Menu
Busca quinta, 18 de abril de 2019
(67) 9860-3221

Jornalistas da fronteira querem aperfeiçoamento profissional

25 maio 2011 - 06h31

Durante o Encontro Internacional de Jornalistas Brasil-Paraguay, realizado pelo Sebrae-MS em Ponta Porã na última sexta-feira (20), o prof. Dr. Marcelo Cancio da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) ministrou palestra sobre “Características do Jornalismo de Fronteira”. Ele apresentou a pesquisa em desenvolvimento na universidade e que está tentando levantar os veículos existentes e conhecer as características e necessidades dos profissionais que atuam na linha de fronteira entre Mato Grosso do Sul e Paraguai.

Por enquanto foram contatados 15 veículos, com 64 profissionais atuando diretamente na comunicação e outros 20 no setor administrativo. Até o dia do evento, responderam ao questionário da pesquisa, 12 homens e duas mulheres, sendo que quanto à escolaridade, 50% possuem Ensino Médio, 4% Superior Incompleto, 1% Superior Completo e 2% não responderam a esse quesito.

Esses entrevistados apontaram como necessidade maior a formação e capacitação educacional, entre elas cursos de idioma, locução, fotografia, edição de audiovisual, marketing e vendas. Levantaram a possibilidade de parcerias com as universidades e instituições educacionais para a realização de projetos de extensão.

Depois desse item apresentaram as dificuldades com a falta de liberdade de expressão e a insegurança, causada pela influência do narcotráfico na região. Querem melhores equipamentos, facilidade para transporte e percebem que precisam dominar a língua estrangeira para a comunicação com paraguaios. Como acontece em todo país, também reclamaram do monopólio dos meios de comunicação por um mesmo grupo empresarial.

A presidenta do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Grande Dourados (Sinjorgran), Karine Segatto, colocou a entidade como possível parceria da pesquisa, porque também precisa saber quem são e quais as dificuldades dos jornalistas nos municípios da área de atuação do sindicato. Quanto à necessidade de formação profissional, informou que o Sinjorgran está em contato com a UFGD para que o plano de expansão contemple um curso de Jornalismo na universidade, beneficiando a região com um curso gratuito mais próximo que o da UFMS.

Durante o encontro, os participantes colaboraram com o estudo e também preencheram o questionário. Mais informações sobre a pesquisa estarão disponíveis em breve no site www.jornalismonafronteira.ufms.br .

Deixe seu Comentário

Leia Também

ENCONTRO
No Uruguai, MS participa de debate sobre direitos de mulheres indígenas e afrodescendentes
BRASIL
AGU cobra R$ 2,1 bilhões desviados do setor público
GERAL
Programa de prevenção ‘Casal Grávido’ realiza mais uma edição com dicas para pais e mães
TRÊS LAGOAS
Gerente de empresa é multado em R$ 5 mil por armazenamento ilegal de agrotóxicos
INTERNACIONAL
Presença da Força Nacional em Moçambique é prorrogada até 7 de maio
TRÁFICO
Polícia encontra cocaína e skunk dentro de carreta
ESPORTE
Top 10 no circuito sul-mato-grossense de Boxe agita Capital no fim de semana
CUIDADOS
Especialistas alertam sobre bagagem solta no carro durante viagem
SIDROLÂNDIA
Polícia apreende mais de 1t de maconha em veículo furtado
INTERNACIONAL
Rússia confirma primeiro encontro entre Putin e Kim Jong-un

Mais Lidas

DOURADOS
Polícia prende dois e acaba com "tribunal” que poderia resultar em morte no Canaã I
DOURADOS
Corpo desovado no IV Plano é de homem que matou e jogou mulher dentro de poço há 6 anos
VIOLÊNCIA
Corpo é encontrado ‘ensacado’ em Dourados
DOURADOS
Homem foi espancado e enrolado em lençóis antes do corpo ser desovado no IV Plano