Menu
Busca quarta, 20 de novembro de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

“Se não pagar vocês não vão dormir, não vão ter paz”, ameaçou professora indígena presa por extorsão

22 outubro 2019 - 10h26Por Vinicios Araújo e Osvaldo Duarte

O conflito entre indígenas e fazendeiros em propriedades localizadas na Perimetral Norte de Dourados era orquestrado por quadrilha criminosa liderada pela professora Dirce Cavalheiro Veron. Ela é apontada como uma das lideranças que coordenaram as ações de extorsão a fazendeiros, interceptadas ontem (21) pela Polícia Civil. 

Segundo o delegado Rodolfo Daltro, responsável pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) de Dourados, ela teria ameaçado os produtores dizendo: “se não pagar vocês não vão dormir, não vão ter paz”. 

Com apoio do policial militar Waldison Candido Francisco, de 46 anos, ela conseguiu inibir a incidência de conflitos com indígenas invasores durante a semana passada. Isso só aconteceu após a garantia de que seriam pagos os valores. 

De acordo com o investigador, foi exigido inicialmente R$ 150 mil para fazer cessar os conflitos na região, os quais se acirraram no feriado de 12 de outubro. No entanto, após negociações, foi acordado o repasse de R$ 120 mil, pagos em quatro parcelas semanais. 

Ontem (21), diante de impasses para o pagamento, Dirce passou a pressionar os produtores acirrando as ameaças. Com local e horário marcado para receber os valores, o SIG monitorou a ação e conseguiu flagrar a acusada e o PM com o dinheiro. 

Ela ainda tentou esconder os maços de notas de R$ 100, jogando as cédulas na carroceria de uma caminhonete. 

“Após o produtor rural efetuar a entrega dos R$ 30 mil, demos voz de prisão, a Dirce tentou esconder jogando o dinheiro na carroceria de uma caminhonete, mas fizemos a prisão deles pela prática de extorsão. Ela relatou que seria uma das lideranças e realmente vimos que ela possui essa influência porque não houve nenhum conflito na semana passada”, detalhou Daltro. 

A professora indígena é conhecida no Estado e agora será investigada a relação dela com outros casos. Acredita-se que mais lideranças estão envolvidas no crime. 

Dirce está presa no 1° Distrito Policial e assim que houver emissão do flagrante será transferida para o presídio feminino. O policial militar Waldison Candido Francisco foi transferido para o Presídio Militar de Campo Grande e deve passar por audiência de custódia nesta terça-feira (22).

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVA ANDRADINA
Mulher faz rifa para ajudar no tratamento de marido vítima de acidente
CASO MARIELLE
Porteiro volta atrás e diz que errou ao dizer que havia falado com 'seu Jair'
ROTA BIOCEÂNICA
Itaipu licita em dezembro o projeto executivo da ponte do Rio Paraguai
ECONOMIA
2020 terá o dobro de feriados prolongados; Confira as datas
ARTIGO
Dourados por três dias é sede do governo
TRÊS LAGOAS
Crianças ficam sob mira de revólver durante assalto em residência
CINEMA
Mostra Ecofalante exibirá o filme "Amazônia: o despertar da Florestania"
ECONOMIA
Tribunal de Justiça aprova anteprojeto de lei das taxas cartorárias
CAPITAL
Homem ‘dedetiza’ clínica com água e cobra mais de R$ 1,3 mil pelo serviço
COAF
Toffoli vota por limitar compartilhamento de dados financeiros

Mais Lidas

ESTELIONATO
Suspeita de aplicar golpes em Dourados é presa na Paraíba
OPERAÇÃO PATRON
Dono de loja de importados na fronteira também é alvo de operação
TENTATIVA DE FEMINICÍDIO
Ex esperou mulher chegar de curso para tentar matá-la no Estrela Verá
OPERAÇÃO PURIFICAÇÃO
Justiça Federal aceita denúncia contra cinco suspeitos de corrupção na Funsaud