Menu
Busca terça, 13 de novembro de 2018
(67) 9860-3221

Após 25 anos como arcebispo, Dom Vitório quer dedicar-se ao trabalho pastoral

04 maio 2011 - 15h12

Durante coletiva de imprensa nesta manhã (4), o arcebispo de Campo Grande, Dom Vitório Pavanello, comunicou oficialmente o nome de seu sucessor, Dom Dimas Lara Barbosa, nomeado pelo Santo Padre o Papa Bento XVI e divulgado às 6h de hoje. Dom Dimas tem o prazo de dois meses para assumir o título, a partir desta quarta-feira.

Já em tom de despedida, Dom Vitório agradeceu a todos que trabalharam pela Igreja Católica nos últimos anos, pediu orações para o novo arcebispo da Capital e lembrou de momentos marcantes ao longo de sua trajetória à frente da diocese.

Dom Vitório deixa a diocese após mais de 25 anos como o representante oficial da Igreja Católica na Capital, tendo sido nomeado em dezembro de 1986. Ele foi o segundo arcebispo de Campo Grande.

Agora, Pavanello assume a posição de bispo emérito na Igreja, o que corresponde a uma aposentadoria de suas atribuições oficiais como chefe.

“Não serei mais governo. Agora serei silêncio. Só irei me pronunciar sobre alguma questão se houver pedido do novo bispo, do contrário não quero me pronunciar”, afirmou.

Após tantos anos dedicados a administração da diocese da Capital, estando a frente de 41 Paróquias e cerca de 300 comunidades, Dom Vitório disse ter deixado muitas vezes o trabalho pastoral de lado, e agora, quer dedicar-se a oração e ao trabalho de evangelização.

“Quero rezar, pedir perdão das minhas falhas e ajudar nos trabalhos de pastorais, de evangelização. Principalmente, quero ajudar nas confissões, ser um orientador espiritual para que quiser ir até mim para conversar, ler a bíblia, rezar. Mas estarei sempre disposto para demais atribuições que o bispo me delegar”, afirmou.

Pavanello ainda declarou que após deixar a arquidiocese pretende dedicar um tempo para a reflexão, além da oração, sobre os anos de trabalho. “É sempre bom fazer um exame dos acertos e erros. Aquilo que foi bom, louvado seja Deus, agora o que não foi é pedir perdão e trabalhar no que for possível”, conclui.

Antes de assumir a diocese da Capital, Dom Vitório foi bispo de Corumbá por quatro anos. Ele ressalta que o “poder nunca me subiu a cabeça, pra mim sempre foi um serviço” e ainda revela que há mais de 20 anos não tira férias.

“Nunca usufruí do direito de férias, que os bispos tem de um mês. Sempre que viajei também estava em missão”, conta. O projeto para os próximos meses inclui visitas aos seus familiares, no estado de Santa Catarina, e uma viagem de peregrinação a Terra Santa.

Mesmo aposentado, Dom Vitório garantiu que pretende continuar morando em Campo Grande, onde uma casa está sendo construída para ele. “Os padres muito caridosos estão fazendo a casa, mas creio que acharam que eu não ia sair também rápido e a casa ainda não ficou pronta”, brinca.

O bispo ficará morando provisoriamente em um seminário, construído recente no bairro Jardim Seminário.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CASA PRÓPRIA
Caixa suspende Minha Casa Minha Vida para faixa intermediária
INDUBRASIL
Polícia caça suspeito de matar diarista investigada por latrocínio
JUSTIÇA ELEITORAL
TSE dá 3 dias para Bolsonaro esclarecer 'inconsistências' em contas
UFGD
Abertas inscrições para doutorado em Biotecnologia e Biodiversidade
BRASILÂNDIA
Estudantes de escola de MS criam dicionário de línguas indígenas
JUSTIÇA
Calúnia e difamação em rede social geram dano moral a usuário
ECONOMIA
Dólar fecha em alta de quase 2% e ultrapassa R$ 3,80
BRASIL
Agricultura deverá assumir pesca, pequenos produtores e Incra
FUTEBOL MS
Às vésperas do Arbitral, apenas em estádio está apto para o Estadual Série A
CLIMA
Dourados tem novo dia quente com sensação térmica próxima dos 40ºC

Mais Lidas

ÑU VERA
Homem morre em Dourados após bebedeira
ANGÉLICA
Jovem morre atropelado durante o trabalho em pátio de usina
PEDRO JUAN
Advogada de narcotraficantes brasileiros morre após atentado na fronteira
PARAGUAI
Polícia paraguaia acredita que pistoleiros brasileiros mataram advogada