Menu
Busca sábado, 27 de novembro de 2021
Dourados
35°max
19°min
Campo Grande
32°max
21°min
Três Lagoas
35°max
22°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
COLUNA

Amplavisão

Manoel Afonso

O relógio está contra Simone Tebet

Amplavisão

05 novembro 2021 - 07h28

QUE TROCA!  ‘Moro chega a Brasília para pré-campanha e é xingado em aeroporto’. Após essa notícia é inevitável a pergunta: ele precisava disso? Ao trocar a carreira do judiciário pela política, só perdeu. Faltou-lhe juízo ou um bom conselheiro. A distância do paraíso ao inferno é relativa; infinita ou apenas milimétrica. Vai depender da decisão do cidadão. 

CACETADA: Em artigo recente o ex-juiz federal Odilon de Oliveira crítica o caráter político da CPI da Covid, ironizando: “...Um banquete cuidadosamente preparado para a campanha de 2022, com temperos agradáveis ao paladar de aliados políticos...(-)...E os Estados e Municípios para os quais a União despachou bilhões e bilhões de reais, continuarão ilesos?...” 

INQUISIDORES? Odilon se reporta a postura dos membros da CPI como tendenciosa, desrespeitosa, afrontando testemunhas e indiciados. Parcial, a CPI induziu, intimidou testemunhas. Conclui-se que todo o material produzido pela CPI contém vício na sua origem, o que deve levar o Ministério Público e o Judiciário a considerá-lo imprestável. Argumentos jurídicos do ex-Juiz Federal. 

INQUISIÇÃO:  Lamentáveis as cenas do depoimento da oncologista Nise Yamaguchi, humilhada pelos senadores Omar Aziz e Renan Calheiros. Como cita o ex-juiz Odilon: “A própria Constituição Federal que autoriza a criação de CPI (s), impõe ao magistrado o dever de tratar com urbanidade as partes e testemunhas”.  Ora! Os membros da CPI também se promoveram como paladinos da moral. 

EMBATE: Humoristas chiam; piada sem estigma do preconceito é difícil. De um lado a liberdade de expressão, do outro a dignidade humana. Seu direito finda onde inicia o direito do outro. Mas há situações curiosas como o bordão da torcida do Flamengo que deixou o clube de saia justa. E como segurar o desabafo do torcedor p... da vida? 

DEPUTADOS & AÇÕES: Paulo Corrêa:(PSDB): recebeu a visita do deputado Leonardo Araujo (MDB) do Ceará. Em pauta a geração de energia eólica. Aprovado pela CCJR sua propositura de concessão de título de cidadania.  José Teixeira (DEM): requer a aumento do efetivo policial, incremento das rondas noturnas e nos finais de semana no distrito de Ithaum; monitora o quadro sanitário do prédio da Assembleia devido ao Covid-19. Lucas de Lima (Sol): autor de indicação pedindo o aumento da frota de ônibus urbanos na capital e a volta das linhas suprimidas devido a pandemia;  repercute bem a aprovação de seu projeto ‘Educação em Direito Animal nas Escolas’; Evander Vendramini (PP): em contato permanente com autoridades, órgãos federais e estaduais relativos as ações preventivas a incêndios no Pantanal; acompanha a tramitação de suas propostas ainda em tramite.   Gerson Claro (PP)): Empenhado na reforma  e ampliação do prédio da Sanesul em Sidrolândia; participou   em Miranda de evento do Governo gerando melhorias e investimentos; reuniu-se com o representante dos motoristas de aplicativos da capital – Fuad Salimene - ouvindo as reivindicações da classe.

‘MORDIDAS’:  Geraldo Alckmin se elegeu em 1976 prefeito de Pindamonhangaba (SP) aos 24 anos. Na campanha ouviu a cantada da eleitora: “Doutor, e o dinheiro das passagens? Alckmin apontou para o prédio escolar dizendo: “a senhora vai votar logo ali”.  Mas a resposta dela pegou o jovem médico de surpresa: “Mas dotor – nóis votemo em Itajubá”.

‘RECUERDOS’: Em 1950 Getúlio Vargas lançou a sobrinha Ivete Vargas (radicada no Rio) candidata a Câmara Federal por São Paulo. Eleita, um jornalista cobrou-lhe o segredo da boa votação mesmo sendo pouco conhecida dos paulistas. Ivete  rebateu na lata: “Deve haver algum engano de sua parte, eu fui candidata a deputada e não a motorista de táxi”.  

CISMADOS: Em 2014 Aécio Neves (PSDB) ganhou de Dilma (PT) em São Paulo, mas perdeu em Minas Gerais. Agora o senador Rodrigo Pacheco (PSD) quer unir os mineiros a exemplo de Juscelino Kubistchek e Tancredo Neves. Mas os mineiros são difíceis! Divergem até na escolha do hino oficial deles. Em 1985 as 72 composições que concorreram foram simplesmente desclassificadas. Em 1992 o número chegou a 570.    

ENTENDEU?  Takachi, japonês querido, saiu candidato a prefeito no interior paulista. A oposição iniciou as críticas e ele desabafou no palanque: Takachi bom pra cidade né? Dá dinheiro pra igreja, ajuda pobre e paga feira dos outros. Povo diz: Takachi bonzinho, querido. Mas Takachi candidato e aí povo diz: “Takachi filho da puta. Assim Takachi não entende povo”.  Risadas na plateia com o comentário: “Takachi não entende mesmo”. 

MUITO BOA!  Candidato a vereador em Mossoró (RN) Chico do Peixe chegou atrasado e ofegante ao comício, doidinho para discursar. Com pouca gente no palanque  foi chamado para fazer uso da palavra.  Iniciando a oratória justificou sua ausência até então, rasgou o verbo misturando semântica com psiquiatria: “Olha minha gente - estou  chegando “retardado”...

“PEDRADAS”:  Assis Bigodão, vereador de Pau dos Ferros (PB), viajando de carro com o médico candidato a prefeito, faz o alerta massacrando o vernáculo – Jogaram uma pedra “neu”. O educado companheiro, faz a correção sem humilhar -  “Neu” não, Assis; em mim”! Espantado, Assis assassina de novo a nossa língua: Vixe, jogaram pedra no senhor também? Que coisa! 

AÇÕES PARLAMENTARES: Pedro Kemp (PT): repercute bem nas redes sociais seu apelo para redução das taxas de inscrição dos concursos públicos estaduais; atento as medidas sanitárias anti Covid nas escolas públicas. Amarildo Cruz (PT): seu projeto desobriga o pagamento integral antecipado das custas na propositura da ação facilitando   o acesso à justiça; visita lideranças comunitárias, ouve reivindicações; pede isenção do pagamento do IPVA dos veículos com 15 anos de fabricação. Marçal Filho (PSDB): só neste ano destinou R$340 mil de suas emendas para investimentos (aparelhos de ar condicionado, laboratórios e computadores) nas escolas estaduais e  municipais de 12 cidades. Mara Caseiro (PSDB): pede ao Governo 20 computadores para a escola do Assentamento Santo Antônio em Itaquiraí; instalação do posto da Receita Federal em Cassilândia e Caracól.  Neno Razuk (PTB): projeto de sua autoria pede ciência imediata ao MP nos casos de maus tratos aos deficientes físicos; seu evento recente em pról da causa autista repercute positivamente na sociedade.
  
SIMONE: Ausente daqui, de relações estremecidas com o ex- governador Puccinelli,  a senadora Simone Tebet (MDB) perdeu o espaço no seu partido e no cenário doméstico. Sua eventual candidatura à reeleição não entusiasma, não é prioridade dos cardeais emedebistas – cientes aos números das pesquisas mostrando o favoritismo da ministra Tereza Cristina (DEM).     

EQUÍVOCOS:  Divorciada do dia a dia dos grandes e pequenos municípios ela perdeu o contato com as lideranças. Ao optar pela oposição ao Governo Federal criou barreiras inviabilizando pedidos inerentes ao mandato. A análise do eleitor valoriza os benefícios que o parlamentar leva para seu Estado e município. Isso sim é política, gera votos! O resto é perfumaria. 

O RELÓGIO contra Simone. 2022 está aí. Aqui o ‘seu’ MDB depende exclusivamente de um ex-governador com problemas. Disputará a Câmara Federal ou viabilizará a candidatura a vice-presidente ao Planalto. Mas de quem mesmo? Teria cacife para tal ou seria a saída honrosa da política? Parece-nos que à senadora falta um bom conselheiro, artigo raro na prateleira política.   

PARLAMENTARES EM AÇÃO: Antônio Vaz (REP): aprovado seu projeto que reprime a pratica de crimes financeiras contra idosos, auxiliando-os e protegendo-os, através de campanha na 1ª. semana de Outubro; presidente da Comissão de Saúde atento as ações oficiais contra o Covid-19. Lídio Lopes (Patri): empenhado no sucesso da 24 Conferência da Unale nos dias 24, 25 e 26 de novembro em Campo Grande; acompanha a situação sanitária devido ao Covid nos municípios que representa. João H. Catan (PL): viu aprovado seu projeto declarando de utilidade pública estadual a Ong ‘Pedacinho do Céu’ que também resgata e encaminha gatos e cães para adoção na capital. Capitão Contar (PSL); único deputado contra a análise e votação (na última 4ª. feira) em regime de urgência do projeto criando 2 cargos de desembargadores e 15 cargos em comissão para assessores. José C. Barbosa (DEM):  é seu  projeto instituindo o Dia do Investigador de Polícia no dia 25 de novembro;  atende Alcinópolis pedindo ao governo construção de ponte na MS-217; asfalto da estrada vicinal entre a MS-217  ao entroncamento da Br-359 e a MS-436, além da reforma do prédio da sede da Polícia Militar.

BOA NOTÍCIA:  O projeto do Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) em reeditar a vitoriosa ‘Caravana da Saúde’ ainda neste ano vem ganhando apoios dentro e fora dos quadros da administração. Aperfeiçoado -  o evento seria oportuníssimo nesta fase da pandemia, beneficiando considerável parcela da nossa população carente. 

MUDANÇAS:  Sinal dos tempos. Após 146 anos o jornal “O Estado de São Paulo” muda o formato. Saiu do tradicional modelo ‘standard’ dos jornalões (60 por 75 cm) para o tipo ‘berliner’ (31,5 por 47 cm). Uma tentativa válida para manter a edição impressa do ‘Estadão’, desaparecido das raras bancas de revistas  ainda existentes na nossa capital.  

NOVIDADE:  O grupo Jovem Pan surpreende e coloca no ar sua televisão com uma programação noticiosa totalmente oposta a linha editorial das concorrentes Bandeirantes Globo e  CNN. Portanto, às vésperas da sucessão presidencial Bolsonaro reforça sua linha de ataque e defesa na mídia, que convenhamos, arma valiosa em qualquer eleição. 


MIGALHAS DIGITAIS:

Pesquisa: 81,6% dos brasileiros têm orgulho de terem nascidos aqui. E há outro jeito?

Os vivos são sempre, e cada vez mais, governados pelos mortos. (Augusto Comte)

Os vivos são sempre, e cada vez mais, governados pelos mais vivos. (Barão de Itararé)

O problema de Minas é falta de fé. Vamos juntar minha fé, sua fé, nossas fezes, para salvar Minas. (Newton Cardoso num comício em Betim)

Olho vivo - que cavalo não desce escada! (colunista Ibrahim Sued)

O tamanho do Brasil depende da perspectiva que a gente tem. (Rafael Greca)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Discurso: vale menos o conteúdo e mais a comunicação
O fim das coligações assusta os candidatos
MDB: enfraquecido e encurralado no Estado
O relógio está contra Simone Tebet
Marquinhos: protagonista nas eleições em 2022

Mais Lidas

ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Jovem é preso após manter relacionamento com menina de 11 anos em Dourados
DOURADOS
Menina diz que mantinha relações sexuais com acusado de estupro desde os 10 anos
AÇÃO CONJUNTA
Dourados terá operação 'Lei Seca' para conter bebedeira no trânsito após final da Libertadores
DOURADOS
Acusado de estupro tem prisão preventiva decretada e é transferido para a PED