Menu
Busca sexta, 13 de dezembro de 2019
(67) 9860-3221
BELA VISTA

Condenada por matar filha bebê é encontrada morta em presídio

18 novembro 2019 - 18h50Por Da Redação

Condenada por matar a própria filha recém-nascida, Irene Gonçalves Freitas, de 44 anos, foi encontrada morta em uma das celas do Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi”, em Campo Grande, na manhã desta segunda-feira, dia 18 de novembro. Segundo o site Campo Grande News, a mulher estava no presídio desde agosto deste ano.

O crime aconteceu em 4 de janeiro de 2014, na cidade de Bela Vista, na fronteira com o Paraguai. Irene foi condenada a 18 anos de reclusão, mas só foi presa neste ano. Em 16 de agosto foi transferida da Delegacia de Polícia da cidade para o presídio feminino de Campo Grande.

Conforme o boletim de ocorrência, Irene estava na cela 10 do pavilhão 2, com mais trinta internas. Em depoimento, uma agente penitenciária contou que na noite de ontem a mulher respondeu o confere de presos normalmente, mas nesta manhã as outras presas avisaram que ela estava com o corpo todo roxo.

Socorro foi acionado, mas ela já estava sem vida. Não há informações sobre a causa da morte. Ainda segundo a agente, assim que Irene deu entrada no presídio, foi oferecido proteção a ela, mas a interna recusou, alegando ser inocente. Perícia e equipes da 2ª Delegacia de Polícia Civil foram ao local e devem investigar o caso.

Entenda

Irene escondeu toda a gravidez da família e aos 8 meses entrou em trabalho de parto. Para ter o bebê em segredo, chegou a alugar um quarto de motel, mas como as contrações estavam estáveis, resolveu voltar para casa. Horas depois, deu à luz a uma menina no banheiro da residência em que morava.

A bebê nasceu com vida e teve o cordão umbilical cortado pela própria mãe. Usando um bisturi e sem os cuidados necessários, a mulher causou uma hemorragia na criança e a deixou sangrar até a morte. Depois, enrolou o corpo em uma toalha e o colocou dentro do baú de sua motocicleta.

Antes de conseguir se livrar do corpo, Irene acabou internada por fortes sangramentos. No hospital ligou para o filho e mandou que ele enterrasse a irmã no quintal. O menino pediu ajuda do tio e juntos eles cavaram um buraco para colocar o corpo da bebê.

Em dezembro do mesmo ano, Irene foi condenada a 18 anos de reclusão em regime fechado pelo assassinato da filha. A defesa recorreu da decisão e a mulher permaneceu em liberdade, se apresentando mensalmente em juízo, por mais de quatro anos. Só em julho de 2019, a pena foi mantida pela justiça e a ré presa pelo crime.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Condenada por morte de namorado, mulher que alegou roleta-russa é presa
RURAL
Meta da agropecuária é abastecer mercado interno, diz Tereza Cristina
CINEMA
Danny Aiello, ator de 'Faça a coisa certa', morre aos 86 anos nos EUA
SIDROLÂNDIA
Polícia apreende carga de 80 pneus de origem estrangeira na MS-162
ERRO
Governo torna sem efeito promulgação da Reforma da Previdência Estadual
RIO BRILHANTE
Homem que teria brigado com pedreiro antes de assassinato se apresenta
SAÚDE
Juiz determina que empresa volte a fornecer alimentação para o HU
CAPITAL
Homem morre ao passar mal após comer paçoca que ganhou de amigo
RIO DE JANEIRO
Ex-deputados Edson Albertassi e Paulo Melo são soltos por engano
RESORT
Morre menino vítima de queda de avião em resort no sul da Bahia

Mais Lidas

CAARAPÓ
Homem é assassinado a golpes de faca após discussão em bar
DOURADOS
Inteligência da PM prende dois por tráfico no bairro Estrela Tovi
GRANDE DOURADOS
Quadrilha especializada em roubo de caminhonetes é desarticulada e seis são presos
FURTO
Polícia recupera objetos e fecha ponto de receptação em Dourados