Menu
Busca sábado, 23 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221

MS e mais 10 estados perdem recursos de construção de presídios

28 novembro 2012 - 11h03

Mato Grosso do Sul é um dos 11 estados que tiveram obras de penitenciárias canceladas pelo Ministério da Justiça por não cumprirem o prazo de execução das obras previsto nos contratos.

Apesar do déficit de vagas no sistema penitenciário do país, 29 presídios deixaram de ser construídos entre 2011 e 2012 no país por causa do não cumprimento. Os recursos, da ordem de R$ 103,4 milhões, foram recolhidos pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Além do Mato Grosso do Sul, as obras foram canceladas em Alagoas, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Sergipe, Tocantins, Goiás, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Os recursos retornaram ao Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) e devem novamente ser aplicados em construções de estabelecimentos penais no país.

De acordo com o representante do Depen, Augusto Eduardo Rossini, que participou nesta terça-feira (27) do Seminário Avaliação e Propostas para o Sistema Penitenciário, na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados, o cancelamento dos contratos foi ruim para os estados que continuam com o problema da falta de vagas no sistema prisional.

“É muito triste que tenhamos que cancelar os contratos pela falta de execução. Com isso, houve a manutenção em determinados estados do déficit carcerário. Se essas unidades fossem construídas nos prazos estabelecidos por contrato, o déficit ali seria reduzido já prontamente”, disse Rossini.

As dificuldades no cumprimento dos contratos, segundo Rossini, se devem à localização dos terrenos, obtenção da licença ambiental e a questões políticas. De acordo com ele, a troca de governo pode levar à descontinuidade dos projetos.

Segundo dados do ministério, a população carcerária aumenta ao longo dos anos e o número de vagas não acompanha o crescimento. Em 2005, eram 294 mil detentos para 118 mil vagas. Até junho de 2012, a população carcerária quase dobrou. Ela passou para 549 mil detentos contra 250 mil vagas, um déficit de 45,5%.

A superlotação, somada às más condições físicas das unidades penitenciárias e à violência nesses locais são alguns dos problemas do sistema penitenciário brasileiro identificados nas 82 unidades dos 18 estados do país fiscalizadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Sistema Carcerário.

Essas condições, segundo o presidente da CDHM, deputado Domingos Dutra (PT-MA), podem ser o motivo de violência fora das prisões. “Infelizmente o sistema carcerário é o inferno e se sustenta na tortura física, moral e psicológica”.
As estatísticas do Ministério da Justiça mostram que, dos 549 mil presos, 20 mil estão envolvidos em programas de trabalho externo, 91 mil em programas de trabalho interno e 52 mil em atividades educacionais. Somados, eles representam 29,6% do total.

Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a intenção é dar mais destaque à penas alternativas, como previsto na Lei das Cautelares (Lei nº 12.403, de 4 de maio de 2011), que considera a prisão como medida de exceção. O número de presos provisórios, no entanto, não sofreu grandes alterações desde que a lei foi sancionada, passou de 218 mil em junho de 2011 para 232 mil em junho de 2012.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CONGRESSO
Proposta de reforma da Previdência chega à CCJ da Câmara
Comissão é a primeira etapa da tramitação do texto
INTERNACIONAL
Está mantida ajuda humanitária para Venezuela, diz Bolsonaro
DOURADOS
Relatório aponta Marcelino Pires como a via mais violenta em 2018
SHOWBIZZ
Apenas de meia-calça, Juliana Paes celebra presença no carnaval: "melhor notícia"
FUTEBOL
Fifa tira Mundial Sub-17 do Peru, e Brasil vai sediar a competição
BELA VISTA
Policial perde controle da direção, viatura cai de ponte e pega fogo
COMBUSTÍVEIS
Preço da gasolina nas bombas cai pela 18ª semana seguida, diz ANP
MEIO AMBIENTE
PMA captura tamanduá-bandeira em quintal de residência em Coxim
EDUCAÇÃO
UFGD divulga os aprovados na 5ª chamada do Vestibular 2019
COXIM
Policial civil invade emissora de rádio e agride entrevistado

Mais Lidas

DOURADOS
Trio é preso após tentar repetir furto em loja do shopping
SIDROLÂNDIA
Colisão entre motos termina com jovem morto
DOURADOS
Desconhecido pede água, invade residência e ameaça mulher de morte para furtar celular
CAMPO GRANDE
Interno é encontrado morto dentro de cela de presídio