domingo, 21 de abril de 2024
Dourados
25ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
COLUNA

Amplavisão

Manoel Afonso

Opinião pública: melhor fiscal dos políticos

22 março 2024 - 07h35

INVISÍVEIS: Alguns passaram em branco pela Assembleia. Já o deputado Paulo Duarte (PSB) é autor de 6 leis de direitos do consumidor nos mandatos anteriores. Entre outras, proibiu a cobrança de taxas na emissão de boletos bancários e carnês; proibiu a cobrança de encargos por suposta fraude junto com a taxa mensal de serviços; fixou prazos para entrega de bens e serviços pelos fornecedores. Mostrou serviço.

NA MOSCA: Para o sociólogo Luiz F. Pondé, o Brasil só tem leis para quem não faz ‘happy hour’ com os poderosos em Brasília. Essa afirmativa irônica retrata bem a opinião pública da maioria das pessoas quando o julgamento envolve figuras influentes da política ou da elite econômica. Raramente a voz das ruas faz ecos nos tribunais.

‘LAVA JATO’:  A reviravolta do caso beneficiou inúmeros condenados,  réus confessos –  como os empresários da Odebrecht  que inclusive publicaram na mídia a confissão  dos seus atos desonestos na relação com o poder público.  O brasileiro acompanhou o episódio e hoje o seu desencanto reflete na política e na justiça.  

1-OPINIÃO PÚBLICA: Pode produzir indignação e clamor público. Quase sempre exerce papel relevante, apontando erros e influenciando. Exemplos de recentes decisões judiciais favorecendo políticos daqui e dacolá que repercutiram mal na sociedade. O cidadão leigo em matéria processual, se apoia nos preceitos da moral e do bom senso.   

2-OPINIÃO PÚBLICA: Ela tem peso na política. Pergunta-se: o que pensam as pessoas sobre nossos partidos e políticos? Alguns dos políticos priorizam os projetos pessoais ou da comunidade? A intenção de muitos eleitores de não votar mais é uma postura decorrente do que se pensa, ouve e acredita sobre os políticos e partidos.

RESUMINDO:  Nada de remar contra a maré. Os homens públicos tentam se alinhar ao pensamento da maioria da população, inclusive sobre temas do cotidiano. Lula se manifestou até sobre as decisões judiciais envolvendo os jogadores Daniel Alves e Robinho. Já o governador Zema (MG) disparou contra as ‘saidinhas’ das prisões. 

DOURADOS: É preciso prestígio para viabilizar a candidatura num grupo de figuras  de peso. Posto isso Marçal Filho foi ungido como pré-candidato a prefeito do PSDB com as bênçãos do ex-governador Reinaldo e outras líderes. Agora, vem a fase de conquistar aliados e da escolha do vice. Lembro: eleição é guerra – se mata ou se morre politicamente. 

AQUIDAUANA: No papo com o deputado Marcio Fernandes senti seu otimismo com a candidatura de Felipe Orro, agora companheiro do MDB, à prefeitura de Aquidauana. Marcio lembrou o peso eleitoral de Felipe, seu relacionamento com todos segmentos da população e de seu trabalho como deputado. Felipe é um apaixonado pela cidade. 

BELEZA: Não faltam elogios dos deputados estaduais ao Conselheiro Jerson Domingos na presidência do Tribunal de Contas. Compara-se a imagem atual da Corte com a anterior a sua gestão, quando escândalos denegriam o órgão. O projeto do TC voltado à educação na 1ª. infância, por exemplo, adotado pelos municípios, é copiado por tribunais de outros estados.  

INCOERÊNCIA:  Os partidos que apostarem em candidaturas laranjas vão perder as cadeiras conquistadas.  Mas não há lei garantindo que eventuais cassações pela burla da regra garanta a ascensão automática e privilegiada de mulheres às cadeiras disponíveis.  Enfim, pune-se pela infração à lei de paridade, mas as mulheres continuam no prejuízo. 

PREVISÕES: Quantos serão os candidatos à prefeito da capital? Muita especulação nesta fase. Em 2008 tivemos 5 pretendentes: Nelson Trad, Pedro Teruel, Iara Costa, Henrique Martini e Suél Ferranti.  Em 2012  foram 7 os postulantes: Alcides Bernal, Edson Giroto, Marcelo Bluma, Reinaldo Azambuja, Sidney Melo, Suél Ferranti e Vander Loubet.

RETROVISOR: No pleito de 2016 foram 7 os candidatos: Marcos Trad, Alcides Bernal, Marcelo Bluma, Athayde Neri, Pedrossian Filho, Adalton Garcia, Elizeu Amarilha. Em 2020 foram 15:  Cris Duarte, Sidnéia Tobias, Esacheu Nascimento, Guto Scarpanti,  João H. Catan, Marcelo Bluma, Marcelo Miglioli, Marcio Fernandes, Marcos Trad, Paulo Matos, Pedro Kemp, Sergio Harfouche, Tiago Carvalho e Vinicius Siqueira.

COMPARANDO:  Eleição é igual Copa de Futebol. O time que pretende ser campeão não pode ficar escolhendo adversário. No caso da política, o candidato há de ter um projeto de governo e um discurso convincente. A propósito, dois exemplos de ‘azarões’ vencedores: Ari Artuzzi (em Dourados) e Alcides Bernal (em Campo Grande). 

BOM OU RUIM? A diversidade de candidaturas possibilita que todos segmentos e tendências tenham a chance de participar da escolha. Na pratica nem sempre é possível  realizar o sonho por razões óbvias. Mas a tentativa é uma experiência válida. Seus protagonistas passam a ter uma visão menos utópica das eleições e colocam os pés no chão.  

BEM ASSIM... Muitos pretendentes a vereança se fiam nos votos dos amigos, parentes e vizinhos. Indago-lhes: onde buscarão os chamados votos complementares, decisivos? Isso sem contar os recursos financeiros para uma estrutura eficaz. Eu sempre digo: a conquista até 100 votos (na cidade pequena) é possível. Depois de 100 é que são elas! 

MARIO SABINO: “ (  -  )... É divertido ver Lula e os petistas tementes a Deus, tentando manipular a realidade que rejeita aborto, odeia maconha, é contra casamento gay e tem no trabalho uma ética de vida. Mais do que divertido, é instrutivo...( - )”

XICO GRAZIANO:   “O agricultor capitalizado anualmente, comprava novas terras, ampliando a produção sem parar. Rivais, faziam uma espécie de campeonato de maioral. Mas o ditado popular é certeiro: não há mal que nunca se acabe, nem bem que dure para sempre. Resultado: parte dos produtores rurais, no Centro Oeste especialmente, irá demonstrar um clássico problema causado pela sua ousadia sem limites: elevado patrimônio e baixa liquidez. Vai zerar o caixa.” ( Poder 360)

PILULAS DIGITAIS:

Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo. (Saramago)
Sem jeito. Nunca teve talento para a política. Não passava de um incorruptivelzinho qualquer. (Bione)
Não foi o Estado que não criou a família. Logo não tem autoridade para mudar o conceito original da família. (na internet)
Os mentirosos são parecidos com os escritores que, inconformados com a realidade, inventam outras. (Ariano Suassuna)
Só se vive uma vez. E da maneira que eu vivo, uma vez basta. (Frank Sinatra)
Nestas eleições o PIX será um ‘argumento’ decisivo. (no bar da esquina)
A nossa maior tragédia é não saber o que fazer com a vida (Saramago)
Não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder. (Dilma Roussef)
O STF ajudou a enterrra a Lava Jato. (ex-ministro Marco Aurélio Mello)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Novas Câmaras: mudam o que mesmo?

Eleições: a fadiga de poder atrai surpresas

Traições e viaturas policiais na ante sala das eleições

As definições políticas dividem as cidades

Opinião pública: melhor fiscal dos políticos

Mais Lidas

DOURADOS 

Jovem é estuprada após ser abordada por desconhecido em Saveiro branco

COTAÇÃO

Soja segue em destaque no mercado do agro em Dourados, confira cotação

DOURADOS

Justiça manda arquivar processo de improbidade contra envolvidos na Operação Pregão

DOURADOS 

Mulher de 46 anos morre atropelada por motocicleta na MS-156