Menu
Busca quarta, 12 de maio de 2021
(67) 99257-3397
COLUNA

Amplavisão

Manoel Afonso

Turbulência no ar: CPI, STF, Covid e eleições

Amplavisão

16 abril 2021 - 07h27

MAU CHEIRO!  As injustiças sobrevivem aos discursos e pompas. A ex-presidente Dilma absolvida pelo glorioso TCU pela compra vergonhosa da Usina de Passadena; no STF o ex-jogador Edmundo safou-se no processo  pela morte de 3 pessoas no acidente que provocou  ainda em 1995. Sem ilusões: esse é o país! Os advogados agradecem.

O SISTEMA jurídico/penal  é falho porque não impõe respeito e nem provoca temor ou inibe os infratores. Mas isso não e tudo: nossa indignação é latina, mas efêmera. Esse caso do garoto assassinado no apartamento dos pais lá no Rio de Janeiro será esquecido como ocorreu no ‘Caso Nardoni’ e do ‘anjo loiro’ Suzane Richthofen .    

REENCONTRO: Esqueça aquele papo de campanha regado ao café amigo. Eleitos, os candidatos se evaporam contaminados pelo ‘virus da pressa’. Nem um cartão de boas festas no fim de ano!  Com o Covid-19 piorou.  Mas eleições estão aí e nenhum deles  (sumidos) vai querer rasgar esse ‘bilhete de loteria’ válido por 4 anos. 

E VOLTAM?  Acostumados a boa vida graças as benesses do mandato, personagens conhecidos já manifestam a intenção de tentar voltar ao poder. Os argumentos notórios, dentre eles ‘a intenção de servir ao povo’.  No fundo querem sair do anonimato e subir no ‘palco iluminado’, massagear o ego e levar as vantagens que o cargo proporciona. 

MAQUIAVEL: Faça de uma vez só todo o mal, mas o bem faça aos poucos. É mais seguro ser temido do que amado. Os homens esquecem mais facilmente a morte do pai do que a perda do patrimônio. Governar é fazer acreditar. Todos veem aquilo que você parece, poucos percebem o que você é. Em tempos de paz devemos pensar na guerra. 

DEPUTADOS & AÇÕES:  Paulo Correia (PSDB); recebeu a comenda de ‘Cidadão Coxinense’; mantém o ritmo dos trabalhos legislativos apesar da pandemia.  Zé Teixeira (DEM); sua lei sobre prioridade de remoção de servidoras públicas vítimas de violência doméstica foi sancionada no dia 9.   Lucas de Lima (Sol): pede criação da delegacia virtual de proteção animal; inclusão da Educação Animal em escolas e dos caminhoneiros no grupo prioritário de vacinação; em ‘live’ arrecadou 1.000 kg de alimentos para carentes de Terenos.  Cabo Almi (PT): pede emendas aos parlamentares federais para asfalto do Portal Caiobá e quer prioridade na vacinação anti Covid dos motoristas de ônibus.

FERMENTO:  Nesta semana aumentou o volume dos comentários elogiosos  ao Secretário da Saúde Geraldo Resende. Falou-se de sua trajetória, de seu bom trânsito entre outras lideranças e de ter Dourados como sua base eleitoral. Daí que seu nome passou a ser cogitado como um pré-candidato a vice governador. É bom ir anotando. 

PREVISÃO: Pelo balanço nacional até aqui pode-se dizer que a pandemia influenciará nas eleições, inclusive ao Planalto. Se de um lado Bolsonaro entrou em desgaste, alguns governadores e políticos  poderão sair  fortalecidos. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) neste rol. Joga certo e com pulso firme contra o Covid.

‘ESPERANÇA’:  “Quando a tempestade passar, as estradas amansarem, e formos sobreviventes de um naufrágio coletivo, com o coração choroso e o destino abençoado,  nós nos sentiremos bem aventurados só por estarmos vivos. E nós daremos um abraço ao primeiro desconhecido e elogiaremos sorte de manter um amigo...” ( Aléxis Valdês – poeta cubano) 

MAMMA MIA!  No último dia de seu governo o presidente Lula não extraditou o terrorista Cesare Battisti. Agora quer se passar de vítima pedindo desculpa aos italianos dizendo que ‘não sabia do passado de Cesare’. É a mesma a postura com relação as denúncias de corrupção envolvendo figuras do PT e Governo. Não é por acaso que Pedro Bial disse que só entrevistaria Lula com detector de mentiras.

DE VOLTA! A recente decisão do STF recoloca Lula na sucessão presidencial – inclusive com o carimbo de ‘Ficha Limpa’. O julgamento mudou o cenário eleitoral e enseja  uma pausa para aferir as reações partidárias e  recolocação das pedras neste intricado tabuleiro. Além disso há outro ingrediente: a CPI da Pandemia no Senado. 

AÇÕES & DEPUTADOS:  Capitão Contar (PSL): zeloso na aplicação de verbas federais da saúde para o Estado  em sintonia com o MPE. Evander Vendramini (PP): viu atendido seu pedido relativo ao serviço de água de Iguatemi; pede melhoria no serviço de água de Ladário e regulamentação na emissão de laudos médicos no Detran.  Gerson Claro (PP); recupera do Covid, preside a CCJR e faz a ligação de prefeitos com a Secretaria de Saúde.   João Henrique (PL) presente as sessões, acompanha o trâmite de seu último projeto na Casa.  José C. Barbosa (DEM): pede asfalto entre Dourados e o  distrito Picadinha; aplicação de recursos de emendas pela prefeitura de Dourados e viu aprovado seu projeto de venda de arma a policial aposentado.

SEMPRE ELA:   Impossibilitada de uma maior frequência em Brasília por conta da pandemia, a deputada federal Rose Modesto (PSDB) vai unir o útil ao agradável com um programa de rádio  em Campo Grande. Boa de gogó  ela aproveitará para maior inteiração com o público. Convenhamos: uma tacada de mestre

MUDANÇAS?  Há uma insatisfação na Câmara Federal quanto aos critérios de divulgação das pesquisas eleitorais. Alega-se que os resultados apresentam variações, vistas como manobras para confundir o eleitor em benefício de certos candidatos. Mas para valerem em 2022, as mudanças precisam ocorrer até o final de setembro de 2021. O que não é fácil. 

O PROBLEMA: Se mudar a lei sobre as pesquisas acaba mexendo também nas regras eleitorais. Matéria complicada envolvendo até a liberdade de imprensa. Para aqueles profissionais da área não há como exigir padronização da metodologia das pesquisas. Mas pelo menos para as próximas eleições não deveremos ter novidades. 

DEPUTADOS & AÇÕES:   Lidio Lopes (Patri): como membro da Unale debateu distribuição de vacina no Ministério da Saúde.  Marçal Filho (PSDB): quer isenção de encargos fiscais de bares/restaurantes/similares na pandemia. Mara Caseiro (PSDB) pede asfalto entre Naviraí/Porto Caiuá; reforma de escola em Navirai e investimentos  públicos em Eldorado.  Neno Razuk (PTB): enalteceu a vacinação dos indígenas na capital e a boa  relação entre o Governo Estadual e o prefeitura da capital.  Antonio Vaz (REP); prioridade dos portadores da Síndrome de Down na vacinação anti Covid; ; investimentos públicos na área da oncologia infantil; adoção do sistema (ABA) de inclusão escolar para crianças autistas na rede estadual de ensino.  

ALTA TENSÃO: Não há um santo dia em que Bolsonaro não atravesse o sinal  fomentando críticas dos adversários, da mídia e desconforto aos seus correligionários.  Ele fala demais. Em plena pandemia, com a economia em recessão e a inflação em alta, ele precisa se policiar. Sua rejeição é crescente - mas ele não ouve ninguém.

CONVENCE?  Esse grupo político com a embalagem de centro até aqui deixa muito a desejar por uma série de razões. Luciano Huck (e cia) não traz algo palpável que  possa  seduzir o eleitor em termos de projeto nacional. Muito trololó.  As propostas e ideias são genéricas encontradas em artigos e textos na internet.  Vida curta, sem chances. 

PILULAS DIGITAIS:

O Centrão é uma geleia de interesses fisiológicos que sustenta a política brasileira. (Thomas Traumann)

A corrupção não é uma invenção brasileira, mas a impunidade é uma coisa muito nossa. (Jô Soares)

Livre-se dos  bajuladores. Mantenha por perto quem te avisa quando você erra. ( Barack Obama)

Vereador da capital  Ademir Santana ( PSDB) usará tornozeleira eletrônica?

A gente só entende o significado da palavra “pregador” quando vê certos pastores pregando Cristo na cruz. ( Carlos Castelo)

O difícil não é fácil. (Vicente Matheus)

‘Estamos atendendo’. ( Aviso na fachada do cemitério )

É facílimo ser humorista quando se tem todo o governo trabalhando para nós. (Will Rogers)

Credibilidade: a coluna é publicada  há mais de 20 anos em 27 sites/jornais. 

O Judiciário precisa compreender o tamanho de sua cadeira e seus limites. (gal. Hamilton Mourão) 

Não pergunte o que o seu país pode fazer por você, mas o que o seu país pode tomar dos outros para dar a você. ( Jon Lajoie)

Com o  reality show da CPI da Covid o senado quer concorrer com o final do BBB.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Os políticos fogem da iniciativa privada e do anonimato
Delcídio, sua esperança não é do verbo esperar
Os projetos locais e a sucessão presidencial
Turbulência no ar: CPI, STF, Covid e eleições
Senado: sai Simone, entra Tereza Cristina?

Mais Lidas

PANDEMIA
Levado pela Covid-19, "João da União" deixa legado para família e em Dourados
INDÁPOLIS
'Frio' e com roupa ainda suja de sangue, assassino de tio não mostrou arrependimento ao ser preso
DOURADOS
Homem morre no HV após acidente com condutor que empinava moto
PANDEMIA
Novo decreto mantém toque de recolher às 21h e autoriza abertura de cinema em Dourados