Menu
Busca quinta, 14 de novembro de 2019
(67) 9860-3221
AUDIÊNCIA

Palhaço Sabiá diz que matou porque mulher só falava do ex

03 abril 2019 - 20h20Por Da Redação

Jesus Ajala da Silva, de 46 anos, mais conhecido como palhaço Sabiá, foi interrogado na tarde desta quarta-feira, dia 03 de abril, pelo juiz Carlos Alberto Garcete, da 1º Vara do Tribunal do Juri. No novo depoimento, afirmou ter matado a merendeira Silvana Tertuliana Pereira, de 42 anos, porque a mulher “só falava do ex”. A vítima foi morta a facadas no dia 9 de janeiro deste ano e seu corpo encontrado dois dias depois no quintal de uma casa abandonada no Portal Caiobá, em Campo Grande.

Segundo o sirte Campo Grande News, no primeiro depoimento, Sabiá havia confessado ter cometido o crime por não aceitar o fim do relacionamento com Silvana, com quem estaria namorando há cinco meses. Porém, nesta quinta o assassino confesso negou que esse tenha sido o motivo. “Ainda estávamos juntos quando aconteceu”, afirmou.

Ajala ainda deu detalhes da briga que teria motivado o crime. “Nossa briga foi mais porque ela só falava do ex, mas estava endividada e eu que pagava suas contas. Perdi a cabeça, fiquei nervos e, quando eu vi, já tinha metido a faca nela”, revelou.

Segundo ele, no dia do crime, a vítima chegou em sua casa, localizada na rua das Valquírias, por volta das 12 horas. Sabiá negou ter convidado a mulher para ir até o local, afirmando que ela chegou por conta própria. Lá, o casal teria apenas conversado, tendo a discussão começado por volta das 14 horas.

Jesus também negou que a vítima estaria nua no momento dos golpes de faca, até mesmo que tenha tido relação sexual ou tomado banho com ela momentos antes. O corpo da merendeira foi encontrado no banheiro, mas palhaço garantiu que tudo aconteceu no quarto da quitinete. “Ela caiu na porta da varanda, que também leva ao banheiro. Arrastei para lá porque os vizinhos sempre tomavam tereré comigo e eles poderiam ver o corpo no quarto, porque não tinha porta”, afirmou.

No meio do interrogatório, Sabiá ainda indicou o que seria um novo acontecimento. “Ela me deu um tapa no rosto”, afirmou ao dizer só ter se lembrado disso agora.

Ao juiz, Jesus Ajala também relatou o que fez depois do crime. “Tomei banho e foi para minha irmã. No dia seguinte eu peguei emprestado um carrinho de mão com a vizinha e, por volta das 2 horas do outro dia, levei o corpo até o local”, se referindo ao terreno onde a vítima foi encontrada. De volta a sua casa, ele teria feito a limpeza dos cômodos apenas com um pano úmido. Após o depoimento, Sabiá aguarda decisão da Justiça para saber se vai a Júri.

Saúde mental

A defesa chegou a pedir para que um exame psiquiátrico fosse realizado em Jesus Ajala, porém o juiz indeferiu o pedido. Durante audiência, Garcete afirmou que “não observou nenhum tipo de anomalia, descompensação de ideias ou, no mínimo, aparência que possa indicar algum tipo de distúrbio psiquiátrico” em Sábia.

Juiz também se baseou no próprio depoimento do suspeito, que afirmou nunca ter feito uso de medicamentos ou passado por tratamento psiquiátrico.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
Trio suspeito de envolvimento em assaltos é preso com arsenal de guerra
POLÍTICA
Senador Nelsinho consegue R$ 4,5 milhões de recursos federais para MS
GAMELEIRA
Integrantes do PCC fazem motim e ameaçam ataques na Capital
ESPORTES
Divulgada a lista dos representantes de MS nas Paralimpíadas Escolares
Comerciante é condenado a prestar serviços comunitários por atirar em cliente
DOURADOS
Mesa redonda e encontro de mães marcam o Dia da Prematuridade no HU
BR-262
Polícia encontra dois corpos em carro incendiado às margens de rodovia
FERIADO
Coleta de lixo será suspensa no dia da Proclamação da República
Traficante brasileiro que liderava facção é expulso pelo Paraguai
CINEMA
Fernanda Montenegro descarta papel no filme 'Animais Fantásticos'

Mais Lidas

DOURADOS
Encontrado morto na PED dividia cela com 18 internos em ala comandada por facção
TRÂNSITO
Bêbado invade preferencial e deixa família ferida em Dourados
ENCOMENDADA
Quadrilha desarticulada tinha ordem de facção para roubar seis motos em Dourados
PURIFICAÇÃO
Preso, ex-secretário de Saúde é exonerado do cargo de coordenador do Samu