Menu
Busca sábado, 06 de março de 2021
(67) 99257-3397
COLUNA

Amplavisão

Manoel Afonso

As eleições do Congresso resolvem sua vida?

Amplavisão

05 fevereiro 2021 - 08h39

‘LUA DE MEL’: A relação ‘Planalto  Congresso’ sem garantia de duração eterna. Desde a Constituinte o Centrão oferece apoio sob certas condições. É uma espécie de arrendamento do poder, tornando o Governo refém de seus desejos ilimitados, desde a liberação de verbas até a ocupação de cargos estratégicos e outras  benesses.

SUCURI! Já compararam  a tática dos personagens do ‘Centrão’ ao comportamento da nossa  tinhosa sucuri.  Quando o estômago dela está abastecido com algum alimento que conquistou, ela  fica  quieta e inofensiva ao longo do período da digestão.  Mas depois  com a volta a fome  ela se motiva assanhada e sai a caça novamente.  Entendeu né?!

‘HORÓSCOPO’: Os novos capítulos deste ‘romance’ dependerão  da economia, das reformas ( inclusive ministerial) e atenção  à pandemia -  influenciadores no termômetro da popularidade do Governo. A propósito: os novos  presidentes do Senado e Câmara   fizeram em seus discursos advertências ( ou blefe?) quanto a conduta presidencial.

VITÓRIA: De fato ela beneficia o Palácio do Planalto a curto prazo: enfraqueceu  a oposição articulando-se para  2022 e afastou por enquanto o fantasma de impeachment do presidente Bolsonaro. Aliás, ele conhece  bem o ‘modus operandi’ dos integrantes do  Centrão porque desde o primeiro dos sete mandatos na Câmara fazia parte deste time.

CONSELHOS: Não tem faltado ao presidente Bolsonaro. Mas ele continua com seus arroubos desgastantes  que abastecem a pauta crítica da mídia e da oposição.  Bolsonaro precisa adotar uma postura mais discreta que a liturgia do cargo exige para inclusive pacificar  a opinião pública e governar com menos trepidações.  Não é pedir muito.

2ºTEMPO? Será que a desarticulação da oposição no Congresso - formada pelas agremiações de centro esquerda  ensejaria o surgimento de novas lideranças nacionais ? Um ano e meio seria pouco tempo para juntar  cabeças coroadas, cada qual com seu projeto pessoal de poder. A meta é recolocar a bola no meio do campo sucessório .  

EU QUERO! Desnecessário citar os nomes. Ninguém deles abre mão do sonho. Difícil repetir a costura de Tancredo Neves que foi a unanimidade da oposição contra Paulo Maluf (PDS) em 1985. Até o deputado Ulysses Guimarães teve a grandeza de admitir que não tinha  habilidade e qualidades para vencer o candidato dos militares.  Até aqui não há nome forte e de consenso para disputar o Planalto.  

FATORES:  A pandemia e a economia vão ditar o ritmo da sucessão presidencial.  O Covid mexe nas nossas vidas que influenciam a vida econômica. O Covid impede o exercício livre da política, sem máscaras e regras para juntar pessoas. O pleito de 2020 foi a pequena amostra do que poderemos ter em 2022. Tudo por acontecer. Portanto... 

REFLEXOS: Prematuro  dizer como o pleito do Congresso  influenciará na sucessão estadual. A priori: o senador Nelson Trad (PSD) ganhará maior espaço no Governo  e sua colega Simone Tebet (MDB) perdeu a chance de maior visibilidade e poderes.  Saiu menor e pesará contra  seu projeto de reeleição. Pode até optar pela Câmara Federal.  

NA MESA:  Os pretendentes são muitos, mas poucos os escolhidos. Naquele universo competidíssimo de profissionais da política - a deputada Rose Modesto (PSDB) graças a  uma série de fatores e mérito pessoal ocupará a 3ª. Secretaria. Ganhará visibilidade e espaço para alavancar o mandato com reflexos para nossa representação política.  Bom!

INCRÍVEL: O DEM  implodiu em crise às vésperas de vencer no Senado. Também  aqui está desunido. O ex-ministro Luiz H. Mandetta; ligado ao governador João Dória (PSDB-SP), segue distante do vice governador Murilo Zauthi e da ministra Tereza Cristina, da Agricultura. Continua na política ou voltará ao seu consultório?.  

ESTILHAÇOS: Um deles atingiu o peito de  Dória no projeto de tentar o Planalto em 2022. A derrota do deputado Baleia Rossi (MDB-SP) apoiado pelo ex presidente  da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) detonou a ‘frente ampla’ do MDB, DEM e PSDB. Para complicar o ex-prefeito de Salvador (BA) ACM Neto está em ascensão no DEM.  

‘ACARAJÉ’: Ex-prefeito de Salvador, ACM Neto tem força no partido e interferiu  causando a derrota de Baleia Rossi. Herdou o DNA político do seu avô ACM. Candidato  ao Governo da Bahia ele discorda da posição contrária de colegas do DEM em relação ao Presidente Bolsonaro. Sua recente frase ‘não posso descartar’, sintetiza bem o que poderá acontecer.    

1-NA ASSEMBLEIA: Deputado Lucas de Lima (SOL) exalta o anúncio da construção   na capital  do Hospital Veterinário Municipal e do Centro de Triagem de Animas... Deputado Antônio Vaz (REP) pede prioridade da vacina anti Covid nos trabalhadores da educação.  Deputado Jose C. Barbosa (DEM): requer apuração de denuncia de crime ambiental no rio Vacaria em Rio Brilhante. Propõe o batismo da rodovia MS 352 para Rodovia Roberto Orro.  Deputado Neno Razuk (PTB) pediu pessoalmente ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB) maior atenção às pessoas com necessidades especiais.

DAY AFTER:  Despido das benesses públicas, o ex-prefeito de Aquidauna e ex-deputado Raul Freixes reapareceu num vídeo pedindo ajuda para seu tratamento de saúde. Lamentável, mas ao menos teve a humildade e coragem de confessar a situação. Um alerta doloroso aos políticos ‘desavisados’ que não pensam no futuro. De leve. 

2-NA ASSEMBLEIA:  Deputado Marçal Filho (PSDB) destaca a importância dos investimentos  do Governo Estadual (R$ 4 bilhões) na retomada da economia local. Deputado João Henrique (PL) pede maior agilidade das concessionárias de energia e água na devolução dos valores cobrados indevidamente. Deputado Zé Teixeira (DEM) esclareceu dúvidas advindas de boatos sobre possíveis aumentos de alíquotas do Fundersul. Deputado Capitão Contar (PSL) destacando a importância das reformas estruturais que virão com as novas mesas da Câmara e Senado. Deputado Evander Vendramini (PP): atento aos estragos das queimadas e também das enchentes no socorro às comunidades atingidas. Um guardião do pantanal.

EUGENIA: No Brasil 79%  é contra o aborto, mas na Europa há uma seleção genética com o extermínio de crianças deficientes em gestação. O nascimento de crianças com Down na Europa diminuiu 54%; na Espanha  84% e Portugal 80%. No seu livro ‘Livre para Nascer: o Aborto e a Lei do Embrião Humano’, o médico André G. Fernandes (Unicamp) disseca o delicado tema.

3-NA ASSEMBLEIA: Deputada Mara Caseiro (PSDB); sua escolha como líder do Governo elogiada pelos colegas - bem como seu pronunciamento na abertura do Ano Legislativo. Deputado Lídio Lopes (PATRI): tem atuado na prevenção do Covid nas comunidades e atento na análise de projetos na Comissão de Constituição e Redação. Deputado Paulo Correia (PSDB) após exercer  interinamente o Governo continua zeloso à frente do parlamento para enfrentar os desafios advindos do Covid. Deputado Gerson Claro (PP): mesmo na pandemia tem visitado e mantido contato com prefeitos, vereadores e lideranças dos municípios que representa.

OUTRO LADO: A acusação de conduta imprópria entre homem e mulher tem o peso de condenação antecipada. A denúncia de assédio sexual já faz estragos. Empresários  até evitam contratar mulheres e fazer acertos trabalhistas sem a presença de terceiros -  para evitar esse tipo de acusação - às vezes a título de vingança ou de ressentimento.

NA MÍDIA: Cada vez mais frequentes no mundo ocidental, com apoio da sociedade,  as notícias sobre esses abusos, destroem reputações pessoais e atingem até as empresas. Evidente, trata-se de vitória do feminismo, na luta pela igualdade de direitos e  respeito. Mas é preciso admitir exceções  nestas denúncias  para evitar injustiças irreparáveis.

NO FACEBOOK: Enquanto a esquerda  des-Maia, a direita de-Lira

MANOEL DE BARROS: Quando meus olhos estão sujos da civilização, cresce por dentro deles um desejo de árvores e aves. 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

A estranha vontade dos políticos em ‘servir’ ao povo
Para os políticos sair de cena é a hora dolorosa
Oscar Goldoni: 7 eleições em 16 anos
Flávio Derzi e Loester Trutis: a diferença de estilos
As eleições do Congresso resolvem sua vida?

Mais Lidas

PONTA PORÃ
Casal é assassinado na fronteira e corpos são deixados um ao lado do outro
EXECUÇÃO
Executado na fronteira era publicitário e morador em Dourados
DIÁRIO OFICIAL
Guarda municipal de Dourados condenado por tráfico em SP é demitido
MATO GROSSO DO SUL
Ministro da Justiça lamenta morte de coronel Adib e posta foto antiga do GOF