Menu
Busca sexta, 06 de dezembro de 2019
(67) 9860-3221

Secretários querem unidade de hemodiálise no Vale do Ivinhema

01 junho 2011 - 06h41

Secretários municipais de seis municípios estiveram reunidos no último sábado, dia 28 de maio, para debater a necessidade de implantação de uma unidade de hemodiálise na região do Vale do Ivinhema. Os secretários entendem que há uma necessidade urgente dessa medida e que existe viabilidade técnica, pois o número de pacientes existentes na região preenche as exigências do Ministério da Saúde.

A reunião, que aconteceu no gabinete do coordenador da bancada federal de Mato Grosso do Sul, deputado federal Geraldo Resende (PMDB), em Dourados, foi organizada pelo secretário municipal de Saúde de Angélica Adaildo Cabral, a partir da constatação de que este é um pedido comum de seus colegas de vários municípios vizinhos.

“É necessário microregionalizar a assistência em saúde pública para facilitar o acesso da população”, afirmou Adaildo Cabral. Segundo ele, com a implantação de uma unidade de hemodiálise na região, o atendimento se tornará mais rápido e com menos transtornos aos pacientes, que hoje precisam se deslocar muitos quilômetros para fazerem o tratamento.

O secretário de saúde de Nova Andradina José Carlos Paiva Souza, o “Tito” disse que na região há 65 pacientes que são atendidos em Dourados, alguns no Paraná e outros no Estado de São Paulo. “Portanto, o número mínimo exigido pelo Ministério da Saúde, que é de 50 pacientes para a criação de um núcleo de hemodiálise já foi ultrapassado”, salientou.

Para o deputado federal Geraldo Resende a reivindicação dos secretários municipais é justa e tem como principal objetivo a humanização do atendimento. Por isso, ele comprometeu-se a levar o projeto ao conhecimento da bancada federal e a fazer todas as incursões necessárias junto à secretária de Estado de Saúde Beatriz Dobashi, ao governador André Puccinelli e ao ministro da Saúde Alexandre Padilha.

“Há poucos dias realizamos, em Dourados, uma audiência pública para discutir a questão da falta de vagas para a hemodiálise no município e já naquele momento constatei a necessidade de um núcleo em Nova Andradina. Da mesma forma que tenho abraçado outras lutas que busquem a melhoria do atendimento da saúde pública, podem contar comigo nesta nova batalha”, salientou Geraldo Resende.

Além de Adaildo Cabral e de José Carlos Paiva, o encontro contou com a presença dos secretários Benone Scaramal (Taquarussu), Silvia Rosenbaum (Batayporã), Maria Cleide Lisboa Fróes (Novo Horizonte do Sul) e de Michele Muniz dos Santos, (representando Sonia Henrique Garção, secretária de Saúde de Ivinhema), além de Luciana Regina de Souza, profissional da área de saúde de Angélica.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAN BADO
Paraguaio morre em hospital após levar 4 tiros em frente a residência
ALIANÇA PELO BRASIL
Novo partido do presidente Jair Bolsonaro é registrado em cartório
LIMITE DE GASTOS
Brasileiro poderá trazer US$ 1 mil em compras de países do Mercosul
RURAL
Nova Andradina é alvo de pesquisa da Embrapa sobre controle de javalis
ACIDENTES
Dez pessoas morrem por mês nas rodovias federais de MS
PUNIDO
Eduardo Bolsonaro é destituído da presidência do PSL em São Paulo
FRONTEIRA
Corpo encontrado carbonizado é de adolescente desaparecido
EDUCAÇÃO
MEC lança material para incentivar pais a lerem para os filhos
JUSTIÇA
Vício na construção do imóvel configura responsabilidade da construtora
BENEFÍCIO
Diretoria de Educação a Distância da UEMS seleciona bolsistas

Mais Lidas

POLÍCIA
Morto em ação policial no MS era afamado como líder do novo cangaço
FRONTEIRA
Quatro assaltantes de carro-forte são mortos em confronto com a polícia
DOURADOS
Júri condena a 64 anos de prisão cinco réus por atentado contra empresário
DOURADOS
Homem é preso ‘arrastando’ moto na região central