Menu
Busca quinta, 21 de novembro de 2019
(67) 9860-3221
JUSTIÇA

Servidores entram com novo recurso para barrar jornada de 8h no Estado

12 julho 2019 - 20h35Por Da redação

Os sindicatos que fazem parte do Fórum dos Servidores de Mato Grosso do Sul, entraram no fim da tarde desta sexta-feira, dia 12 de julho, com um novo recurso jurídico para tentar barrar a jornada de oito horas imposta desde o dia 1º deste mês pelo Governo do Estado. A intenção é que, até todo o mérito seja julgado, persista o expediente de seis horas.

De acordo com o advogado Lucas Mochi, agravo interno foi ingressado no TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) questionando a decisão do presidente do Tribunal, desembargador Paschoal Carmello Leandro, que derrubou a suspensão do decreto que ampliou o horário de trabalho de 16 mil servidores.

“Acreditamos que não seja da competência dele julgar isso, e sim do STJ [Superior Tribunal de Justiça]. Além disso, o argumento de que a jornada de 6h traz abalo à economia pública também questionamos, já que perdurou por 15 anos, quatro deles, inclusive, na gestão do atual governador”, comenta Lucas Mochi.

O advogado ainda conta que agora a questão será avaliada pelo Órgão Especial do TJ. “Levamos para o colegiado em julgamento público avaliar se nossa liminar pedindo expediente de seis horas continuará a valer”.

Se colocado a tempo pelo presidente do TJ em pauta, a análise do agravo pode acontecer já na próxima sessão do Órgão Especial, marcada para quarta-feira (17). Caso isso não aconteça, o julgamento acontecerá no dia 7 de agosto.

Relembre

Instituído no dia 1º de julho, a jornada de oito horas para os servidores públicos foi derrubado nesta semana em pedido liminar do Fórum dos Servidores pelo desembargador Ruy Celso Florence, que determinou o retorno das seis horas.

Porém, o Governo do Estado afirmou que apenas mudaria o horário quando recebesse a notificação, o que aconteceu nesta quinta-feira (11). No mesmo dia, um recurso foi impetrado no TJMS e, horas depois, a liminar foi derrubada por Paschoal.

O Órgão Especial, que julgará a questão, é composto por 15 desembargadores, entre eles, o próprio Paschoal Carmello – que é o presidente do grupo – e Ruy Celso.

Com informações do site Midiamax.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RIO BRILHANTE
Homem é preso tentando pagar conta de água com dinheiro falso
MATO GROSSO DO SUL
Nota MS Premiada é aprovada em 1ª discussão na Assembleia
AMAMBAI
Equipe indígena participa pela segunda vez dos Jogos Escolares da Juventude
BRASIL
Senadores podem apoiar PEC para disciplinar prisão em 2ª instância
DOURADOS
Homem é preso e multado em R$ 7 mil por pássaros em gaiolas
EDUCAÇÃO
MEC anuncia três escolas militares em Mato Grosso do Sul
LEGISLATIVO
Assembleia recebe três projetos do Poder Executivo
ESTRUTURA DE GOVERNO
Governo Presente continua reuniões durante a tarde em Dourados
DOURADOS
“Nota Dourada” é aprovada pela Câmara e deve ser lançada pela prefeita ainda este ano
SAÚDE PÚBLICA
“Estamos completamente em dia com Dourados”, diz Geraldo sobre repasses

Mais Lidas

TENTATIVA DE FEMINICÍDIO
Ex esperou mulher chegar de curso para tentar matá-la no Estrela Verá
DOURADOS
Corregedoria abre sindicância para apurar ação da Guarda que terminou em morte
DOURADOS
Secretaria de Saúde contrata pessoal para limpeza com salários de R$ 1 mil a R$ 1,4 mil
JÚRI POPULAR
Primeira tentativa de feminicídio do ano ocorre às vésperas de julgamento por crime de 2018