Menu
Busca quarta, 18 de julho de 2018
(67) 9860-3221

Estudo diz que é melhor ser mãe em Cuba e na Colômbia do que no Brasil

04 maio 2011 - 14h34

É melhor ter filhos em países como Cuba, Argentina, Cazaquistão, Mongólia, Bahamas e Colômbia do que no Brasil, diz um estudo divulgado nesta quarta-feira (4). A pesquisa, feita pela ONG Save The Children (Salve as Crianças, em inglês) analisou 164 nações em questões como mortalidade materna e infantil, nutrição, acesso à água potável, uso de métodos contraceptivos e também os aspectos educacionais do país.

Na lista dos países menos desenvolvidos, em que a ONG colocou o Brasil, nosso país aparece em 12º lugar, atrás de vizinhos sul-americanos: a Argentina ficou em 4º, o Uruguai em 7º e a Colômbia em 11º.

Cuba, que encabeça esse ranking, tem índices bem melhores que o Brasil em vários quesitos. De acordo com a ONG, a chance de uma mãe morrer em Cuba é de uma em 1.400, enquanto aqui a taxa é de uma em 860. No Brasil, a mortalidade de crianças abaixo dos cinco anos é de 21 em cada mil nascidos vivos, já em Cuba o índice é de seis.

Levando em conta todos os países, a Noruega é o melhor lugar para ser mãe, seguida de Austrália e Islândia. Enquanto isso, Afeganistão, Níger e Guiné Bissau ocupam as últimas posições da lista. Dos dez últimos países na classificação, oito pertencem à região da África subsaariana, afirma o relatório.

– Nesses países, em média uma em cada 30 mulheres morre por causas relacionadas à gravidez. Uma criança em cada seis morre antes de completar cinco anos e uma em cada três sofre desnutrição.

Noruega e Afeganistão, de lados opostos na lista, são o exemplo do brutal contraste entre as regiões mais ricas e as mais desfavorecidas, afirma a ONG no relatório.

– Na Noruega, em todos os partos está presente pessoal médico treinado, enquanto no Afeganistão apenas 14% dos nascimentos são assistidos por pessoal especializado.

A esperança de vida das mulheres norueguesas é de 83 anos, contra 45 anos das afegãs.

A relação dos dez melhores países no mundo para dar à luz inclui ainda Suécia, Dinamarca, Nova Zelândia, Finlândia, Bélgica, Holanda e França. Entre os dez piores estão República Centro-Africana, Sudão, Mali, Eritréia, República Democrática do Congo, Chade e Iêmen.

Os Estados Unidos ocupam a 31ª colocação entre os países desenvolvidos, já que são a nação rica com a maior taxa de mortalidade materna: uma em cada 2.100.

– Uma mulher americana tem sete vezes mais possibilidade de morrer por causas relacionadas à gravidez do que uma italiana ou uma irlandesa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TEMPO SECO
Saiba como prevenir queimadas na sua região
MS
Divulgado resultado de edital da Fundect para eventos científicos em MS
FUTEBOL
Brasileirão retorna hoje com 5 jogos e duelo de líderes
LEI
Complexo dos Poderes e Programa de Preservação são criados em MS
BRASIL
Confira os casos em que a legislação permite mudar o nome de nascimento
MS
Capacitação nacional na Agepen está com inscrições abertas até 27 de julho
AQUIDAUANA
Dupla tenta roubar avião e morre em confronto com a polícia
OPORTUNIDADE
Senai está com matrículas abertas em cinco cursos gratuitos
BRASIL
Novos valores para licitação começam nesta quinta-feira
TRÁFICO
Mulher é flagrada em ônibus tentando levar droga até o Paraná

Mais Lidas

DUPLO HOMICÍDIO
Duas pessoas são assassinadas em Dourados
DUPLO HOMICÍDIO
Polícia identifica uma das vítimas de assassinato em Dourados
DOURADOS
Dupla em Corsa branco teria executado homens em Sitioca
DOURADOS
Acusado de matar mecânico confessa assassinato de homem no Flórida