Menu
Busca quinta, 21 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397
SAÚDE

Conheça os esportes aquáticos que vão ajudá-la a perder peso e definir o corpo

16 novembro 2015 - 13h28

ACQUA RUN: Corrida na piscina

Imagine conseguir os bons resultados da corrida, mas de um jeito mais dinâmico e sem suar em bicas. É a proposta desta aula, que pode ser executada de 3 maneiras: na esteira aquática (que se move com o impulso dado pelo praticante), na piscina rasa (com a utilização de uma espécie de paraquedas que dificulta o movimento) e na piscina funda (com equipamentos de flutuação e sem encostar os pés no chão).

Benefícios: Melhora do condicionamento e aumento da força muscular. O grande bônus da acqua run, no entanto, é conseguir esses efeitos sem sobrecarregar as articulações, o que costuma acontecer na prática em solo. “Por isso, até quem está acima do peso pode praticar”, diz o educador físico Eduardo Netto, coordenador da rede Body Tech. Durante o exercício, a musculatura do corpo todo é exigida, mas o foco principal é o core (grupo de músculos abdominais e lombares).

Frequência ideal: 3 vezes por semana.

Cuidados: “O ideal é alternar a acqua run com caminhada e musculação. O impacto ajuda a fortalecer as articulações e manter a matriz óssea, fundamental para evitar a osteoporose.”
Gasto calórico: Até 350 kcal em 45 minutos.

SUPFIT: Contato com a natureza

No último verão, não faltaram fotos na internet de famosas e anônimas de cabeça para baixo sobre o stand up paddle. Nesta temporada, o nível de dificuldade avança e agora é hora de fazer flexões, abdominais e agachamentos em cima da prancha. “Fazemos tiros de remada de cerca de 5 a 10 minutos, intercalados pelos exercícios”, diz o educador físico carioca Chico Salgado, personal trainer de celebs como Grazi Massafera, Giovanna Ewbank e Carolina Dieckmann.

Benefícios: “Como a flutuação gera uma instabilidade, é bom para não forçar as articulações e ainda fortalece a musculatura do core (que sustenta coluna, pelve e quadril) e das pernas”, diz Salgado. Segundo ele, a prática é ótima para quem procura uma atividade dinâmica e em contato com a natureza. “Os alunos nem percebem que ficaram 1 hora e meia sem celular”, brinca.

Frequência ideal: 2 a 3 vezes por semana.

Cuidados: Não há contraindicações, mas é preciso saber nadar e ter um condicionamento intermediário para aguentar a aula. “Iniciantes podem, sim, praticar. Mas indico que fiquem mais perto da areia (a uns 30 metros de distância) e que façam um trabalho complementar de musculação para potencializar os resultados”, diz Salgado.

Gasto calórico: Até 800 kcal em 1h30 (nível intermediário).

WATERLINE: Variação descontraída do slackline

A opção aquática da modalidade que virou febre nas últimas temporadas é feita sobre o mar, rio ou piscina, com a fita elástica presa a pedras, pilastras ou em mastros fincados na areia. “O waterline possibilita inovar nas manobras realizadas perto do solo porque o risco de lesão na queda é muito menor”, afirma o educador físico Marcello Paiva, do Rio de Janeiro.

Benefícios: Trabalha a musculatura das pernas e, principalmente, do abdome, pois, durante a travessia, o core é muito exigido para que o corpo se mantenha em equilíbrio. “Além disso, a prática favorece a concentração e estimula o autoconhecimento. É um ótimo jeito de relaxar a mente.”

Frequência ideal: 2 vezes por semana.

Cuidados: É importante já estar familiarizado com a atividade. “Indico que os iniciantes comecem o treino na areia para perder o medo. Quando estiverem mais seguros, podem migrar para a versão na água.” Não é aconselhado para quem teve entorses graves de tornozelo ou lesões de joelho ou quadril.
Gasto calórico: Cerca de 250 kcal em 40 minutos.

MULTINATAÇÃO: Nado turbinado

Considerada um dos esportes mais completos, a modalidade ganha um plus quando aliada a exercícios funcionais e em formato de circuito dentro e fora da água. “É uma atividade de grande intensidade. Quase um crossfit”, explica o educador físico Rogério Franze, coordenador dessas atividades da academia Ecofit, em São Paulo.

Benefícios: Além de melhorar o condicionamento cardiorrespiratório, a multinatação foca também no aumento da força e da resistência. “Para isso, alternamos 5 minutos de braçadas rápidas com abdominais, flexões e movimentos com aparelhos, como halteres, elásticos, trampolins, luvas e coletes com pesos.” Nas primeiras 4 aulas, o aluno nota um aumento na disposição e melhora no fôlego.

Frequência ideal: 2 vezes por semana.

Cuidados: A aula pode ser feita por iniciantes, mas é fundamental saber nadar. A
prática só é vetada para quem tem restrições médicas, como hérnia de disco e problemas crônicos nas articulações.

Gasto calórico: Entre 400 e 500 kcal em 45 minutos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Treinadora faz balanço do período de preparação da Seleção Brasileira Feminina
ESPORTE
Treinadora faz balanço do período de preparação da Seleção Brasileira Feminina
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Projeto estabelece diretrizes para o plano nacional de vacinação contra a Covid-19
BRASÍLIA
Câmara instala nessa quinta comissão que vai revisar leis de combate ao racismo
RELAÇÕES INTERNACIONAIS
Bolsonaro cumprimenta Biden e divulga carta enviada ao novo presidente
ECONOMIA
Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
EDUCAÇÃO
AGU mantém na Justiça segundo dia de provas do Enem
CRIME AMBIENTAL
Homem leva multa de R$ 10 mil por construção de rancho em área protegida
GOVERNO DO ESTADO
Mesmo com vacina, população deve seguir em alerta sobre a Covid-19
EDUCAÇÃO
Ministro dá posse a novos reitores de três universidades federais
NA CAPITAL
Prefeitura de Campo Grande corrige e toque de recolher volta às 22h

Mais Lidas

DOURADOS
Promotor vê preconceito em comentários contra vacina para índios e denuncia à PF
DOURADOS
Mulher é presa acusada de dar cobertura para assaltantes que rendiam família
DOURADOS
Em ação conjunta, polícia deflagra operação para investigar crimes
TRAGÉDIA
Casal morre após caminhonete colidir contra carreta na BR- 163