Menu
Busca terça, 20 de novembro de 2018
(67) 9860-3221

Secretários querem unidade de hemodiálise no Vale do Ivinhema

01 junho 2011 - 06h41

Secretários municipais de seis municípios estiveram reunidos no último sábado, dia 28 de maio, para debater a necessidade de implantação de uma unidade de hemodiálise na região do Vale do Ivinhema. Os secretários entendem que há uma necessidade urgente dessa medida e que existe viabilidade técnica, pois o número de pacientes existentes na região preenche as exigências do Ministério da Saúde.

A reunião, que aconteceu no gabinete do coordenador da bancada federal de Mato Grosso do Sul, deputado federal Geraldo Resende (PMDB), em Dourados, foi organizada pelo secretário municipal de Saúde de Angélica Adaildo Cabral, a partir da constatação de que este é um pedido comum de seus colegas de vários municípios vizinhos.

“É necessário microregionalizar a assistência em saúde pública para facilitar o acesso da população”, afirmou Adaildo Cabral. Segundo ele, com a implantação de uma unidade de hemodiálise na região, o atendimento se tornará mais rápido e com menos transtornos aos pacientes, que hoje precisam se deslocar muitos quilômetros para fazerem o tratamento.

O secretário de saúde de Nova Andradina José Carlos Paiva Souza, o “Tito” disse que na região há 65 pacientes que são atendidos em Dourados, alguns no Paraná e outros no Estado de São Paulo. “Portanto, o número mínimo exigido pelo Ministério da Saúde, que é de 50 pacientes para a criação de um núcleo de hemodiálise já foi ultrapassado”, salientou.

Para o deputado federal Geraldo Resende a reivindicação dos secretários municipais é justa e tem como principal objetivo a humanização do atendimento. Por isso, ele comprometeu-se a levar o projeto ao conhecimento da bancada federal e a fazer todas as incursões necessárias junto à secretária de Estado de Saúde Beatriz Dobashi, ao governador André Puccinelli e ao ministro da Saúde Alexandre Padilha.

“Há poucos dias realizamos, em Dourados, uma audiência pública para discutir a questão da falta de vagas para a hemodiálise no município e já naquele momento constatei a necessidade de um núcleo em Nova Andradina. Da mesma forma que tenho abraçado outras lutas que busquem a melhoria do atendimento da saúde pública, podem contar comigo nesta nova batalha”, salientou Geraldo Resende.

Além de Adaildo Cabral e de José Carlos Paiva, o encontro contou com a presença dos secretários Benone Scaramal (Taquarussu), Silvia Rosenbaum (Batayporã), Maria Cleide Lisboa Fróes (Novo Horizonte do Sul) e de Michele Muniz dos Santos, (representando Sonia Henrique Garção, secretária de Saúde de Ivinhema), além de Luciana Regina de Souza, profissional da área de saúde de Angélica.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PARALIMPÍADAS ESCOLARES
MS participa do maior evento paradesportivo Escolar do Mundo
POLÍTICA
Projeto que flexibiliza Lei da Ficha Limpa é arquivado do Senado
PARAGUAI
Sobrinho de prefeito foi executado por terroristas com 11 tiros
FUTEBOL
Brasil vence Camarões por 1 a 0 no último amistoso do ano
EDUCAÇÃO
Enem vai mudar e terá dias de prova geral e específica, diz ministro
FUTEBOL
Datas e regulamento do Estadual mudam um dia após arbitral
DOURADOS
Comafro promove atividade pelo Dia da Consciência Negra
CULTURA
Filme de MS conquista dois prêmios em festival internacional de cinema
OMISSÃO DE SOCORRO
MPF quer abertura de inquérito policial para apurar atropelamento de crianças em MS
BRASIL
Mandetta compara contratos do Mais Médicos a convênio entre Cuba e PT

Mais Lidas

DOURADOS
Antes de ser assassinado, homem passou por ‘tribunal do crime’
BORORÓ
Adolescente morre ao tocar em cerca elétrica em Dourados
DOIS MESES DEPOIS
Acusados de matar rapaz em Dourados serão apresentados hoje
MARCELO PILOTO
Traficante brasileiro é expulso do Paraguai após matar mulher em cela