08/04/2013 09h14 -

Agricultores de MS protestam contra demarcação de terras indígenas

 

G 1

Uma longa fila de caminhões, tratores e carros congestionou parte da rodovia MS-156, que liga Amambaí à Tacuru, na região Sul de Mato Grosso do Sul.

O manifesto reuniu produtores rurais de todo o estado para questionar as demarcações de terras indígenas. No ginásio municipal, uma audiência pública foi realizada.

Tacuru tem pouco mais de 12 mil habitantes, 5 mil deles indígenas, que reivindicam mais de 70 mil hectares de terras na região.

Orcelina Souza está entre os 300 pequenos produtores assentados pela reforma agrária na região de Tacuru, que poderão perder as terras. Há cinco anos, ela vive em um lote de quatro hectares, cria gado leiteiro e produz mandioca.

Em Mato Grosso do Sul, segundo a Federação de Agricultura e Pecuária, 53 propriedades rurais estão ocupadas por indígenas.

No sul do estado, a Funai (Fundação Nacional do Índio) vai fazer até o final do ano, estudos antropológicos em 28 municípios. Em Coronel Sapucaia, por exemplo, mais da metade do território pode ser entregue aos índios.

Osmar Bonamigo é pecuarista na região de Iguatemi, onde também há terras em processo de estudos antropológicos. A fazenda dele foi ocupada por índios guarani-kaiowás em novembro de 2011. No município, mais de 41 mil hectares, distribuídos em 46 propriedades rurais podem ser entregues aos indígenas.

Os administradores da Funai, que atuam nas regiões onde ocorreram os protestos, não quiseram se pronunciar sobre o assunto.

Seja o primeiro a comentar!

Restam caracteres. * Obrigatório
Digite as 2 palavras abaixo separadas por um espaço.