a ser dado pela prefeita ‘em instantes’, o que ocorreu apenas às 12h20, ou seja, mais de 1h após o horário aguardado.

Resultado? – O fato atrapalhou todo o trabalho dos profissionais nos veículos de comunicação, principalmente aqueles com entradas ao vivo, como rádio e televisão. No ar com o seu programa na 94FM, por exemplo, o radialista e deputado estadual Marçal Filho (PSDB) ‘cornetava’ a demora no anúncio das medidas que flexibilizava a abertura do comércio. “Bom, vamos aguardar com paciência, afinal, estamos na quarentena”, citou ironicamente ao saber, às 12h10, que a entrevista ainda não havia começado. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Sessão remota tem parlamentar sob árvore e deputado rodeado por cães
Em live com deputado, ex-senador solta a voz e faz cover de Bob Dylan
Délia precisa trocar o tom dramático de vídeos e mostrar firmeza nas decisões
CPI da Energisa é movimentada, mas apenas na Justiça
Se unificada, eleição acaba com ‘trampolins’ políticos a cada dois anos

Mais Lidas

DOURADOS
Protocolo é seguido e mulher vítima do coronavírus é enterrada sem despedida de familiares
PANDEMIA
Estado alerta que Dourados deve ser cidade com mais casos de Covid-19 na próxima semana
MAIORIA JOVENS
Vítima fatal da Covid-19 faz parte da faixa etária com mais casos da doença em Dourados
POLÍCIA
Homem encontrado morto sob a ponte do Calarge tinha 38 anos