06/09/2013 12h11

Informações de mercado garantem lucratividade do sojicultor

 

.

Para o produtor rural fechar bons negócios a qualidade da matéria-prima não é o único fator a ser levado em consideração, informações precisas de mercado podem valorizar o grão e garantir a lucratividade do empreendedor. Exemplo de quem segue este conceito é o sojicultor de Amambai, Antônio Lanzoni Filho, que buscou por atualização de dados que balizem sua rotina no Circuito Aprosoja, que ocorreu nesta quinta-feira (5), no parque de exposição agropecuária do município.

"Os preços da soja são previsíveis, basta acompanhar o mercado. Agosto e setembro, por exemplo, são meses ruins de negócios, devido o início da colheita da oleaginosa americana", destacou o operador de mercado de commodities agrícolas, Liones Severo, que apresentou aos produtores rurais de Amambai e região, dados históricos do aumento do consumo da China e do acompanhamento da safra brasileira de soja e de milho, durante o ciclo de palestras da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/MS – Sistema Famasul).

O palestrante não dispensa a vantagem que os agricultores brasileiros podem ter, com a safra americana comprometida desde a seca histórica do ciclo passado. "A previsão é de que os Estados Unidos produza em torno de 90 milhões de toneladas de soja, volume pequeno para quem está com o estoque praticamente zerado. Já a produção brasileira está estimada em 85 milhões, além disso, as exportações já alcançaram efetivamente 42 milhões de toneladas, volume que indica a possibilidade de falta da oleaginosa no mercado interno entre setembro e outubro", avalia o operador.

Severo destacou a demanda da China quanto aos produzidos no Brasil, que não demonstra sinais de redução. "O consumo chinês é altamente representativo. A renda da população do país asiático cresceu nove vezes nos últimos anos, impactando diretamente no consumo, somado a esse fato, eventos como as Olimpíadas e a Copa do Mundo, fizeram com que o país importasse redes alimentícias ocidentais, mudando hábitos alimentares".

Para o agricultor de Amambai, Lanzoni, as informações do palestrante servirão para as próximas comercializações. “Acompanho os fechamentos da Bolsa de Chicago diariamente, o produtor não pode esquecer a globalização e que a maior parte da soja e do milho produzido em Mato Grosso do Sul, está fora do país. Informação nunca é demais e o Circuito estimula o empreendedorismo rural, indispensável para se manter no mercado", enfatizou o produtor.

Reforçando a importância ao acesso de informações de qualidade no apoio ao setor, durante a abertura do evento, o presidente da Aprosoja/MS, Almir Dalpasquale, destacou a oportunidade dos agricultores de MS de se inscreverem no programa de gestão econômica, social e ambiental, o Soja Plus, que visa capacitar 500 agricultores de 15 municípios do Estado quanto a qualidade de vida no trabalho, melhores práticas de produção, viabilidade econômica e responsabilidade social. O programa é de iniciativa da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) e conta com o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS) e a Aprosoja/MS – Sistema Famasul.

Circuito

O Circuito Aprosoja percorre Mato Grosso do Sul com palestras e informações técnicas sobre o agronegócio, na finalidade de auxiliar os produtores rurais na conquista da excelência quanto a produção e gestão das propriedades do Estado.

Em 2012, o Circuito Aprosoja atendeu 1.252, entre agricultores, acadêmicos e técnicos do setor. Neste ano os palestrantes do Circuito já levaram conhecimento aos profissionais dos municípios de Ponta Porã, Dourados, Chapadão do Sul, São Gabriel do Oeste e Amambai. As próximas etapas serão desenvolvidas em Naviraí e Campo Grande.