Menu
Busca terça, 07 de julho de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Amplavisão

Manoel Afonso

O sorriso amarelo dos espertos mascarados

Amplavisão

26 junho 2020 - 07h42

TREVAS? A morte de George Floyd motivou os protestos. Mas após a derrubada de estátuas - há no ar um apelo para a reação ir além. Prega-se a destruição da arte sacra e seus símbolos por serem racistas e discriminatórios contra os negros. No rol dos alvos a figura de Jesus e inclusive de obras arquitetônicas do cristianismo.  Visível na escalada revanchista, mistura de ódio, ressentimento, complexo e inveja sob a desculpa de que é preciso fazer correções na história da humanidade e de seus valores.  É o oportunismo cheirando vingança num mundo complexo, com mais perguntas e menos respostas.  

A PROPÓSITO:  Toda a obra de Jorge Amado é baseada em senhores de engenho e de muitas servindo-os, mucamas servindo suas senhoras, cuidando de seus filhos, amas de leite! Capitães de Areia, Os Pastores da Noite, Jubiabá, Dona Flor e seus Dois Maridos! Livros transformados em filmes, considerados livros sexistas de subjugação da mulher negra ao homem branco e posteriormente a um movimento de ‘cruza’ caracterizado como branqueamento!  Indago: o que fazer com as obras de Jorge Amaro?  Vamos nos espelhar nos americanos  em sua  reação ao racismo do filme  ‘E o vento levou’?  

CONCORDA?  “...(-)... No campo do imaginário, o novo normal não será como antes. A gradual mudança de mentalidade coletiva, a meu ver, será o principal ganho no pós pandemia. O mundo seguirá ambíguo e contraditório, não eliminará de imediato as contradições sociais. Uma nova sociedade não surgirá num passe de mágica. Entretanto, respostas às crises são sempre criativas e inovadoras. O ano de 2020 não será um ano perdido. Talvez seja o prenúncio da virada. Haverá, como sempre, quem puxe para trás. Com certeza, porém, aumentarão os que sonham.” (Luiz Gonzaga Mota)

‘ESPERTOS’: Inconcebível conotação mais branda, incompatível  com a gravidade do  recebimento indevido do auxílio emergencial . Para minimizar o ato, ouvi a justificativa: “São um bando de espertos”. Então fui conferir os sinônimos de ‘esperto’ no dicionário e encontrei: Burlão, caloteiro, intrujão, escroque, pilantra, desonesto, solerte, patife, trapaceador, cambalacheiro, safado, ludibriador. Agora com  máscara  também para esconder o sorriso amarelo - muita gente ‘esperta’ terá devolver a grana que não tem direito  - e o pior; que está fazendo muita falta às pessoas realmente necessitadas. 

PLIM...PLIM...  A vida para Bolsonaro não tem sido fácil. Os pontos negativos são  superdimensionados pela grande mídia e os aspectos positivos ignorados. Claro que ele     próprio e os filhos colaboram para tanto. Mas apesar dos escândalos e das bobagens, o presidente consegue – em todas as pesquisas -  manter estável seu pelotão  de eleitores fieis. Enquanto isso, as outras forças políticas seguem dispersas. Não há  uma liderança no Congresso ou fora dele que encante o eleitor. Com crise, STF,  pandemia, centrão e eleições; é esse o quadro! Mas o excesso de críticas poderá até vitimizar  Bolsonaro. 

PROCURA-SE: Onde estão as lideranças políticas do país? Antigas, desgastadas  e não há novos nomes com brilho. E dentre os governadores nenhum destaque especial. João Dória (PSDB) ensaia o projeto sob a antipatia do eleitorado paulista devido ao currículo de  oportunista. Com a esquerda  dividida e enfraquecida  essas eleições municipais  funcionariam como uma espécie de ponte para o pleito de 2022, com os partidos do centrão preparando agora o terreno nas bases municipais. Basicamente é assim mesmo.      

‘CENTRÃO’: Ele voltou! A frase lembra aquelas propagandas anunciando o retorno de um  produto que realmente resolve todos os problemas com menor custo benefício. Essa votação para tentar adiar as eleições será um bom teste  para comprovar se se a Câmara   continua ou não como sempre foi. Alí não há espaço para ingênuos que acreditam  em Papai Noel. É o velho jogo bruto  para atender suas bases eleitorais que garantem aos deputados sua sobrevivência política. Seduzir 308 deles dentre 513 a trocar o certo pelo duvidoso não será tarefa fácil. Conclusão: sorte de quem irá tentar a reeleição.  

CORRUPÇÃO:  Em plena pandemia que assola o planeta não conseguimos nos livrar dela. As denúncias assustam: fraude na contratação de serviços não prestados, aquisição irregular de medicamentos e equipamentos para hospitais com faturamento muito acima   do preço de mercado. Sem contar o recebimento ilegal do auxílio emergencial. Todo esse conjunto de praticas aéticas mostra que a pandemia tem sido uma oportunidade de ouro para’ bons negócios’. Conclusão:  a vida está custando muito pouco. 

VOTOS X VIDAS;   Em cada cidade o mesmo drama para a administração: equalizar os interesses eleitorais/sociais com a responsabilidade de gerir a saúde da comunidade.  Contemporizar  todas as questões  de personagens diferentes exige muita  habilidade; primeiro para preservar vidas e segundo - dosar as atividades econômicas de modo a garantir o bem estar de todos. Mas há implicações eleitorais, dependendo da avaliação da opinião pública. Então alguns prefeitos sairão maiores, outros  menores.

BATINA & VOTO:  A Igreja Católica não tinha concorrência e reinava absoluto no 1º Reinado desde a 1ª. legislatura iniciada em 1826. Dos 102 deputados federais  23 deles eram clérigos. Na 2ª. legislatura chegou a 22%; na 3ª. legislatura atingiu  24% das cadeiras. Durante o período imperial foram 223 religiosos na Câmara e 13 no Senado. Com as novas seitas o número de representantes católicos caiu nas últimas legislaturas. 

PADRE GODINHO:  Famoso em São Paulo, foi deputado estadual e deputado federal por dois mandatos  (1963/67 e 1967 a 1971). Bom orador, vice líder da União Democratica Nacional . Quando da morte do presidente Jonh Kennedy ele foi escolhido para proferir o  pronunciamento e a a repercussão foi tal que o discurso acabou gravado em disco de vinil muito divulgado. O fato teria sido um dos motivos da cassação de seu mandato em 1969 - com os militares fazendo inclusive a apreensão do famoso disco.

DESTAQUES: Na pesquisa prefeitural da capital, divulgada na última edição, embora 43,68% não respondessem e não tivessem escolhido o candidato, o prefeito Marcos Trad (PSD) já teria 48,00% . Faltaria então pouco para vencer  no 1º turno. Já o deputado Dagoberto Nogueira (PDT)  em  6º lugar com apenas 2%,  é o mais rejeitado  com 14,08%. Enquanto isso, o ex-vereador Marcelo Bluma (PV) é o último colocado  na aceitação com 0,17%  - mas é o vice campeão em matéria de rejeição com 6,33%.    

‘OS DONATÁRIOS’: Carlos Lupi manda no PDT desde 2004; o DEM é quintal do espólio de Antônio C. Magalhães; Ciro Nogueira impera no PP desde 2013. PMDB, PSDB, PT e outras agremiações fazem um rodízio no comando mas sem sair do grupo. Sabe como é! Seguro morreu de velho. Aqui também é visível a falsa democracia em vários partidos. Não há espaço para os novos com potencial. Assim ficam sempre nas mesmas mãos - que inclusive usufruem  das generosas verbas partidárias. Entendi.

‘SOLUÇÃO?’   No país - a cada uma hora cinco pessoas morrem em acidentes de transito. A violência foi banalizada, tornou-se ‘normal’. Enquanto aqui vão afrouxar as normas, nos países asiáticos e europeus  elas são cada vez mais rígidas. O afrouxamento  das regras contido no projeto que o Senado irá apreciar representa ameaça de morte para todos nós. Os abusos regados à álcool  devem aumentar . Depois, não adianta chorar!

‘SOBRA DE VAGAS’: Completo aqui a abordagem na última edição sobre as vagas de vereador.  Explico: mesmo sem atingir o quociente eleitoral o partido pode eleger. Na sobra de vagas, faz-se novo cálculo dividindo o total de votos validos do partido pelo número de vagas que obteve no cálculo anterior, mais 1. O partido que obtiver a maior média recebe a primeira vaga , desde que o candidato  atinja os 10% do quociente. Se não houver partidos que não atendam as exigências, as vagas serão distribuídas às legendas com melhores médias pela ordem de votação dos candidatos. 

DOURADOS:  Pelo menos através do noticiário envolvendo suas articulações, o deputado José C. Barbosa (DEM) , em desvantagem nas pesquisas até aqui, tem se mostrado aguerrido como pré-candidato à prefeito. Impressiona sua disposição. Na outra ponta o líder, deputado Marçal Filho (PSDB) – ao seu estilo conhecido - também como pré-postulante. A desistência do deputado Geraldo Resende (PSDB) deixa um vácuo  sem um beneficiado exclusivo. O embate promete; muitos interesses em jogo.   

PONTO FINAL:  “...(-)...Não nos iludamos. O vírus não veio para dar lição de moral à humanidade nem para ajudar a natureza a se livrar de seus maiores predadores. Veio para cumprir o seu ciclo químico de infectar organismos vivos na tentativa de se replicar, ainda que para isso possa causar a morte dos seus hospedeiros. Portanto, todas as previsões de como sairemos desse episódio surreal da caminhada humana são apenas conjecturas motivadas por nossos desejos e medos e ela nossa irremediável pretensão de querer adivinhar o futuro.” ( Nilson Silva)

Os gafanhotos da Argentina chegarão ao Congresso? (Na Internet)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Pior: ladrão de shampoo ou político corrupto?
O sorriso amarelo dos espertos mascarados
Eleições prometem surpresas para a vereança
Eleições: dinheiro fácil numa época difícil
O eleitor rejeita verdades, mas gosta de promessas!

Mais Lidas

DOURADOS
Antes do crime, homem que matou secretário havia sido demitido por não usar máscara
DOURADOS
Acusado de matar secretário em Dourados acaba preso em barreira sanitária
DOURADOS
Carro que atingiu ciclista pega fogo após bater em árvore ao lado de Avenida
DOURADOS
Adolescente pilota moto embriagado e tio morre após queda na Coronel Ponciano