Menu
Busca quinta, 19 de abril de 2018
(67) 9860-3221
BANNER CRA

PMA e PM de Corumbá autuam homem que criava sucuri de dois metros

17 dezembro 2012 - 16h30

Policiais Militares Ambientais e da Polícia Militar do 6º Batalhão de Corumbá (MS) receberam denúncias de que um homem mantinha um animal da espécie “sucuri” em cativeiro. Os policiais deslocaram-se, no início da tarde de hoje, até uma pousada à margem da baía do Tamengo, na confluência com o rio Paraguai e encontraram a serpente amarrada próxima à cabeça. No momento da chegada das equipes, não havia ninguém no local, porém, em seguida, apresentou-se o caseiro da pousada assumindo a captura do animal.

A serpente, que media dois metros foi apreendida e o infrator recebeu multa de R$ 500,00. Ele também foi conduzido, juntamente a cobra apreendida, à delegacia de polícia civil de Corumbá e responderá por crime ambiental. Se condenado, poderá pegar pena de seis meses a um ano de detenção. O animal passará por exames veterinários e será devolvido ao habitat natural.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ARTIGO
Tecnofam: falando a língua do homem do campo, por Renato Câmara
ANASTÁCIO
10 ficam feridos após reboque de caminhonete se soltar e atingir van
LÍNGUA
UEMS oferece curso gratuito de Inglês em Dourados e Campo Grande
SOLENIDADE
Brigada Guaicurus de Dourados realiza Formatura do Dia do Exército
INFLUENZA
Gripe H3N2 faz segunda vítima do ano em MS
RIGOR
Entra em vigor lei que aumenta pena para motorista embriagado
PRAZO
Inscrições para seleção de estagiário do TRE/MS terminam hoje
APARECIDA DO TABOADO
Corpo de jovem de 21 anos é encontrado boiando em rio
TEMPO
Quinta-feira de sol com aumento de nebulosidade em Dourados
SHOWBIZ
Thaila Ayala aprecia a natureza de biquíni em cima de uma pedra

Mais Lidas

ITAPORÃ
Mortos em troca de tiros após assalto eram de Dourados
SEGURANÇA PÚBLICA
Em comunicado, PCC convoca integrantes para “alerta geral”
DOURADOS
Após invadir Ceim, dupla ameaça vigia de morte e rouba equipamentos
TENSÃO EM MS
Presos tentam impedir pente-fino na PED, mas agentes fazem ‘limpa’