Menu
Busca segunda, 18 de novembro de 2019
(67) 9860-3221

TCE/MS nega pedidos de revisão e mantém 220 UFERMS em multas

01 junho 2011 - 16h08

Nesta quarta-feira (01/06) em sessão do Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE/MS), o presidente Cícero Antônio de Souza e os conselheiros José Ancelmo dos Santos, José Ricardo Pereira Cabral e Waldir Neves, acompanhados do procurador geral do Ministério Público de Contas, Ronaldo Chadid julgaram 38 processos, dos quais, 31 foram considerados regulares e sete irregulares.

Dentre os processos irregulares está o de nº 7710/2008, relatado pelo conselheiro José Ricardo Pereira Cabral, onde a prefeita de Nioaque, Ilca Corral Mendes Domingos apresentou pedido de reconsideração, por não concordar com a Decisão Simples nº 02/0376/2009, que aplicou multa de 20 UFERMS e impugnou a importância de R$ 900,00.

Em seu relatório-voto, o conselheiro José Ricardo afirmou que “as irregularidades que deram sustentação ao julgado não foram sanadas ou justificadas, a ponto de determinar o afastamento das penalidades impostas à ordenadora de despesas”, portanto negando provimento e mantendo na integra a Decisão Simples nº 02/0376/2009.

Outro processo considerado irregular é o de nº 4529/2009, relatado pelo conselheiro José Ancelmo dos Santos e que trata do pedido de reconsideração interposto pelo Diretor Presidente da SANESUL S/A, José Carlos Barbosa, referente a Decisão Simples nº 01/0210/2010, que declarou ilegal e irregular a formalização dos termos de prorrogação nº 001/2008 e 002/2008, além da multa de 200 UFERMS.

De acordo com o relatório-voto do conselheiro “como prova da irregularidade, está acostado a cópia da publicação do extrato de prorrogação do aditivo, no DOE nº. 7.240, de 26 de junho de 2008. De acordo com o expediente, a prorrogação ocorreu em junho de 2008, na contramão das alegações do recorrente. Desse modo, entendo por improfícua a alegação do recorrente, haja vista que consta nos autos um documento público atestando a prorrogação do feito fora do prazo de vigência do contrato original”. Diante do fato, o conselheiro negou provimento e manteve a Decisão Simples nº 01/0210/2010.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Barragem com rejeitos nucleares em MG terá novo sistema em 14 meses
ESTADO
Grupo da UEMS apresenta dois espetáculos de dança nesta semana
BRASIL
Marinha disponibiliza navio para reforçar equipes no Delta do Parnaíba
MS
Criminalidade no Estado teve queda em 2019, diz governo
DOURADOS
Refinaria que deve gerar 300 empregos será inaugurada dia 25
Paranaíba
Inscrições para processo seletivo de estagiários seguem abertas em fórum
DOURADOS
Mostra Cultural Saberes Indígenas começa nesta semana
BRASIL
Mais de 70 mil candidatos fazem hoje vestibular da Unicamp
HU-UFGD
Mesa redonda e encontro de mães marcam o Dia da Prematuridade
TECNOLOGIA
Alto-falantes inteligentes chegam ao Brasil com novas funções e riscos

Mais Lidas

POLÍCIA
Vereador é agredido e roubado quando ia para igreja em Dourados
DOURADOS
Idoso é fechado por criminosos na Marcelino, é derrubado e tem moto ‘zero km’ roubada
PORTO MURTINHO
Velório é interrompido e corpo de menina afogada recolhido para perícia
DOURADOS
Motociclista fica gravemente ferido após colisão no Parque Alvorada