Menu
Busca terça, 20 de agosto de 2019
(67) 9860-3221
CAPITAL

Outros 2 guardas municipais são presos em investigação sobre arsenal

23 maio 2019 - 21h50Por Da redação

O Garras (Grupo Especializada de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros) prendeu mais dois guardas municipais durante a investigação que resultou na descoberta de um arsenal no Jardim Monte Líbano, região central de Campo Grande. As detenções ocorreram na noite de quarta-feira (22), sob acusação de obstrução da Justiça, já que a dupla estaria ameaçando testemunhas.

Informações extraoficiais ainda apontam para uma terceira prisão, envolvendo um motorista, que ainda não foi confirmada pelas autoridades.

A detenção dois servidores municipais foi confirmada pela GCM (Guarda Civil Municipal) em nota, na qual confirmou que a dupla será submetida a procedimento administrativo interno –que, em caso de condenação, prevê penas que vão desde advertência até o desligamento da corporação– e criminalmente. No comunicado, a Sesdes (Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social) reforçou que o caso foi submetido à Corregedoria.

Quanto ao guarda municipal Marcelo Rios, preso no domingo (19) sob suspeita de ter ligação com o arsenal, foi informada abertura de procedimento administrativo disciplinar e afastamento preventivo do mesmo para apuração dos fatos e sua extensão, “haja vista que ambos os servidores da GCM foram autuados pelo próprio crime de obstrução de Justiça que consiste em impedir ou, de qualquer forma, embaraçar a investigação de infração penal que envolva organização criminosa”.

Detalhes do procedimento investigatório também serão repassados à Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) e à Corregedoria da Polícia Civil, “haja vista existir indícios de participação de policiais civis e militares na referida organização criminosa”, alegação baseada em relatos ouvidos no registro da ocorrência principal.

A outra prisão envolveria um motorista, também na noite de quarta-feira, que teria ligação com um contratante de Marcelo em “bico” realizado fora da atividade de guarda municipal.

Arsenal

Uma operação do Garras com o apoio do Batalhão de Choque da Polícia Militar, foram encontrados em uma casa na Rua José Luiz Pereira dois fuzis AK-47 calibre 76, quatro fuzis calibre 556, uma espingarda calibre 12, uma espingarda calibre 22, 17 pistolas, um revólver calibre 357 e várias munições (15 de calibre 762, 392 com calibre 762/39 para AK-47, 152 de calibre 556, 115 de calibre 12, 539 munições de calibre 9 mm, 37 de calibre .40 e 12 calibre 45), além de silenciadores, lunetas e bloqueadores de sinal eletromagnético, capaz de conter o sinal das tornozeleiras eletrônicas. As armas estavam municiadas e prontas para uso.

Marcelo passou por audiência de custódia na manhã de terça-feira (21), quando teve a prisão preventiva decretada por posse ou porte de arma de uso restrito e receptação. Guarda municipal, ele trabalhava também como segurança particular de um empresário, e seria responsável por transportar as armas supostamente usadas em três execuções.

A mulher do suspeito, que também é guarda municipal, disse que Marcelo trabalhava como segurança particular e motorista em horários de folga. Eles estavam em Bonito, viagem interrompida diante de uma mensagem apontando “trabalho”. Ele foi preso na manhã de domingo no Jardim São Bento.

Quanto a casa, a mulher contou ter conversado com o marido sobre a possibilidade de comprar um imóvel na região do Monte Líbano. Eles teriam frequentado a propriedade por cerca de seis meses para churrascos ou para usar a piscina, alegando tanto que cuidava dela para o dono ou que arrumava as coisas para se mudar para lá. Ao ser preso, Marcelo não esclareceu sua ligação com a propriedade.

As armas teriam sido deixadas no local por uma terceira pessoa. Os AK-47 têm o mesmo calibre das armas usadas em três execuções na Capital –do chefe da segurança da Assembleia Legislativa, o subtenente Ilson Martins Figueiredo, de Orlando Silva Fernandes, o “Bomba”, e de Matheus Coutinho Xavier, filho de um capitão reformado da Polícia Militar. O armamento passará por comparação balística para confirmar se foram usadas em crimes.

Com informações do site Campo Grande News.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ORDEM DO DIA
Cadastro Estadual de Pessoas com deficiência vai à redação final
MS
Veículo com sinais de identificação adulterados é apreendido pela polícia
ESTUPRO
Homem é preso após dormir com a namorada de 11 anos
RIO DE JANEIRO
Sequestrador estava em surto psicótico e ameaçou incendiar o ônibus
LOGÍSTICA
Nelsinho vem com ministro Ernesto Araújo a MS e realiza palestra em evento sobre corredor bioceânico
LOTERIA
Prêmio da Mega deve pagar R$ 31 milhões amanhã
LEGISLATIVO
Cadastros de programas sociais terão informações sobre violência doméstica
DOURADOS
Seis projetos e dois vetos são aprovados pela Câmara
MÉTODO SUPERA
Como combater o nervosismo e a ansiedade ao falar em público
FLAGRANTE
Caminhões são apreendidos carregados com madeira ilegal

Mais Lidas

NO PARANÁ
Douradense morre ao ser prensado por caminhão em laticínio
DOURADOS
Acusado de participação no sequestro de família douradense se apresenta à polícia
DOURADOS
Em ato de filiação ao PSL, reitora temporária diz não ter prazo para deixar comando da UFGD
MS-376
Veículo fica completamente destruído e homem morre em acidente entre Vicentina e Fátima do Sul