Menu
Busca sexta, 22 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221

Jornalistas da fronteira querem aperfeiçoamento profissional

25 maio 2011 - 06h31

Durante o Encontro Internacional de Jornalistas Brasil-Paraguay, realizado pelo Sebrae-MS em Ponta Porã na última sexta-feira (20), o prof. Dr. Marcelo Cancio da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) ministrou palestra sobre “Características do Jornalismo de Fronteira”. Ele apresentou a pesquisa em desenvolvimento na universidade e que está tentando levantar os veículos existentes e conhecer as características e necessidades dos profissionais que atuam na linha de fronteira entre Mato Grosso do Sul e Paraguai.

Por enquanto foram contatados 15 veículos, com 64 profissionais atuando diretamente na comunicação e outros 20 no setor administrativo. Até o dia do evento, responderam ao questionário da pesquisa, 12 homens e duas mulheres, sendo que quanto à escolaridade, 50% possuem Ensino Médio, 4% Superior Incompleto, 1% Superior Completo e 2% não responderam a esse quesito.

Esses entrevistados apontaram como necessidade maior a formação e capacitação educacional, entre elas cursos de idioma, locução, fotografia, edição de audiovisual, marketing e vendas. Levantaram a possibilidade de parcerias com as universidades e instituições educacionais para a realização de projetos de extensão.

Depois desse item apresentaram as dificuldades com a falta de liberdade de expressão e a insegurança, causada pela influência do narcotráfico na região. Querem melhores equipamentos, facilidade para transporte e percebem que precisam dominar a língua estrangeira para a comunicação com paraguaios. Como acontece em todo país, também reclamaram do monopólio dos meios de comunicação por um mesmo grupo empresarial.

A presidenta do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Grande Dourados (Sinjorgran), Karine Segatto, colocou a entidade como possível parceria da pesquisa, porque também precisa saber quem são e quais as dificuldades dos jornalistas nos municípios da área de atuação do sindicato. Quanto à necessidade de formação profissional, informou que o Sinjorgran está em contato com a UFGD para que o plano de expansão contemple um curso de Jornalismo na universidade, beneficiando a região com um curso gratuito mais próximo que o da UFMS.

Durante o encontro, os participantes colaboraram com o estudo e também preencheram o questionário. Mais informações sobre a pesquisa estarão disponíveis em breve no site www.jornalismonafronteira.ufms.br .

Deixe seu Comentário

Leia Também

IBGE
MS tem a terceira menor taxa de desocupação do País
TENSÃO
Confrontos na fronteira com a Venezuela deixam 2 mortos e 15 feridos
ENTENDIMENTO
Juiz ministrará palestra sobre projeto de lei anticrime na segunda-feira
CAMPO GRANDE
Incêndio destrói bilheteria de circo na Capital
ANUÁRIO
Mortes no trânsito de Dourados caem 35% em 2018
FUTEBOL
Clubes aprovam e Brasileiro terá VAR em todos os jogos
POLÍCIA
Homem é flagrado com carro “recheado” de cigarros contrabandeados
BRASIL
Paulo Guedes espera aprovação da reforma da Previdência até junho
CAMPO GRANDE
Interno é encontrado morto dentro de cela de presídio
TVE/MS
Reunião discute novo organograma da Fertel e atualizações profissionais na radiodifusão

Mais Lidas

OPORTUNIDADE
Prorrogadas inscrições em processo seletivo para contratação de Assistentes de Atividades Educacionais
MAIS UM
Délia exonera secretário de Saúde e adjunta assume o posto
AMAMBAI
Homem mata a ex-mulher a facadas na frente dos sete filhos
DOURADOS
Trio é preso após tentar repetir furto em loja do shopping